quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Vingança....

A pior ação, é aquela realizada com vingança.
Ela entorpece a alma, adoece o corpo, e dilacera o coração.
Felizmente, maltrata quem a pratica.

É preferível agir no amor e no perdão...

Remoer passado é prender-se ao
Que já não tem mais retorno...

Amar, é mais que tudo...
Vingança é anti-amor.

A Vingança É A ASSASSINA do amor...
Ela entra na vida do amor...
Adoece o mesmo...
Faz dele ódio...
E depois impetuoso arranca-o do coração.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

É tempo de ser feliz...

Chega uma hora na vida,
Que basta de dor e sofrimento...
Sabe-se que isso é impossível.
Mas, não custa nada tentar.

A felicidade está nas coisas
Simples da vida...
Como o simples fato
De saber se amar...

Do amor que vem de se...
Do amor que vem do outro...
Das amizades...
Das pequenas coisinhas cotidianas,
Que tornam banais tudo  o que provoca
INFELICIDADE.

Felicidade ou Infelicidade,
Não é culpa de outrem.
Não é algo exterior...
É responsabilidade de cada um.

Felicidade


Só uma palavra define o que vivi no último ano...
FELICIDADE.

Vivi de forma intensa um grande amor...
Um amor que muito me ensinou...
Experiências que levarei para o resto da vida.

Na distancia...
Na saudade...
No amor ao telefone...
Nas mensagens que nos
Fazia presentes na vida um do outro...
Na presença, na ausência.

Aprendi a exercitar a paciência...
Aprendi a curtir mais a vida,
Não levando-a tão a sério.

Aprendi a dizer eu te amo!
Aprendi a confiar e me entregar por inteiro.

Foram tantos os aprendizados, que eu ficaria
Horas escrevendo, e até daria um livro esse Romance.

Nos beijos, nas carícias, no amor e no sexo, me entreguei
E senti prazer que nunca senti igual...

O sonho foi real.

Pena que foi necessário despertar.

Mas não somos culpados...

Foram tantos planos, tantas promessas
Que tiveram VALOR enquanto
Persistiram os sonhos que também foram reais.

Mas nossos caminhos, sonhos, e ideais de vida tornaram-se distintos...

Foi necessária a conversão...

Para promover um amor maior, mais sublime
Que é o da verdadeira amizade.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Mereço o melhor


Graças a um toque amigo
Resolvi ficar na minha...

Curtir a solidão rsrsrsrsrsrsrsrs
Curtir um pouco de mim mesmo.

Tantos anos me entregando aos outros
Que já ia me esquecendo.

Tanto tempo a procura do amor,
Que já estava me perdendo.

Não que eu seja a última coca do deserto.
Descobri que estava precisando me casar
Comigo mesmo...
Buscar me preencher com o meu amor.

Já estava com saudades de mim...rsrsrsrsrsrsrs
A quanto tempo não cantava no chuveiro...
A quanto tempo não dançava diante do espelho.

De tanto amor aos outros,
De tanto me entregar...
Cheguei ao ponto de me abandonar.

Quis mudar para me adaptar...
Quis ser diferente para ser aceito.

Hoje, no silêncio, de cabeça fresca...
Pensar tranqüilo...

Me vejo mal amado...
Mal querido...
Maltrapilho.

Sei que eu mereço o melhor,
Esse é o pensamento que tenho comigo.
De que adianta amar aos outros
E ser seu pior inimigo?

Novos horizontes


Te pedi perdão...
Não quis perdoar.

Ficou remoendo mágoas
Passadas, como se também não tivesse errado.

Como recomeçar se seu coração 
Imperfeito está?
A estranheza desse coração deve ser
De não saber perdoar.

O amor supera tudo...
Penso que não soube me amar.

Se tivesse me amado de verdade,
Mesmo com o coração dilacerado
Você teria me olhado com o primeiro olhar.

O perdão seria exato
E os erros apagados...
Para um novo recomeço...
Rumo a um novo fim.

Se hoje na sua vida não tive espaço.
Siga feliz.

Da minha parte, mesmo também tendo errado,
Está tudo perdoado.

Sem voltas ao passado.
Pois é pra frente, para adiante
Rumo a novas experiências e aprendizados,
É que se anda, na busca do verdadeiro amor.

Correr atrás já não dá mais...
Você fazendo-me de palhaço.
Me humilhando, me deixando sem espaço.
Brinca com meus sentimentos como quem se vinga.
Fazendo-me esperar, zombando de mim,
Não confiando no meu amor.

Se voltei atrás, foi por que tive certeza que era especial,
Mas me enganei...
Não quero trazer para o presente todo esse mal,
Dor e sofrimento desnecessário...
Que podem sim, me levar a te odiar.

Chega...
Basta.
Me amo de mais.

Dos meus olhos,
Só caíram lágrimas daqui em diante,
Para a pessoa merecedora do meu amor.

sábado, 9 de outubro de 2010

Vem para o meu presente


Nos caminhos que andei...
Nos amores que vivi...
Me vi olhando para o passado
E percebi que o meu futuro
Dependia de alguém que ficou para trás.

Muito tempo se passou.
Mas hoje, aqui chorando...
Me vejo de novo te amando
Como no primeiro dia que a vi.

Seus olhos  lindos, castanhos claros,
Brilho intenso, amor por mim.
Seu sorriso de menina...
Desejando corpo quente o meu amor.

Você me faz parecer um "bobo",
Que anseia loucamente
O seu retorno.

Meu presente, vazio está...
A espera que você volte
A preenchê-lo.

Foram longos estes dois anos;
Mas parece que foi ontem
Que você saiu por aquela porta...

E seria tão bom que
Por ela você retornasse.

Ansiosamente te espero.
Nem que seja por quinhentos anos.

Pois hoje, tenho certeza
Que ninguém mais cabe em minha vida,
A não ser você.
Você é o meu destino.

Estátua


Sei que tem razão em me dar um gelo.
Há dois anos te deixei para trás.
Há dois anos busquei viver em outros braços
Que não eram os seus.

Mas, seguir caminhos opostos foram
Necessários naquele ano.
Sei que foi muito choro.
Sei que foi muita dor.
Sei por que também senti.

Mas mesmo te amando, tive que partir...
Parti para me encontrar...
Te perdi pra te reencontrar.
Orgulhoso segui.

Nas estradas onde andei,
Entendi que podia ser diferente...
Que talvez mais maduros, sobre o efeito
Resiliente das experiências adquiridas.
Poderíamos nos entender.

Ao procurar por você,
Ao me declarar...
Ao demonstrar que com o tempo poderíamos
Ser dois em um.

Você me aparece fria...
Mesmo tendo amor por mim.
Amor que esperei...
Amor que busquei...
Amor que sonhei.

Meu coração gelou.
Você me paralisou...
Diz ter medo de mim.

Estátua me torno.
Frio, cego, surdo, mudo...
Sentidos inertes.

O tempo necessário para um dia
Retornar aos caminhos do amor
A dois.

Dor...


O que fazer quando o coração está confuso?
Gostaria da receita para esse mal.

Sofrimento, dor e amargura
Que quase me consomem a alma
Numa solidão sem igual.

Ninguém percebe...
Nem demonstro.
Pois ninguém têm culpa
Do furacão que destrói tudo dentro de mim.

Sigo em frente.
Sorrisos, falsa alegria...
Tudo faço para alegrar as alma amigas
Que não merecem a dor da perda,
E da espera de um grande amor.

Dor da perda...
Dor da espera...
Dor da incerteza.
Dor.

O que me move e faz continuar,
É a certeza de que os outros
Amores aos quais dedico...
Comunidade, amigos, família...
São metade do amor que preciso
Para viver bem e plenamente feliz.

Vou andando meio "cambeta",
Até que encontre
Caído das asas de um cometa,
O amor que busco e espero.

Amor, que se não for perfeito,
Caiba nos sonhos dos dois.

Te espero à luz de velas

Me declarei...
Falei do meu amor...
Pensei que isso tocaria seu coração,
E romperia com seu orgulho.

Mas você insiste em me fazer sofrer...
Se vinga friamente de mim, por um dia eu ter te deixado...

Minha alma torna a derramar lágrimas de sangue...
E não sabe se vai resistir à sua ausência,
Ao seu desprezo...

Será que ainda existe amor?
Será que está insegura...
Será que já têm outro?

Não sei.
Só sei que se me der um novo voto de confiança...
Será para sempre...

Está claro em meu coração o que sinto por você...
E o que eu quero para mim e para você.
É amor, é paixão, é carinho, ternura e muito mais.

Enquanto aguardo um retorno seu...
Sofro calado...
Pois me dói correr atrás...

Já botei pra fora todo o meu orgulho.
Agora só me resta esperar.

Rezo...acendo velas, peço luz a Deus
Para iluminar as nossas vidas...
Para que se for para sermos um novamente,
Descubramos o caminho mais certo...
Para que o amor prospere em nós.




terça-feira, 5 de outubro de 2010

Renúncias...


Como renunciar verdade,
Para viver e aceitar mentiras?

Como renunciar presença,
Para aceitar ausências?

Como renunciar beijos, carícias e sexo,
Para aceitar a distância, ou constante cansaço?

Como renunciar desejos, sonhos e vontades pessoais,
Para viver os desejos, sonhos e vontades alheios?

Despertar...

Renúncias assim, são anti amor.

Amor, é cumplicidade...
Amor é compromisso...
Amor é presença...
Amor é desprendimento...
Amor é doação...
Amor é verdade.

Amor é crescimento a dois,
E funciona como via de mão dupla...
Num vai e vem que beneficia a todos...
Numa ação de grande fluxo, mutuamente
E continuamente.

Homem de verdade

Hoje você procura por um homem de verdade,
É o que diz o seu perfil na internet.

Mas, o que é um homem de verdade para você?
O que tem o homem de verdade que os outros homens não têm?

Será que são tão belos, especiais e perfeitos assim?
Será que são tão diferentes dos que conheço e de mim?

Hoje, isso já não me importa...
Que seja breve a sua sorte;
Que ele caiba nos seus sonhos,
Nas suas vontades e ideais de vida.

Que ele seja mais do que fui,
E não se torne também um homem comum...
Que também sonha, canta, chora e sorri,
Que também têm carências e um pouco de criança.
Que também têm esperança de formar uma família feliz.

Siga seu sonho, que enquanto homem comum, seguirei
O meu.

Aquela que me merece está ai, à minha procura...
É questão de tempo, eu e ela seremos um.
União que nos fará homem e mulher de verdade...
Que primam pelo ser...e não pelo ter.
Pelo respeito, amor e compromisso...
Numa união transparente, que harmoniza e eleva
Ao ápice da felicidade pessoal e coletiva.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Lembre-se...

Lembre-se, que quando chorou, chorei também;
Assim, como quando sorriu, sorri também...
Quando me amou, te amei também.
Veio a separação, não por falta de amor,
Pois este sempre foi demais.
Mas por divergentes opiniões.

Busquei novo amor...
E amei... mesmo te amando.
Um dia sequer, deixei de pensar em você.

No novo amor, que amei também,
Me lembrei do amor gostoso que fazíamos "tontos" na madrugada,
Na rua às escondidas, no quintal de casa, das nossas rapidinhas...
Tudo isso, quando o novo amor me gelava.

Nas situações que vivi com o novo amor,
Muitas me traziam o desejo de te ter novamente
Em meus braços.
Cruel orgulho, que cega...
O novo amor, tinha tudo pra dar certo...
Mas com o tempo, veio as horas de solidão...
Vazio, tristeza, escuridão.
Nas quais me lembrava do quanto me amou,
E que mesmo com seus defeitos,
Sempre se fazia presente.

No trato, no carinho, e no sexo sua dedicação
Sempre foi excepcional.
Coisas que o novo amor só dedicava à prestação.

Me lembro das lágrimas de sangue...
Que se não saem dos olhos, saem da alma,
Por não ter dado valor ao seu amor.

Mas mesmo assim, decidido que estava,
Seguia com o novo amor, buscando amar
E ser amado.

Mas tudo passa...
O novo amor se foi.
E eu e você já a tempos não somos dois...
Somos como pássaros livres para viver...
Mesmo que seja um grande e novo amor...

Espero que pelo menos reste a amizade
Em nossas relações, para que sem culpa,
Possamos enchergar o amor que vivemos
E possamos dizer "veleu a pena".

Mas como tudo neste mundo é passageiro...
Mas como nesse mundo tudo é dinâmico...
Eu também o sou, e preciso seguir em frente...
E em frente eu vou, com uma experiência a mais,
Que com certeza me possibilitará ser mais feliz...

Nasci para amar...
Só me resta o presente, o qual me impulsiona
A seguir em frente, e quem sabe
descobrir ou ainda redescobrir o amor.

É tempo de luto...
É tempo de luta...
É hora de libertação.

Metamorfose que me transmuta e me prepara para
Ser nova criatura...
Transmutação que me abre novas possibilidades...
Novos sonhos...
Novos rumos...

Em frente eu vou...
Por que, quem cisca pra trás é galinha...
E quem anda pra trás é caranguejo...
Mas se partindo daqui, quiser ir comigo...
É só felicidade.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

A última carta

Se pedi a separação não foi por falta de amor...
Muito pelo contrário, foi por não me adequar
Ao que você esperava de mim...

Enquanto eu te amava e te queria perto...
Enquanto eu te deseja e te queria no amor e no sexo...
Enquanto eu me doava por completo...

Você se afastava e só falava que me amava...
Mas nas suas ações...
No que tinha pra hoje...
Você foi me expulsando da sua vida...

Se pedi a separação, foi por não aceitar ficar longe de ti...
Se pedi a separação, foi por não querer ficar longe
Dos seus carinhos, do seu amor e presença.

Mas você preferiu ficar debaixo das asas genitoras...
Preferiu não crescer...
Se é sua vontade, E´direito seu, não posso negar.

Mas por isso e por me amar, não foi possível continuar.
Você sempre soube das minhas intenções...
Mentiu, omitiu...Adiou sonhos e promessas.
De sete viraria dezessete...
E eu quase aceitei esperar...

Não quis jamais me opor à sua família.
Só quis formar com você uma família.
Uma família baseada no amor, respeito,
COMPROMISSO, e cumplicidade...
Coisa que não vinha acontecendo.

Você se entregou pouco, esperando se entregar no futuro.
Você me isolou, me gelou...
E assim, foi me expulsando da sua vida,
Quando me oferecia ausência de você...
Bobo seria eu se aceitasse.

Quando se dedicava aos outros e me fazia promessas de
Um futuro incerto, eu tentava me adaptar a você...
Tentava levar a situação.
mas não deu.

Meu orgulho e amor próprio mais uma vez me fizeram decidir recomeçar.
que pena que não foi com você.
Pena que você nem percebeu...
Seu amor não foi suficiente...
Que pena.

Mas sigamos em frente, se não foi,
Diria o poeta, é por que não era pra ser...
Mas tenha certeza, que o pouco que construímos,
Me fez ver em você a amiga, a irmã
Que espero uma dia, após cicatrizarem as feridas
Possamos confirmar.

Saiba que o amor que tive por você, ainda existe...
Que nesta história por minha parte tudo está perdoado...
Já não existem culpados...
O amor, resiliente que é,
Se transformou em algo pra nós que pode ser um bem maior.

domingo, 26 de setembro de 2010

Bagunça, credo...

Estou aqui, com uma vela acesa, cadeiras para o alto,
Móveis afastados.
Empunhando rodo, vassoura, pano e produtos de limpeza.

Faxino a minha casa entre lágrimas...
E assim, me distraio, pois faxinar a bagunça do
Coração está difícil.

Só o tempo pode curar a dor de uma ausência.
Só o tempo pode curar a dor de um amor que se foi.

Não há nada a fazer.
Não existem produtos de limpeza
Que realize a faxina do coração.

Somente o tempo, a paciência, a esperança
E o amor podem renovar, reciclando o coração
Espedaçado; Que perdido escurece a alma
Que clama por socorro e avivamento.

Faxina



Minha casa está limpa...
Retirei todo o pó.
Pena que o coração é exigente,
E age no oito ou oitenta.
Se regozija nas alegrias,
E se despedaça com as desilusões.
Para recompor, só o tempo.

Chora minha alma

Minha alma chora...
Dela saem lágrimas de sangue.
Pois um pedaço se foi
Como poeira ao vento.
Pensei que seria para sempre.
Mas o para sempre ainda não é.

Chora minha alma...
Chora.
Teu choro escarlate cicatriza as feridas.
Teu choro escarlate me fortalece.
Teu choro escarlate me prepara.
Teu choro escarlate me renova.

Chora, chora o choro dos aflitos,
Que clamam por misericórdia...
Chora, chora sem demora o choro que me esvazia.
Chora, para que eu possa me refazer e me encher de novo.

Amor X Amizade

Na cadência ritmada do meu coração...
Uma música fúnebre encerra um grande amor...
Mas como na vida nada se perde...
Algo maior transcende.
Espectro refletido na terna, pura,
Sincera esperança de uma grande amizade.

Vida nova

Minha alma no mais profundo do meu ser, busca a luz...
Luz que anima e faz viver...
Luz que alegra e me faz ser:
Um ser que ama;
Um ser chora;
Um ser que canta.
Chuva, sereno, enchorrada, que da
Telha se faz escaldada.
Lava-me de toda sujeira,
E me faz vida nova no criador.

Tudo passa


O que fazer quando o vazio imenso invade seu ser?
Quando a alma chora e arranca suspiros?
Quando sem rumo já não sabe o que fazer?
Quando não se visualiza um futuro, o
Qual obscuro e incerto se potencializa?
O que fazer?
Dormir, sonhar e lutar.
Amanhã é um novo dia, tudo passa.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Saculejos...

Quem foi que disse que amar, é ser feliz todos os dias?
A vida e o amor são como almas gêmeas...
Estão sempre em busca de se unirem...
Embora, saibam que uma união é cheia de altos e baixos...

Saculejos que abafam a comodidade.
Saculejos que transformam sonhos em realidade...
Saculejos que moldam o ser...
Saculejos que aprimoram...
Saculejos que fazem com que amor e a vida busquem
Unir-se constantemente.

União, que com o calor, visgo vermelho sangue.
Se mantém,
Num processo continuo de avivamento...
Que se vê por toda a terra.

Das certezas, incertezas...
Das verdades, inverdades...
Das estrelas os sonhos...

Da queda, a construção de uma realidade..
Que com rima ou sem rima atrai os corações
Num sopro que une os viventes, mortais e imortais. 

Seguir amando

Às vezes acordo com o desejo imenso de seguir a vida sem amar.

A gente ama, se entrega...
Sofre, se alegra, chora e sorri.

Há desentendimentos...
Há as brigas,
Os contetamentos e descontentamentos.

Às vezes estamos por cima...
Outras vezes estamos por baixo.
Tristeza, alegria, nostalgia.

Aos trancos e barrancos percorremos o caminho.

Mas seguir a vida sem amar...
Ainda não é a solução.

Seguir a vida sem amar,
É pensar pequeno...
É pensar de mente vazia.
É tornar-se, ser inerte, estéril a vagar por um mundo
Que só existe EM CONSEQUÊNCIA DO AMOR.

Paixão, amor e sexo


Fico a pensar...

Por que se deita longe e sonha o nosso amor,
Se pode me ter a hora que quiser?

Fico aqui a te esperar...
E você cansada não vêm.
Diz que vai dormir.

Ao acordar escreve poesias
De um sonho em que me teve em seus braços.

Isso me deixa confuso?????????????
Será que sou melhor nos sonhos?
Ou será que estes sonhos escritos
Em poesias são com outro amor?

Você fala que me ama várias vezes ao dia...
Me beija.
Me joga na cama...
E na maioria das vezes se vai.

O cansaço é maior.
O sono é maior.
O sexo gostoso fica pra depois.

Será que sou eu que quero de mais?
Ou será você que se satisfaz com pouco?

Será que quero só sexo?
Ou será que quero os dois?
Amor e sexo são tão bons.

Meu fogo e calor se intensificam
Quando me aproximo de você.

Será que sou errado em te desejar?
Ou será você a errada em me evitar?

Fogo que se acende.
Fogo que se apaga.
Em mim, fica a ansiedade, o medo,
A insegurança e às vezes
A angustia da incerteza do seu amor.

Sei que amor não é só sexo.
Mas, sei também que a ausência de sexo
Muitas vezes denota falta de amor.

Se me ama ou não,
Me fale ao pé do ouvido.
Com ou sem sexo, por amor vou te entender.
Se me amas, por te amar,
Até abafo um pouco o meu fogo.

Embora, fosse tão bom que você
Maximizasse o seu amor...
De maneira que o encontro fosse uma
mistura inebriante de PAIXÃO, AMOR E SEXO.

Amor real

                                                                
No mundo, cada ser humano vive e entende o amor ao seu modo.
Cada um segue a sua lógica, sempre partindo de si para o outro.

Penso que isso não é errado, pois é preciso se amar primeiro.
Mas quando o amor narcisista é superado, e uma outra pessoa entra na nossa história, o que fazer?
A lógica deve ser a mesma, ou deve se considerar a lógica do outro?

É indiscutível as diferenças neste viver e entender o amor.

Diferenças que muitas vezes aproxima.
Diferenças que muitas vezes distancia.

Há diferentes amores...
Isso é uma certeza absoluta.
Há amores que se completam.
Há amores que se esvaziam.

Amores, amore, amor.

Alguns preferem o amor virtual...
Outros preferem sonhar o amor...
Há aqueles que preferem viver intensamente o amor.

Qual será o amor ideal?
O virtual?
O do sonho?
O real?

A cada um cabe o seu mal,
Ou seja, o seu jeito de amar.

Jeito que encontra jeito;
Jeito que combina;
jeito que completa.

Geralmente, o amor não é aquele que se escolhe, é aquele que acontece.

Mas, eu pessoalmente prefiro o amor real.
Ali, cara a cara;
Olhos nos olhos;
Boca na boca;
Abraços, beijos, carícias...
Calor e amor intensos.

Não descarto o amor sonhado que se desperta
Aos afagos assanhados com a pessoa amada.
Amor que se tempera durante o dia, e que de virtual
Se torna real a cada novo encontro.



terça-feira, 10 de agosto de 2010

Avatar: Sugere equilibrio e liberdade


Dentro de mim pulsa um coração...
Um pulsar, que remete ao ser, o anseio por liberdade.
Liberdade que respeita a vida e os viventes...
Liberdade que se faz da partilha, do cuidado e do equilibrio.

Esse pulsar é uma constante.

É tal qual ponteiro de relógio...
Num TIC TAC sem fim...
Entra e sai pulsando dentro de mim.

É minha alma que luta e labuta presa a este mundo
Que muitas vezes se mostra mesquinho.

Minha alma ruge feito leão inconformado
Com o sistema zoológico.
Ela ruge, salta, e ataca o que oprime...
Buscando ser libertada,
Almejando ser amada,
Anseando alforria deste sistema lunático.

Sistema que aliena.
Sistema que condena ao conformismo...
Que favorece aos poucos e exclui a maioria...
Sistema que aos poucos leva à morte os corações
Cansados desta luta que parece sem fim...

Às vezes até o leão mais feroz, se torna frágil diante da jaula...
E fica sem forças para lutar...
Mas como todo leão que se presa...
Espera a oportunidade certa, e quando não a têm, a faz.

Tudo é questão de tempo...
Tempo de despertar do sono profundo...
Despertar que se faz no amor e pela Educação.

O que liberta?
Será a morte do corpo?
Das lembranças, das lutas, dos sonhos?
Será a sorte?

Será o conhecimento o norte?
Ou será o amor que abrandará e a tudo transformará?

Abarrotado vou...
Mas vou como leão que espera.

Sigo meu caminho...
Luto,
Choro,
Dou risadas,
Canto.

E assim vou em busca do Avatar para a minha vida...
Avatar que sugere um Holos universal, de liberadade real...
Liberdade que possa banir a escravidão maquiada,
Onde a vida seja de menos palavra/ mais ação;
De  menos dor/ mais cor;
De menos morte/ mais vida;
De menos ódio/ mais amor;
De menos faltura/ por mais fartura;
De menos desigualdade/ mais igualdade;
De menos desequilíbrio/ mais equidade;
De menos preconceito/ mais aceitação;
De menos racismo/ mais noção de que somos irmãos;
De menos guerra/ mais paz entre as nações;
De menos capitalismo/ mais igualdade ao repartir o pão.

Sonho de que um Avatar habite em cada coração.

Pizzaiolos e Massas


Não sou de muitas palavras,
Sou de muita ação.

Não me apego aos floreios da língua,
Uso o que sai do coração.

Se não existe concordância nominal ou verbal...
Deve ser o reflexo discrepante das discordâncias sociais.

Onde quem trabalha muito ganha pouco,
E quem pouco trabalha ganha muito mais, e mais.

Quem deras houvesse a inversão piramidal,
A qual  sustenta todo esse mal,
A massa que é amassada, enrolada, assada, 
Surrada, mofada e às vezes jogada aos cães, tomasse lugar
Do poderio dos pizzaiolos.

O pizzaiolo, que suga e se beneficia da massa que sustenta o 
Todo, seria dominado pela massa, que muitas vezes se mantém do nada.

Quem deras se a massa virasse pizzaiolo e o pizzaiolo virasse massa.

Amassada não seria a massa e o pizzaiolo já não
Existiria pois se incorporaria à massa.

Massa que se mantém;
Massa que constrói;
Massa que se faz na adversidade, na ação;
Massa que busca equidade;
Massa que visa o bem comum,
Que no fim, serve toda a massa ou o que resultou da massa,
Belo confeito, onde o feito é pra toda a massa.





segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Terror, realidade ou ficção?


No mundo de hoje, as pessoas estão diferentes...
Parece que perdem a humanidade a cada dia.

Demonstram "devoradores" de si próprios...
Aos poucos vão se destruíndo, e fazendo da história, um verdadeiro filme de terror.
Os telejornais, as telenovelas, a mídia de um modo geral, friamente publicam a "verdade", que dizem ser a verdade que todos querem ver, e que todos querem saber.

Verdades bárbaras que antes só eram vistas nas ficções e no terror imaginário...
E que hoje, como mágica tornam-se realidade.

E´pai matando filho, é filho matando pai...
É idoso, é criança, às vezes numa chacina, é a família inteira?
E por quê?
Por causa das drogas?
Por causa das vaidades humanas?
Por causa do dinheiro?
Por causa do preconceito?
Por causa do racismo?
Por causa da soberba e da ganância?
Ou será por falta de Deus, ou ainda por não seguirem príncípios éticos e morais que norteiam a vida em sociedade, os quais são pautados nos valores universais que se fundamentam no amor, na verdade, na integridade, no bom caráter, dentre outros?

Como sempre, ficam sem respostas as perguntas.
Embora ,seja a busca de respostas às perguntas, duvidas e incertezas o que movimenta a vida.

Penso que todos têm uma parcela de culpa neste atual cenário de terror, no qual vivemos e que somente com Consciência, conhecimento, ciência, sabedoria, religião e ação podemos mudar este cenário.

A começar pela consciência de que do geito que tá, não dá...
Como viver em meio a tanta violência, e incerteza?

O conhecimento pode transformar...
Ele pode levar as pessoas a verem que a coisa tá feia e necessita mudar.
A educação têm o poder de fazer enchergar o que está cubado, a sujeira por debaixo do tapete.
E só ela pode impulsionar para que a faxina seja feita com precisão e agilidade que salve a humanidade.
O mundo atual, capitalista e desumano, esconde as dores, a violência, a fome, a miséria, o desrespeito a vida e à dignidade humana, com falsos sonhos e ideologias, que banaliza o amor, a amizade, o carinho, o respeito e tudo que contrapõe a vida em sua plenitude.

A ciência, precedida da sabedoria, inteligência, religião, ação e do amor, têm o poder de trazer a eqüidade que o mundo e as pessoas precisam, para que o terror, torne-se comédia, ação, romance, etc, alterando este cenário, tornando-o cenário de amor.

Será isto possível?
Eu creio que sim, pois outros maiores que eu, creram também e profetizaram esta mudança.
Um deles, até se entregou na cruz por acreditar que as coisas podem ser melhores.
Ele se entregou por amor...
Na sua entrega, denunciou o abuso do poder dos governantes para com os governados.
Demonstrou que como filhos do Pai, somos irmãos e todos herdeiros desta terra e de tudo que ela proporciona, onde a divisão e tratamento devem ser igualitários.
No seu exemplo diante da cruz, nos mostrou sobre o amor, sobre a entrega na busca de algo maior e melhor, que é uma vida plena e feliz, onde não há dor, não há frio, não há fome, não há nem morte...
E tudo caminha pra isso, e tudo pode chegar a ser esse sonho, desde que este sonho seja de todos e a luta na conquista do mesmo também.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Ainda prefiro seguir te amando...


Quero saber o que ocorre com você.
Ultimamente você está tão distante.

Recusa me olhar nos olhos;
Diminuiu seus beijos;
Até as conversas estão mais curtas.

Será que a chama que emana em seu peito esta se apagando?
Será que já não sou mais merecedor deste teu amor?
Será que este amor está fadado a se transformar numa amizade?

Você não me fala nada.
Fica ai calada nos cantos.
Eu também me calo, evitanto discursões.
Meu coração em meio a este silêncio ensurdecedor,
Vai te amando cheio de dúvidas e temor.

Temor de te perder;
Temor de me esborrachar no chão;
Temor de ter que me levantar de novo,
E começar a procurar por um novo amor.

Não sei por que, mas meu coração necessita tanto de amor...
Tanto do seu amor, como a locomotiva precisa do carvão
Para se locomover e se abastecer.

Se seu amor por mim se foi como poeira ao vento.
Não temas, pode me falar ao pé do ouvido.
Sofrerei perante a verdade.
Mas me alegrarei em ter a certeza
De que não estou sendo enganado por um amor
Covarde, que age com piedade, por medo de fazer sofrer.

Saiba que só esta dúvida já me mata,
E que este silêncio me congela.
Com certeza a verdade me clareará as idéias
E me mostrará que ainda é possível recomeçar...
O que melhor seria com você.

Mas, se não for com você,
Com quem será?

O caminho que faço ao caminhar, me mostrará.
Se você não é o amor pra mim, alguém será.

Nasci, cresci e estou fadado ao amor.
Sou escravo do amor.
Este é o meu destino.
Este amor está gravado nas estrelas, na minha alma e no meu coração.

Do amor, e de amar, não abro mão.
Se não for o seu, não temo a sorte.
De alguém será.

A sorte está lançada.
Por enquanto aguardo a quebra do seu silêncio,
Para me decidir qual rumo tomar.
Mas o que eu quero, é te amar.

Meu coração dilacerado no peito,
Dói, pois têm dúvidas se este amor ainda têm geito.
Ao mesmo tempo que chora, sorri.

Pois sabe que o que é para ser, ainda não é.
O amor que é para mim, ainda será.
Mas espero que seja com você.

Fico cá, como príncipe em busca da bela adormecida,
A qual aguarda, imóvel, pálida, fria e morta,
O beijo que aviva, que renova,
O beijo que trás de volta a cor,
E o movimento.

O encontro, a quebra do silêncio com o beijo da verdade,
Pode mudar toda a história, a qual não será mais de tristeza, sofrimento  e dor.
Será como o feliz para sempre, que só existe no amor.

Mas, se ainda é possível, prefiro o Reencontro, entre o meu amor e o seu...
Pois espero e aguardo que no fim, que é recomeço,
A minha história de amor continue com você.
Tudo por que te amo, e te quero pra sempre em meus braços...
É nós seus beijos, amassos e abraços que quero me despedir deste mundo complicado.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Tolisses

Sou um tolo em pensar que posso viver sem você.
Como posso existir sem seu amor?

Existir sem você, é impossivel.
Você é o ar que respiro.
Você é a água que bebo.
Você é o alimento que me sacia.
Você é como mola propulsora, que impulsiona o meu coração,
E alegra a minha alma.

Além de tolo, me vejo louco e desvairado,
Por não saber me controlar.
Por não enchergar...
O quanto você é especial para mim,
O quanto você me faz feliz.

Quando estou com você,
É como se tudo lá fora não existisse.
No quarto, na sala, na rua, no bar...
Com você só alegria e paz.

Você é quem me satisfaz.
Você é alguém com quem quero sempre mais,
Muito mais.

Seja paciente comigo.
Saiba ser tolerante, perante minha ignorância,
De não saber me entregar.
Aos poucos, me tire o medo de te perder.
Aos poucos me ensine a me entregar
Por completo a você.

O medo, cruel sentimento que se instalou em mim.
Devido a desilusões e perdas no passado,
Quer me afastar de ti.

Peço, que com seu amor, carinho e compreenssão,
Me ensine a me jogar em seus braços
Como uma criança se joga nos braços do pai,
Sem medo de cair,
Por confiar que sempre estará lá
Para segurar e impedir a queda.

Raiva de mim

Hoje amanheci com raiva de mim.
Te amo tanto e não entendo...
Por que me irrito e brigo com você?
Até parece coisa de novela,
Que tenho dupla personalidade.

Sei que preciso amadurecer.
Por isso pedi um tempo para pensar.
Um tempo para aprender a te amar direito.
Para aprender a entender suas ausências.
Para aprender a entender que você não pode
Ficar grudada em mim o tempo todo.

Entendo que você precisa de um tempo com as amigas.
Que você precisa de um tempo para o trabalho e os estudos.
E eu, quase a sufoco querendo-a só pra mim.
Entendo, embora você diga que não, que estou te sufocando...
E aos poucos trancando-a em uma gaiola feito passarinho.

É tempo de fazer e viver o amor que liberta.
O amor que confia.
O amor que espera.
O amor que é paciente.
O amor que sabe lidar com as ausências.
O amor que ajuda um ao outro a viver melhor e mais feliz.

Para ter e merecer o seu amor, vou me esforçar.
Vou buscar ser alguém melhor.
Vou buscar ser mais alegre e sociável.
Mais romântico e amável.
Pois só assim, estarei amando-a direito como merece.
Assim, bem como tem me amado.

Você meu amor, merece o meu melhor.
Me perdoe se não tenho lhe dado este melhor.
Mas amanhã, é um novo dia...
O aprendizado de hoje me ensina que posso
E devo lhe dar o meu melhor.

Você terá o meu melhor.

Aprendendo a amar


Sua ausência provoca em mim um vazio imenso.
Parece que se abriu um buraco em meu peito.
A dor é tão grande que me falta o ar.

Te perder, é como perder o poder de ver o céu nas noites de estrelas.
O sol, em seu brilho e calor intenso.

A dor de não ter você me esvazia o ser.
Me deixa lá no chão como assombração, alma penada e sem rumo.
Em busca de luz e aprumo.

Te perder, é pesadelo que vivo acordado...
O que me consola são as lembranças de um dia ter te amado.

São estas lembranças que me mantém vivo...
São estas lembranças que me fazem melhor
Na ânsia de um dia ter de novo o seu amor.

Se você se foi, pode ter sido por culpa minha.
Meu medo de te perder, te feriu e te afastou de mim.

Mas fico aqui, na esperança de que um dia vou te merecer.
Pois sei que você irá voltar pra mim.
Nesse dia o medo tornar-se-a calmaria.
Haverá a certeza que nascemos um para o outro.
E que este amor está escrito nas estrelas.
E pra sempre, sempre existirá.

Mesmo tendo dado tantas burradas, as dei por te amar.
As dei na ânsia de me adaptar a você.
As dei, no sonho de ser do geito que você merece.
De sermos do geito que precisamos.
"Do geito que nos completa".


Parece que ainda não aprendi a conviver com o amor...
Mas tenho aprendido muito.
E conto com seu apoio e paciência para aprender mais e mais...
E assim te conquistar todos os dias de minha vida.

terça-feira, 29 de junho de 2010

S.O.S Educador


Venho, diante dos constantes ataques aos professores e professoras, levantar discussão:
Quem realmente é o culpado pelo fracasso na educação?
Será o Estado?
Será a mãe ou o pai dos alunos, ou a família como um todo?
Será escola?
Será o professor?
Será o aluno ou a aluna?
Será a comunidade?
Apontar culpados é fácil...
O difícil, é perceber que todos somos responsáveis pelo fracasso e pelo sucesso da educação.
Cabe, a cada um cumprir com seu papel para que a educação seja aprimorada e atinja resultados reais e significativos a nível nacional e mundial.
Digo reais, pelo motivo de perceber a educação em um momento de transição, onde as mudanças têm acontecido vagarosamente, omitindo-se a realidade atual das escolas brasileiras, que nem sempre são estas as quais vemos mascaradas em estúdios cinematográficos, cuja as notas dos alunos denotam melhorias na educação, e omitem a decadência  em que milhares de brasileiros e brasileiras se encontram devido ao tipo de educação a que são expostos.
Uma educação que desvaloriza o ser humano e o priva de seus direitos considerados universais, de EDUCAÇÃO COM QUALIDADE, SÁUDE... etc., não pode permancer nos dias atuais.
Percebe-se neste cenário atual, que a escola ainda não mudou, como ainda não mudou os que são responsáveis pela educação que se faz nesta escola.
O que fazer então?
Levantar culpados é a melhor solução?
É preciso que todos se mobilizem, e reunam forças para impulsionar a escola. Para que ela torne a escola que queremos e a escola que precisamos.
Penso que colocar a culpa de toda problemática educacional sobre o professor, já esta fora de moda, pois sabe-se que o mesmo não têm autonomia em sua sala de aula como deveria ter, não querendo com isso, inocentar o professor de sua parcela de culpa no fracasso escolar, ou o colocar numa situação de único vitorioso nos sucessos escolares e sim, colocar em situação de discussão sobre o que compete ao professor na escola e aos demais, que estão intrisicamente ligados e de modo interdependente, ou seja, o sucesso de um, é o sucesso de todos, ou, o fracasso de um é o fracasso de todos.
Enquanto professor, sei que batalhamos todos os dias, não somente por um salário que nos oportunize o pão no fim do mês, visto que o salário não é um dos melhores, e sim, pela formação dos alunos que a nós são confiados, e escolher ser professor, nem sempre é por falta de opção, ou por ser mais fácil de se empregar, etc e tal, é, creio eu, na maioria das vezes um querer espontãneo que surge das competências que se têm para o exercício do magistério, como os que tem para o ser artista, ser atleta, etc..
Sabe-se que ser professor nos dias de hoje, não é tarefa fácil, é necessário muito estudo, formação continuada, e as exigências sempre vem aumentando.
Só o curso de graduação já não basta, é necessário especializações, pós graduações, mestrados, doutorados e pós doutorados. E culpar o professor por não fazer esses cursos é falho, desde que nem sempre seus salários dão para custear o seu próprio sustento, o que exige ao mesmo trabalhar em períodos dobrados para se manter, quem dirá custear cusos e especializações. O Estado, muitas vezes oportuniza cursos para os professores, mas ao mesmo tempo impõe normas que o desqualifica para fazê-los. E como fica o professor nesta arapuca?
Falo aqui, na primeira pessoa, que por experiência própria, que se ocupo o cargo de professor hoje, foi devido aos cursos que fiz, sem os quais, seria carta fora do baralho, e pago o preço até hoje pelos cursos que fiz, a custa de empréstimos e financiamentos a perder de vista. Se o educador não se sai bem hoje em dia, não é por falta de estudos, nem por falta de estar alheio às novas tecnologias, dentro de uma visão ultrapassada de mundo, e etc., como comentam por ai. Ele pode não saber tudo, pode errar no português, e quem não erra, mas ser acusado constantemente de classe inepta, nem pensar.
Mas o problema do professor não para por ai não. Ele encontra várias barreiras em seu dia a dia, que o impede de lecionar decentemente.
Ele esbarra nos parâmetros burocráticos que toma todo o seu tempo, impedindo-o de preparar boas aulas. Esbarra em salas de aulas inadequadas para o número de alunos que atende, salas estas, que não atendem ergonomicamente às necessidades dos alunos e do professor, sendo um dificultador da aprendizagem do alunos e da ensinagem dos professores; Esbarra em sistemas autoritários que o impede de inovar, e que tolhe toda sua liberadade de ensinar de um modo atraente para os alunos; Esbarra na falta de recursos materiais e financeiros os quais o impede de realizar projetos mais ousados e criativos, provocadores de aprendizagem; esbarra na questão de ter que formar os alunos desde a formação básica, que antes, era ofício da família, não que sejamos contra, estamos aqui para formar pessoas, mas nem sempre as famílias estão abertas a permitir esta formação, muitas vezes se opõem ao invés de se unirem pela formação de seus filhos, e assim deviam confiar a nós esta formação, como confiam ao médico a saúde de seus filhos; Esbarram nos baixos salários, que são desmotivantes, e o que é pior, ter às vezes que tirar dinheiro do próprio bolso para poder lecionar, devido a falta de materiais; Esbarra em um sistema que o avalia no sentido de discipliná-lo a cumprir com ordens vindas dos gabinetes, contrariando assim a sua verdadeira missão de educar e formar para a vida em sua plenitude, na educação e formação de pessoas conscientes, criticas e capazes de trasformar realidades obsoletas, em realidades modernas, democráticas e dinâmicas que viabilizem condições mais justas e igualitárias de vida a todos, onde exista uma real inversão piramidal na distribuição de renda, e o que esta pode proporcionar à vida humana.
Penso, enquanto educador, que medidas urgentes devam ser tomadas, de valorização do profissional da educação em todas as instâncias.
A começar pela salarial, formação continuada de qualidade, modernização das escolas e equipamentos, materiais de apoio que facilitem o trabalho do professor, autonomia do professor, repensar também a figura dos diretores, surpevisores, orientadores, gestores de modo geral (de forma a avaliar estas lideranças, na busca de melhorias e parcerias ao invés de competições, dentre outros).
No mais, tomo a liberdade de falar em nome da classe de professores, dispensamos as críticas, a não ser que elas venham apontadas com soluções, ou indicações concretas e palpáveis de como podemos ser melhores, pois somos conscientes, que fazemos muito com o tão pouco que recebemos de estímulos salariais, materiais e motivacionais, isso, por que amamos o que fazemos, e se continuamos na situação de professor, em parte devemos ao amor à vida humana.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Eu, professor...

Desde criança, sempre estive ligado à educação...
Me inspirava e buscava aprender, com o nascer do sol, com o brilho das estrelas...
Com as meninas faceiras...
Mas sempre sonhei em ser professor.

Meu sonho inicial, era me formar em Letras...
Mas depois do magistério a nível técnico, optei por me tornar Pedagogo.
Muitos quiseram me tirar de idéia...
Mas eu já estava decidido.

Pois, é uma área que muito me atrai...
Sei que não atrairei riquezas materiais sendo professor...
Que a classe é muito mal vista e desvalorizada.
Mas mesmo assim, prefiro caminhar nesta estrada...

Pois nela, enquanto caminho, encontro pequenos mundos...
E os ajudo a serem mundos maiores e melhores...
Alguns reconhecem o nosso valor...
Outros nem um pouco.

Mas o que importa realmente é semear...
Os frutos, nem sempre vou colher.
Mas, o que importa é semear.

Creio que se o magistério alcançar maior valor...
Na vida futura terá menos dor...
Mais amor.

Amor que faz de quem passa pelas mãos de um professor...
Um profissional de valor, que se preocupa muito mais com o SER E ESTAR no mundo...
E que tudo faz para permitir que no mundo, as pessoas, possam viver com mais humanidade,
E assim, exerçam em profundidade o SER humano e  possam alcançar o Ser Divino.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Prefiro te amar...


Você, têm o sabor do pecado.
Te amar é o pecado que eu quero pra sempre viver.
Bobo  fui eu,
Que a alguns anos atrás...
Quando te conheci, me vi na encruzilhada...
Pois você junto a mim minha amada, arrancava suspiros da plateia na calçada, que soava como algo que não se podia cometer...
Bobo fui eu que
Quis me converter.
Só pra ficar bem longe de você.

Mas meu coração, traiçoeiro,
Palpitava sem parar,
Numa ância louca e desvairada,
Querendo te amar.
Já não me importa a opinião alheia,
Pois ela não sabe o quanto dói viver sem você.

Eu em você, você em mim.
Sabor do pecado têm o nosso amor.
Seu corpo no meu.
Sua boca na minha.
Os beijos que me deu...
Palavras de amor.
O pecado já não existe,
Pois se justifica pelo amor...

Pecar por pecar,
Não é a minha praia.
Prefiro te amar,
Do que me adianta santidade,
Se não posso ter você e seu amor.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Escolhas...

Por que no mundo, sempre temos que fazer escolhas?
Parece engraçado, e o pior, é que sempre temos que arcar com as consequências.
Mas antes fazê-las do que passar a vida toda imaginando se teriam dado certo ou não.

As escolhas nos tiram da rotina.
Confesso, que as escolhas nos desbaratina.
Ficamos atordoados no inicio.
Meio sem rumo.
Mas aos poucos, os resultados aparecem.
Aos poucos, as coisas se tornam mais claras.
E ai, só cabe a gente decidir se continuamos nesta escolha, ou se arrumamos uma outra para seguir.

Isso acontece em tudo.
No amor...
Nas amizades...
No trabalho...
Na família e em muitas outras situações.

As escolhas bem pensadas...
As escolhas feitas com amor e pelo amor sempre são as mais sensatas.

Cabe a cada um, no amor, ou no desamor decidir qual rumo seguir em sua vida...
Só vale lembrar... as consequências boas ou ruins virão, e devem ser aceitas de bom coração.

As escolhas são individuais, embora comprometa aos outros às vezes...
Mas arcar com as consequências é uma questão de sabedoria, honra e ética...
Sabedoria, honra e ética que preparam para escolhas cada vez mais acertivas.

O pecado aliena...

Esta frase me veio à mente, e eu não parei de escrever...
Será por que?
O pecado aliena?
Será esta, uma verdade oculta em meu universo inconsciente?
Será uma verdade que vejo consciente?
Será uma verdade?
Será uma mentira?
PECADO... PECADO... PECADO... PECADO...

Ouço esta palavra de domingo a domingo, dia após dia.

Às vezes até parece que é o pecado que importa.
Às vezes ele soa como algo que me faz ser importante e conhecido.
PECADO... PECADO... PECADO... PECADO

Ele às vezes é tão vivo em mim...
Às vezes quero morrer para não cometê lo.
Às vezes quase mato para vivê-lo.
PECADO... PECADO... PECADO... PECADO...

Eu, tão humano e tão falho, erro e peco constantemente.
Quanto mais tento ser santo, mais peco.
Será o pecado o caminho para me santificar?
Será o pecado que me faz ao inferno chegar?
Tantas perguntas...
Poucas respostas.
Pecado é isso...
Pecado é aquilo.
Mas em uma coisa, acredito: "que atire a primeira pedra quem nunca pecou", pois "com a mesma medida que julga o seu irmão, será medido".

Para mim, o pecado pode condenar...
Para mim, o pecado pode absolver da condenação.
O pecado, que também é um erro contra Deus e contra o outro, pode ser grande fonte de aprendizado, mas nem sempre é preciso ser vivenciado para que o aprendizado ocorra como é o caso de privar a vida de outrem e a seus famliares desta vida, ou ainda magoar o outro e a se mesmo agindo com desamor.

De um modo bem simples, entendo que pecado é ferir o outro fazendo-o infeliz, ou ferir a se mesmo  fazendo-se infeliz, privando a ambos da vida e da felicidade. Fora disso, não há pecado.

Se não me machuco...
Se não me faço infeliz...
Se não me privo de viver plenamente a vida e assim, não o faço aos outros, estou vivendo o maior de todos os mandamentos, que é "amar a Deus acima de todas as coisas, e ao próximo como a se mesmo".

quarta-feira, 9 de junho de 2010

A escrita me persegue...


Sempre gostei de escrever.
Mas sempre que me sento e me coloco a realizar este ofício, o tempo corre velozmente...

Ele me avisa que têm outras coisas para fazer... que estou me atrasando...

E assim, me vejo negando a escrita.

Escrita que grita querendo ser escrita...

Escrita que fala de amor...

Escrita que ameniza a dor...

Escrita que norteia a vida...

Escrita que liberta...

Escrita que informa.

Escrita que diz: _ainda vale a pena viver a vida e lutar para sermos uma humanidade livre e feliz.

Escrita que aponta soluções...

Escrita que reconhece falhas...

Escrita que politiza e faz ver que ser político, não é o que se vê por aí.

Escrita que canta...

Escrita que chora...

Escrita que sorri.

Escrita que como magia transforma, plasmando sonhos e fazendo-os reais.

Escrita arquiteta que se faz bela na construção de uma terra que se espera...

Uma terra onde mina leite e mel.

Uma terra, onde o maná cai do céu.

Uma terra, onde reina o amor, onde não existe dor.

Uma terra, liberta e cheia de PAZ.

Terra esta, que a escrita profetiza que até os anjos querem habitar...

Escrita que exercita a mente doente e cansada e a fortalece na luta contra a escravidão que no mundo tetam nos impor constantemente.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Se Soubessemos Amar Direito...


Se Soubessemos Amar Direito, o mundo seria melhor...

Se Soubessemos Amar Direito, o homem seria melhor...

Se Soubessemos Amar Direito, a mulher seria melhor...

Se Soubessemos Amar Direito, a criança, o adolescente, o jovem, o adulto, o velho, seja homem ou mulher, seriam melhores.

Se soubessemos amar direito, nossa casa seria melhor...

Se Soubessemos Amar Direito, nossa vizinhança seria melhor...

Se Soubessemos Amar Direito, tudo que existe, animado ou inanimado, seria melhor.



Tristeza que escurece e desfaz minha alma, é saber que o sistema que o homem escolheu viver e seguir, é o anti amor.

Ele não ensina a amar direito...
Ele ilude com falsas ideologias do progresso e da globalização...
Ele deixa a muitos alienados com preocupações de ter a casa própria, de ter o carro do ano, de fazer a universidade x, de ser o melhor funcionário, o melhor empregado, o melhor empregador, de fazer a viajem dos seus sonhos...

Que muitos, ao invés de aprender a amar...
Aprendem a abandonar suas famílias, seus sonhos, seus amigos, seus amores seus ideais e a se mesmos, entregando-se de corpo e alma às vãs filosofias e ideologias do ter, do possuir, do consumir, do competir, do ser melhor a qualquer preço.

Neste caminhar...
Por não aprender a amar, o homem e a mulher têm perdido o que os diferencia dos animais,  o que chamamos de HUMANIDADE.

HUMANIDADE, palavra que encerra o verdadeiro significado de saber amar, de escolher o amor, de querer o amor, de se deixar amar, de difundir o amor...
E de se preocupar com o caminho que se faz ao caminhar, e não com o fim da jornada.

Desperta os que dormem...

Alerta os desatentos...
Abra os olhos e dê visão àqueles que estão cegos...
Ensine e provoque a comunicação aos que estão mudos...
Promova meios de caminhar, àqueles que não conseguem sair do lugar...
Aguce todos os sentidos adormecidos.

Pois aprender a amar direito é preciso e urgente.
Pois aprender amar direito é o remédio para curar esta sociedade doente, drogada, sanguinária e alienada.
Pois aprender a amar direito é se politizar...
É se tornar mais do que adorno social, é ser um fazedor de histórias felizes.

A Pensar...

Fico cá a pensar...
Por que as situações sempre acontecem de modo diferente e às vezes contrárias às quais sonhamos?
Se sonhamos ficar ricos...
Nos empobrecemos e nos acabamos no trabalho.
Se sonhamos ser pobres...
Nos acabamos no trabalho assim mesmo, ou quem sabe, mendigando embaixo da ponte.
Muitos dizem ser falta de sorte, outros de ser falta de planejamento, de visão, de compromisso, de sonhar certo, de fazer o que é certo.
Mas será que é assim? Ou será que não?
Não sei.
Às vezes, pode ser a falta de oportunidade, de uma motivação externa, a falta de um sim ou de um não na hora certa.
Só que cada um segue sua estrada...
estradas que se cruzam, estradas que vão paralelas, que se juntam, mas cada uma ao seu modo, e no seu geito peculiar de ser vão até certo ponto.
Se tem que ser assim, não sei.
Só queria que todos, sem exceção, tivessem o gosto, prazer e alegria de serem pobres só uma dia de suas vidas, e depois gozar de tudo de bom que esta terra maravilhosa pode oferecer ou proporcionar...
Assim, também queria que fosse no Amor, na Saúde e na Paz.
Seria tão bom se eles estivessem ausentes só um dia de nossas vidas.