sábado, 10 de dezembro de 2011

Novamente a chuva vem mecher nas minhas lembranças...
Ela insiste em me dizer, que nas tentativas de amar e ser amado,
Eu fracassei...

É um frio lá fora...
É um vazio aqui dentro.
Aguá e mofo ja se misturam...
A alma se contamina.
Desde que  o martelo findou a sentença...
NÃO SOUBE MAIS O QUE É O AMOR.

Minha mente vagueia, em instantes de lucidez e escuridão.
Até chamado de louco ja fui.
Por não saber mais sobre o amor.

Tem sido entregas, carinhos, carícias...
Calor, que após o gozo se esfria.
Era quente enquanto espectativa de uma nova vida a dois.

Mas o toque, o beijo, a "pegada" não me leva adiante.
Pois o que já vivi, não vejo nos braços que me entrego.
Entregas por desamor eu sei.
E assim me entrego a solidão.
Depressão, melancolia.

Esperança talvez...
Ao menos aprendi que devemos esperar o melhor.

Mas a ânsia de amar e ser amado me afoga nas lembranças
dos tempos dos contos de fadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário