sábado, 10 de dezembro de 2011

Novamente a chuva vem mecher nas minhas lembranças...
Ela insiste em me dizer, que nas tentativas de amar e ser amado,
Eu fracassei...

É um frio lá fora...
É um vazio aqui dentro.
Aguá e mofo ja se misturam...
A alma se contamina.
Desde que  o martelo findou a sentença...
NÃO SOUBE MAIS O QUE É O AMOR.

Minha mente vagueia, em instantes de lucidez e escuridão.
Até chamado de louco ja fui.
Por não saber mais sobre o amor.

Tem sido entregas, carinhos, carícias...
Calor, que após o gozo se esfria.
Era quente enquanto espectativa de uma nova vida a dois.

Mas o toque, o beijo, a "pegada" não me leva adiante.
Pois o que já vivi, não vejo nos braços que me entrego.
Entregas por desamor eu sei.
E assim me entrego a solidão.
Depressão, melancolia.

Esperança talvez...
Ao menos aprendi que devemos esperar o melhor.

Mas a ânsia de amar e ser amado me afoga nas lembranças
dos tempos dos contos de fadas.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Ter ou não ter namorado

Quem não tem namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia. Paquera, gabira, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil. Mas namorado mesmo é muito difícil. Namorado não precisa ser o mais bonito, mas ser aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio, e quase desmaia pedindo proteção.
A proteção dele não precisa ser parruda ou bandoleira:basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição.
Quem não tem namorado não é quem não tem amor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes,dois paqueras, um envolvimento, dois amantes e um esposo; mesmo assim pode não ter nenhum namorado. Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema, sessão das duas,
medo do pai, sanduíche da padaria ou drible no trabalho.
Não tem namorado quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar lagartixa e quem ama sem alegria.
Não tem namorado quem faz pactos de amor apenas com a infelicidade. Namorar é fazer pactos com a felicidade,ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de curar.
Não tem namorado quem não sabe dar o valor de mãos dadas,de carinho escondido na hora que passa o filme, da flor catada no muro e entregue de repente, de poesia de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque, lida bem devagar, de gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada, de ânsia enorme de viajar junto para a Escócia,ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo, tapete mágico
ou foguete interplanetário.
Não tem namorado quem não gosta de dormir, fazer sesta abraçado, fazer compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele; abobalhados de alegria pela lucidez do amor.
Não tem namorado quem não redescobre a criança e a do amado e vai com ela a parques, fliperamas,
beira d’água, show do Milton Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos ou musical da Metro.
Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não se chateia com o fato de seu bem ser paquerado. Não tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem curtir; quem curte sem aprofundar. Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada ou meio-dia do dia de sol em plena praia cheia de rivais.
Não tem namorado quem ama sem se dedicar, quem namora sem brincar, quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele. Não tem namorado que confunde solidão com ficar sozinho e em paz.Não tem namorado quem não fala sozinho, não ri de si mesmo e quem tem medo de ser afetivo.
Se você não tem namorado porque não descobriu que o amor é alegre e você vive pesando 200Kg de grilos e de medos. Ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesma e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela. Ponha intenção de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada.
Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteio.
Se você não tem namorado é porque não enlouqueceu aquele pouquinho necessário para fazer a vida parar e, de repente, parecer que faz sentido.
Essa, não é de minha autoria, mas vale a pena ler. é de CARLOS DRUMOND DE ANDRADE

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Amor assim...


Hoje defino o amor como algo que transcede o sexo.
Mesmo o sexo sendo bom de mais,
Não o é sem a essência do amor.

Amor assim senti por alguém muito especial,
Que até hoje guardo aqui no meu coração.

Transceder, é algo que vai além.
Esse amor que hoje defino,
Se faz nas pequeninas coisas
Do cotidiano, simples e aparenemente insignificantes.
Mas de uma grandiosidade.

Esse amor descobri no sorriso da pessoa amada
Ao despertar ao lado dela;
No abraço sincero e caloroso;
Nas falas bobas ao pé do ouvido;
Quando me fazia cosquinhas e quase me matava de rir;
Nas horas que nos falavamos ao telefone;
Até nos momentos que nos olhavamos feito bobos
E não tinhamos nada para falar.

Amor assim, é como de novela, mágico e explosivo.
Amor assim, é sentir saudade e não se desesperar por ter
Fé no reencontro.
Amor assim, é poder confiar e falar espontaneamente
Eu te amo.
Amor assim. é sentir o prazer de viver a vida com plena
Consciência de que aquele vazio no peito já não
Existe, pois já foi preenchido.
Amor este, que envolve, faz sorrir, fazer ser criança, faz sonhar,
Faz viver de um modo todo diferente onde tudo é possível.

Amor assim, que hoje defino, mesmo distindo, mesmo distante,
Faz querer viver e fazer a vida valer a pena.

By Adalmir Oliveira Campos. Março/2011


Na vida busque fazer a diferença,
Deixando sua marca por onde passar...

As marcas podem ser negativas.
As marcas podem ser positivas.
O livre arbítrio existe.
E as consequências das escolhas
É uma realidade que ocorre mais cedo
Ou mais tarde.

Portanto, baseie suas escolhas no amor...
Pois só o amor, mesmo complexo, sempre
Determina o que é belo, o que é certo.
O amor é como a ação de Deus,
Que mesmo em linhas tortas
Diante do caos, faz tudo caminhar em
Equidade e harmonia.

Agindo no amor, você às vezes não será famoso,
Nem demonstrará grande status.
Mas com certeza, se tornará
Inesquecível na vida daqueles com quem
Compartilhou o amor.

By Adalmir Oliveira Campos Março/2011

quarta-feira, 16 de março de 2011

Centelhas de amor


Sonhar em te ter novamente, foi fé naquilo que é bom.
Se nos amamos, foi por escolhas do coração.
Se nos perdemos, foi confusão.
Escolhas mal feitas eu sei...
Como gotas que caem na água,
Turbilhão que gerou consequências.
O amor se perdeu.

Mas se resta uma centelha de luz,
Se a chama ainda não se apagou.
Das brasas, o fogo ainda pode arder.
O fogo ainda pode revigorar.

E assim, através de escolhas bem feitas...
Por mim, por você.
Ele pode crescer.

O jardim pode ter mais flores.
O inverno pode ser mais quente.
A noite dar lugar ao dia.
A tempestade lugar ao sol...

E assim, o arco iris pode ser a aliança
Desse amor que sonhamos pra nós.

By Adalmir Oliveira Campos. 09/02/2011

Grande Coração


Hoje me vi chorando por ti.
Pois sei que um dia te perdi.
Mas não desisto do amor.

O amor, é caro de mais.
Pode ser que não me ame, eu
Não volto atrás.

Menos que amor, não quero jamais.
Fico só se preciso for.

Por que viver só de aventuras,
Pra mim não têm valor.

A gasolina é cara.
Acaba rápido...
Mas é ela que move o meu carro.
Assim como  o amor move
O meu coração.

Álcool pra que?
Se rende pouco e no fim sai menos barato;
Assim como paixões passageiras
Que como droga alivia a dor por momentos
E às vezes arrasa ainda mais.

Meu coração é grande, esse amor acomoda
E com certeza com o tempo vem mais.

By Adalmir Oliveira Campos. 09/03/2011

Versos tristes...


Nestes versos tão tristes,
Faço música da minha história.

Sonho de um amor vivido, que
Ainda hoje guardo na memória.

É bela a história de amor de duas almas
Que se econtraram.
Veio a paixão ardente.
Veio o amor tão quente.
Juras...
Esperas...
Saudades.

Dias tão felizes já não vemos mais.
O amor tomou outros rumos.

Perdemos  o que era caro demais.
Hoje, só me resta a lembrança deste tempo
Que não volta atrás.

Minha alma anseia a sua.
Meu corpo já se perdeu.
Minha mente parece crua.
Pois nela só tinha você.

O que nesta história me mantém vivo,
É saber que jardins florescem...
É ter a plena certeza de que as flores
Virão com o tempo.

Sabe, já posso sentir o perfume...

By Adalmir Oliveira Campos. 09/03/2011

Sinal


Dê um sinal.
Me tire desta angustia.
Mostre-me que respira.
Se aprume.

Só necessito que me digas:
__ O que quer pra nossas vidas?

Se é um ponto final,
Então me diga.
Ao menos saberei como agir daqui
Pra frente.

Se é um "sim"
Pode falar, não se acanhe...
Saberemos como agir e
Aprenderemos a agir juntos.

By Adalmir Oliveira Campos. 08/03/2011

Amor diamante


Será loucura?
Será um vício?

Tento esquecê-la,
E me afastar...

Mas parece que o universo conspira
Para que eu te busque.

Meu ser anseia relacionamento com você.
Meus olhos me traem.
Meu coração palpita.

Até meu celular sente sua falta...
Suas mensagens calorosas...
Seus alôs cheios de amor.

À noite, debruço-me na janela, e fico a
Espera de ao menos vê-la de relance
Ao passar pela rua.

Quando me deito, meus braços buscam os seus.
Minha boca busca a sua,
E você não está lá.

O sono se vai.
As lágrimas chegam e o tempo parece não ter fim.

Amor assim, comparo a diamante lapidado
De imenso valor, o qual é insubstituível.

Sabe, esse amor que sinto por você é assim,
Como esse diamante, único e especial.

Outros amores vão entrar na minha vida.

Mas será um outro tipo de amor...
Amor assim, "primeiro amor",
Como diamante só por você.

By Adalmir Oliveira Campos. 08/03/2011

quinta-feira, 10 de março de 2011

Multifacetas



Queria tanto ser eu.
Dentro de mim têm um leão.
Por que tenho que me mostrar como lebre?

Dentro de mim, há cachoeiras...
Imensas cachoeiras.
Por que tenho que me portar como pequeno chafariz?

Dentro de mim, há um mar...
Um mar em fúria,
Que na maioria das vezes é calmaria.
Por que tenho que me mostrar como mina d'água?

É aterrorizante ser quem sou, sem poder ser quem sou.
É como colocar o universo dentro de uma garrafa
De coca-cola:
Por fora, o rótulo;
Por fora, só o que atrai;
Por fora, propaganda enganosa, que promove aceitação.

Diante de tantas convenções...
Diante de tantas máscaras.
Já não sou mais um.
Sou dois em um, ou quem sabe mais?

Lá dentro, feito gás agitado. Explosões.
Fortes explosões que atordoam a alma sedenta de liberdade.
Alma sedenta de ser quem é, e assim mesmo ser aceita...
Sem preconceitos.
Sem ser visto como louco desvairado...
E sendo eu assim tão complexo, ser amado.

Desejo, poder lançar meu brilho, minha energia e
Não chocar a multidão que espera sempre as mesmas coisas de mim.

Desejo dançar pelas ruas ao som inebriante do vento.
Cantando, sorrindo, chorando, sem esconder a verdade de mim, a verdade que sou.
E assim, não me ater à verdade dos outros sobre mim.

A humanidade busca sedenta homogeneidade, e mede a seu rigor, o que é relação de qualidade, e o Que é necessário em quantidade.
Assim nos poda, nos limita, nos impede de ser quem somos.

Mas como controlar?
Não sou, só eu, um mundo assim.

Universos eclodem a todo momento das máscaras por detrás dos pierrots e columbinas...
Na busca de encontrar o equilibrio, mesmo que em meio à complexidade, do que, na mente de Deus, Nasceu para ser heterogêneo.

Hetereogeneidade, que se mistura e no clarão branco luz, se faz prisma de cores que harmonizam Trazendo equilibrio em meio ao caos.

Na busca de ser quem eu sou, torno-me um ser em relação pura e honesta com Deus, com meu "eu" interior, e com meus semelhantes.

segunda-feira, 7 de março de 2011

"Amor, é igual gasolina, é caro e pode ser substituido pelo álccol"
Uma frase assim, embora criativa, em sua ambiguidade,
É uma frase interessante para  ser refletida...
Aqui, sob meu ponto de vista...
Do outro lado do pc do seu...

Eu não sou a verdade...
Muito menos o caminho...
Embora em meu ser, eu tenha a vida.

A gasolina é um derivado do petróleo muito utilizado,
Porém é cara, pois sua estração é um pouco difícil, dentre outros
Fatores. Já o álcool, que também têm seu valor, bem como tem suas vantagens
E desvantagens como a gasolina.

Novamente o amor...


Sempre me deparo falando do amor...
Às vezes fico sem entender.
Penso que o amor deve ser muito importante,
Caso contrário não estaria na boca e no coração
De tanta gente.

Muitos ironizam o amor...
Muitos se negam a amar...
Muitos preferem se anular...

O amor, é como uma moeda.
Ele é cara ou coroa.
Uma hora nos faz felizes...
Outras horas nem tanto.

Mas, tudo a seu tempo, no amor
Se encontra, se ilumina, e
Se torna algo maior.

O amor, é que nos leva a relacionar.
O amor, é o que nos liga a Deus.
O amor, é o que nos liga à vida.
O amor, é o que nos liga ao outro.
O amor, é o que nos move na busca
De conhecimentos.
O amor, é o que nos leva a sermos humanos.

O amor, é como um bichinho
Que todo mundo nasce com ele
Dentro de se...
Um bichinho que muitas vezes precisa
De atenção e cuidados.

Um amor doente pode trazer consequências
Sérias para a vida.
Como esse bichinho mora em cada ser,
Cada ser se torna responsável em cuidar dele.
Mantendo-o saudável.

Se esse bichinho não encontra reciprocidade
No bichinho do outro, mesmo que doa bastante,
Deve deixar o outro seguir em frente, e
Assim fazer  mesmo.

Caso contrário escraviza-se o amor...
Força-se algo que destrói o amor...
Que anula, que fere e que conrrói.

O amor, é especial e caro demais para ser
Substituído.
Quando magoado e ferido,
Merece repouso, e até chorar se preciso,
Para assim se reorganizar e não deixar de
Ser amor.

O álcool, as drogas, o sexo fácil...
E tantas outras banalidades, não são remédios
Para amor doente.
Só aumentam a dor.

Amor doente precisa de ombros amigos...
Horas de solidão, momentos para refletir...
Até mesmo algo saudável para ocupar o tempo,
Como uma caminhada, um serviço voluntário,
Envolver-se em uma arte, dançar, cantar...
Cada um encontra seu jeito.

E assim o amor se encontra, desencontra...
E se mantém.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Castelo sem portas...


É você que eu amo.
É você que eu quero.
Venha me tirar deste castelo.

Castelo que eu mesmo construi.
Castelo de medo.
Castelo de culpa.

Na construção do castelo, me tranquei.
Sem portas, te perdi.

Não sei se ainda me ama.

Mas se ainda for sim,
Venha em seu cavalo prateado.
O dragão, morreu em mim.

Só você pode amortecer a queda...
Só teus braços ainda me servem.
Só o som de seu coração me soa
Bem aos ouvidos.
Só teu calor ainda
Pode me aquecer.

Os sonhos com seus beijos me
Deixam lúcido e cheio de vida.

Lembre-se o dragão morreu em mim.

Quero reconstruir com você o
Nosso castelo.
Que tenha portas, janelas e um belo jardim.

Insonia...


Ao amanhecer, tudo se repete.
O mesmo ocorre ao anoitecer.
São lembranças de você.

Meu coração bate forte...
A ansiedade mostra que a
Saudade virou minha sorte.

Vejo sua imagem como filme na TV.
Seus olhos cheios de ternura...
Olhos que ainda me levam à loucura.
Me chamam na noite escura
Me propondo segurança e paz.

Me trazem na lembrança, seus braços
Me envolvendo, seu cheiro, seu calor,
Seu dengo.

Desperto. Sinto seu perfume...
Assim como o beija flor sente
O perfume das flores...
Admiração, desejo...

O sono se vai quando o galo canta...
O sono vem pouco antes do galo cantar.

O sol nasce,
O sol se põe,
E eu me pergunto por que ainda
Não me lancei na busca de você.

Será o medo de quebrar  a cara por já
Não mais sentir amor por mim.
Ou será a angustia, ansiedade e temor
De fazê-la sofrer novamente.

Tudo é possível.
Na vida, a única certeza
Que temos é a morte.

Querer-me de volta, pode ser
Ou não a sua sorte. Mas só o tempo
Poderá dizer o que será.

Mas o pouco que já foi, foi bom de mais
E valeu a pena.

No momento, cabe-nos as escolhas,
No futuro as consequências.

Amor e tempo...
É o que temos pra hoje, e por hoje.

Nada melhor que um dia após o outro.

Tudo começa pela escolha...

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Pensar...


Neste momento me deu vontade de postar algo, ainda em construção dentro de mim...
Não são conselhos, não são verdades, são apenas escrita de um ser que pensa, que sofre, chora, e também sorri...
Mas o que escrever?
No meu coração não têm tido muito de amor...
Já não tenho vivido muito o amor...
Ou talvez o tenha vivido de um modo tosco, torto...rsrsrsrsrsrsrsrs

São talvez pensamentos de alguém que não esteja com auto-estima tão boa assim...
Mas é o pensamento que se torna escrita neste momento...
Acho até corajoso da minha parte postar...
Pois a maior parte das pessoas tem tanto medo de demonstrar suas fragilidades...
De falar de seus erros... De falar do seu lado mais sombrio...Ou nem tanto rsrsrsrs
NÃO SOU TÃO MACABRO ASSIM RSRSRSRS.

Embora alguns corações não me entendam assim...
Sou antes de tudo um ser humano...
Um ser humano em construção... Incompleto, inacabado...
Um dia, sei que estarei preenchido, mas será tarde para postar aqui rsrsrsrsrsrs.

Talvez alguém até ouse escrever sobre mim e fale como fui ao me tornar completo...
Será uma história no mínimo intrigante, embora eu seja simples e ao mesmo tempo tão complexo
Como qualquer ser humano.

No início deste texto... Pensava tão somente, que seria interessante se viessemos com manual de instruções...
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Já pensou?
Pare e pense um pouco a respeito.
Gostou da idéia?
Algumas pessoas nos culpam o tempo todo por não nos entendermos completamente...
Mas não pensam elas que se no manual de instruções viesse escrito como tudo deveria ser, nossa história não teria sentido algum, ou teria rsrsrsrsrsrs...
Em parte até que seria legal, não precisariamos sofrer na busca de um amor ideal, pois já saberiamos qual a pessoa caberia perfeitamente em nossos moldes rsrsrsrs...
Não sofreríamos as escolhas de qual emprego seria melhor, pois já saberíamos qual o emprego que nos caberia...
Assim como saberíamos quantos filhos teríamos, quais seriam nossos melhores amigos, os quais nos acompanhariam pela vida toda, já saberíamos o momento certo para tudo, e até poderíamos evitar qualquer tipo de sofrimento e dor.

Mas aqui fica a pergunta: valeria a pena?
E a experiência existiria?

É certo o ditado "Deus escreve certo por entre linhas tortas"...
E penso que assim também construímos nossa história, nessas linhas tortas...
Onde as relações nos mostram os amigos, nos revelam os "inimigos"...
Onde as relações nos dão os filhos...
Onde as relações nos dão e nos tiram os amores...
Até que um dia encontremos o amor que nos cabe.

Neste caminhar tortuoso...
Há alegrias...
Há tristezas...
Pessoas se machucam, pessoas tropeçam, pessoas se levantam, pessoas tomam guinadas na vida que as levam a superar obstáculos, mesmo que pareçam intransponíveis...

E tudo gira, entre gira mundos, relações e escolhas...
Onde tudo culmina em consequências.
Sejam boas ou ruins, o importante é que sejam vividas...

Agora, cabe a cada um culpar ou não os outros...
Cabe a cada um chorar ou sorrir...
A responsabilidade é pessoal... Somos nós quem permitimos ou não.
E nas relações e escolhas nos cabe convir o que é melhor...
Esperar uma vida baseada num manual de instruções, ou se arriscar em uma vida de relações e escolhas... Que mesmo tortas, nos levam a um preenchimento do ser, no fazer e no ser autor da prórpia história.

By Adalmir Oliveira Campos





terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Em outra vida um reecontro...


Como pôde coração me trair?
Como pôde o mente me confundir?

Larguei o amor certo pelo incerto e sofri.
Sofri o choro dos desamparados...
Sofri o choro dos arrependidos,
Quando já não há mais geito.

Como prosseguir amando,
Se quem realmente amo não está diante de mim.
Se ao fixar os olhos ao dizer "eu te amo",
Não sinto no coração o fogo
E liberdade de expressão que existia
Diante dos teus olhos...

De que me adinta o sexo quente,
Se não sinto seu sorriso alegre
E seus olhos revirando de amor...
De êxtase...
De prazer.

De que me adianta estar em outros
Braços, se eu queria estar nos teus.

Que saudade do seu corpo colado ao meu...
Que saudades de você me aquecendo
Com seu calor, nas frias madrugadas,
Enquanto dormiamos de conchinha.

Só me resta seguir sozinho, pois outro amor
Já não me cabe, outro amor já não me serve.

Pois são amores diferentes que não deveriam
Ter passado de uma maravilhosa amizade.

Resta a esperança de em outra "vida" um reencontro.

Amor Divino


De tantas paixões...
De tantos amores...

De encontros.
Desencontros...

De certezas.
Incertezas...

De verdades.
Inverdade...

Perdição.

O que é o que é?

Quem é quem é?

Coração figura a morte.
De tantas paixões...
De tantos amores...
Qual será a sorte?

Figura o coração à morte.

Mal me quer...
Bem me quer.

Mal querer...
Bem querer.

Mal amado,
Bem amado.

Deserto ilusões.

Qual será o rosto
Por detrás da miragem.

Alerta coração...
Se aquiete...
Se entenda...
se afirme.

Avance adiante
Da cortina de areia.
Se desviar,
Mire, atire além mar.

OUÇA O CHAMADO...

O amor o norte...
A verdade a sorte...
Oh, coração insensato,
Adiante o encontro
Com o amor que revela
No Deus menino
Que se fez humano
Que é Divino.
Que venceu a morte,
Que apruma caminhos.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Quando você se foi...


Quando você se foi... Eu sei.
Eu vi, eu permiti.
Eu pedi pra você sair.
Pensei ser o melhor pra nós.

Você se foi e nem olhou pra trás.
Não lutou, preferiu se calar.
Talvez eu fosse errado de mais.
Me calei também.

Fiz tudo pra te esquecer...
Cometi burradas mil.

Deixei de olhar suas fotos,
Embora as tenha no pc e no coração.
Deixei de fuçar suas ações virtuais.

Foi como estar no deserto em meio
A ilusões de amores.

Ilusões... Afirma meu coração...
Solidão em meio às multidões.

Grito confuso...
Grito perdido,
Aflito.

Será que você seguiu a mesma sorte?
Ou em seu norte se
Descobriu melhor sem mim.

Já não me liga.
Já não me olha nos olhos.
Já não divide notícias de você.

Doce poeira do passado que
Sopra meu presente.

Horas alegra...
Horas entristece.

Lembranças de um amor inconcluso,
Mal entendido, incompreendido,
Inacabado.

H2O...


A chuva cai.

Choro confuso...
Choro perdido...
Choro distinto.

Choro de amor...
Amor tão intenso...
Amor insensato,
Que entra em colapso.

Na água que cai,
No frio que faz,
Na escuridão que se aproxima.

Amor quer amor...
Amor que se quer.

Do homem/ mulher...
Do jeito que espera,
Do jeito que é.

Amor quer amor,
Arco iris no ar...
Luz que aviva,
Corrompe o que oprime.
Do barro o jarro,
Do líquido a vida.

Calor que é amor.
Na cama a dois...
Sorrisos, gemidos.
Sexo calor...
Da chuva o sol...
Perdi meu amor...
"Meu mundo caiu".

Da chuva pro rio...
Salgado no mar,
Se foi.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Elos quebrados...


Nem sempre os compromissos feitos são levados até o fim...
Na busca constante de felicidade, muitas vezes mudamos de caminhos,
Sempre na esperança que seja o melhor para todos...

Erramos...
Erramos...

Mas sempre com a intenção de acertar...
Até que um dia consigamos.

Mas outros sonhos virão, outras lutas, outras conquistas
As mais diversas, às vezes um novo amor...

O sofrimento às vezes é inevitável...
Mas cabe a cada um permiti-lo
Ou não em suas vidas...
Dando força ao mesmo num processo
Continuo de dor, ou encerrando o mesmo
Na busca da superação.

Ver alguém sofrer por consequência
De nossas atitudes em querer viver
Plenamente a vida às vezes gela a alma
E entristece o coração.

Mas, a escolha por viver em
Sofrimento, é pessoal e intransferível.

Sabe-se que nem todas relações têm um final feliz.
Nem todos os amores dão certo...
Nem todas as amizades correspondem
Do mesmo modo segundo os interesses
Pessoais e coletivos.

São tantas indagações...
São tantos os por quês...

E esses fenômenos ainda permancem sem respostas.

Muitos relacionamentos começam...
Enquantos outros encontram o seu fim.

E para onde vai o amor?
Como "na natureza nada se perde e tudo se transforma",
O que é desse amor?

Será algo acabado, sem valor e vazio?

Será ressentimentos, mágoas e ódio?
Será choro e ranger de dentes?

Ou será o contrário de tudo isso?

Respostas a tantas indagações
Sofrem variáveis, as quais depedem
Das atitudes e comportamentos
De todos que se envolvem em conflitos,
Que se definem nas consequências
As mais diversas, sejam para o bem o para o mal.

Tudo, é questão de escolhas de quais atitudes
E ou comportamentos serão adotados perante as experiências
Que todos seres humanos estão sujeitos todos os dias.

Amores distintos...


O amor é resiliente...
Ele é capaz de se trasnformar
E no respeito mútuo tornar-se
Um presente Divino.

O amor, quando não pode seguir
Lado a lado...
Pode seguir paralelo e mesmo
Em caminhos opostos e distintos,
Ele pode superar qualquer espectativa
Burlando os buracos do coração e se
Revelando numa bela amizade.

Porque criar barreiras?
Por que fechar a cara e impedir sorrisos?
Porque impedir o olhar nos olhos,
O aperto de mão e o abraço amigo?

Quando vivemos o amor ágape...
Nos tornamos almas confidentes
Capazes de promover momentos mágicos
E inesquecíveis que só uma
Verdadeira amizade é capaz.

Por que lutar contra?
Por que impedir o voo da borboleta?

Não há maior valor do que uma verdadeira
Amizade, principalmente se esta é guiada
Pelo amor ágape.

Amor que é amor...


Amor que é amor, é acompanhado de ação.
Amor que é amor, é regado de paixão.
Amor que é amor não é perfeito eu sei.
Amor que é amor é construído no dia a dia,
Nas coisas simples da vida.
Amor que é amor sofre metamorfoses...
Amor que é amor é resiliente e sempre encontra
Maneiras de continuar existindo.
Amor que é amor é assim:
É simples;
É puro;
É real;
É regado a morango com chantily.
Engorda, emagrece...
Morre e reaviva...
Chora e se regozija no sorriso...
Faz sofrer e faz ser feliz.
Amor que é amor, é busca constante
Neste caos, de harmonia em
Todos os segmentos da vida humana.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Sonhei com você


Hoje sonhei com você.
Foi um sonho diferente dos demais.

Não sei por que,
Sonhei sem adormecer.

Olhos inertes.

À frente o filme rolava.
Era a história do nosso amor.

Lágrimas caiam diante das cenas
Que lentamente se processavam.

Carinhos intensos...
Amor sincero...
Amor tão belo.
Amor ágape eu sei.

Escuridão...
Acabou-se o sonho...
A mágica se desfez.

E o que era real também.

O que fazer se só você me recompõe?

Não me deixe curtindo a solidão
Com a lembrança da partida...

Saiba então que és o grande
Amor da minha vida.


quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Em busca do amor...


Busco um amor.
Amor ireal
Que me leva ao céu,
Pequeno imortal.

Numa transa intensa...
Fagulhas.
Beijos...
Carícias.

Amor que faz das primícias
Algo quente...
Entorpece a alma sedenta do êxtase.

Busco um amor diferente
Que arrebate o descrete.
Que faz do ireal
Transparência.
Confusão apagada...
Distinto, rosto amada.

Ilusões...
Fantasias...
Devaneios...
Descaminhos.

Busco um amor.
Amor ireal.

Amor que é o meu
Na busca do seu.

Amor que completa,
Que preenche o vazio,
Que encerra a procura do amor ireal
Que se faz na verdade.

Minha pele na sua...
Suor...
Beijos...
Carícias...
Colados no cheiro
Das almas,
Magia real.

Busco um amor sem igual.
Amor que é o meu,
Amor que é o seu.
Amor ireal... Real.

O que dizer do amor????????

O que é o amor?
Calmaria sei lá...
Selvageria talvez.

O amor que a gente fez
Brilhou feito estrelas no céu,
Caiu sobre o mar.

Inundou minha vida.
Chocoalhou, bagunçou.

Me perdi sem você.

Hoje sou como mariposa
Que espera a morte...
Que se joga na sorte.
De poder viver noutro amor.

Seus braços, abraços...
Seus beijos, seu cheiro...
seu calor, seu amor.

São lembranças de um sonho vivido
Que não se realizou.

Sonhos, fantasias...
Inebriante vício chamado amor.
Busca constantemente final feliz
No afastamento da insensatez do coração.