sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Amor que não vem


Tenho saudade de paixão avassaladora...
Amor em turbilhão que já vivi nas
batidas desse coração.

Há tempos, dissabores..
Desilusões e desamores.

E o amor que é bom?
Por que não me vem.

Será que o cupido esta sem flechas?
Será que o mesmo erra e não encesta
este amor que almeja vir?

Oh cupido, anjo do amor
tem dó de mim.

Poesias já não escrevo.
Suspiros já não solto.
Sorriso já não me vem.

Coração desritmado
Anseia sangue novo e
avivamento no encontro
com o outro certeiro
de um amor que dure
mais que um verão,
inverno ou um fevereiro.

Amor verdadeiro que complete...
Amor verdadeiro que sustente...
Amor verdadeiro que sacie essa fome,
essa sede de não mais mendigar por ai.

Um beijo, um abraço, uma carícia
uma boa suada na cama, no sofá, na rede,
na varanda.

Um amor e não apenas uma transa.

Sou das antigas, sou romântico.
Curto surpresas, coisas ousadas,
que vão além do que me oferecem
atualmente nas ficadas por ai.

Tenho saudade de paixão avassaladora...
Amor em turbilhão que já vivi nas
batidas desse coração.

By Adalmir Oliveira Campos 

Motivos para sorrir


Busco durante o dia motivos para sorrir.
Tudo tem sido nuvens e cinzas.

O sol já não clareia dentro de casa.
O pó invadiu a alma.

Vida traiçoeira.
Nem tudo que quis aconteceu.
Muitos sonhos vi morrer.

O que fazer?

Busco durante o dia motivos para sorrir.
Um olhar.
Um aperto de mão.
Um olá, um bom dia.

E os dias se vão, rápidos,
velozes como raios que cortam os céus.
E eu busco durante o dia motivos para sorrir.

Um romance.
Um flerte.
Um beijo,
Abraço, afeto
Amor e sexo.

E a cama ainda me chama para dormir
mesmo quando o sol vai ao marco
do meio dia.

E eu busco durante o dia motivos para sorrir.
O trabalho escravo assalariado já não me empolga
me mostra ofício que a nada leva, que o humano não eleva,
a não ser a dor de um mundo insólito e agitado.

E eu busco durante o dia motivos para sorrir.
Religiões, doutrinas, ensinamentos e filosofias,
mostram-se vãs cujas palavras não
acompanham as ações, e se perdem no vazio
os crentes que se perdem nesse emaranhado
que se assemelham às atuais políticas que
guiam as sociedades.

E eu busco durante o dia motivos para sorrir.
Por que ainda aqui dentro de mim, ainda existe um pequeno grito
de deixa eu viver, pequeno grito que diz não vale a pena morrer.

Mas ainda busco durante o dia motivos para sorrir.

Já me perdi.
Já não creio tanto assim que a vida possa melhorar,
embora possa.

Já mi vi nas páginas em branco sem nada escrever.
Já me vi nas telas lisas sem nada pintar...
Recicláveis se entulham...
Sonhos adormecem, e eu me perco durante o dia
buscando motivos para sorrir.

O ânimo se foi.
Mas mesmo assim busco evoluir...
Na esperança que ainda resta de nesta busca
encontrar os motivos para sorrir.

By Adalmir Oliveira Campos