quarta-feira, 30 de abril de 2014

Linda, felina, tenaz, mulher


Ser mulher não é coisa assim tão fácil.
Ser mulher é cousa que levou séculos,
atravessou milênios e culturas.

Ser mulher não é coisa assim tão fácil.
É ir além das simples aparências.
É ir além de um simples e vago olhar
machista e anti-humano.

Antes considerada desalmada.
Servidão do lar, marido e filhos.
Antes não podia palpitar.
Antes desprovida de desejos,
abandona sem prazeres, somente
a dar prazer.

Vista como futilidade, boneca de inflar.
Se apercebeu humana, na arte de se amar.
Travou lutas imperceptíveis, que se graduaram
e agora vão tomando o seu lugar.

Foram guerras, foram mortes, mas enfim
encontraram o norte na arte de se humanizar,
e no humano encontram forças, para
o que alcançaram possam melhorar, ampliar
e por consequência eternizar...

Mulher "sexo frágil", força maior não há,
dela surge a vida, seu ventre não escolhe,
acolhe seja quem for, não olha órgãos genitais,
apenas ama o humano que se desenvolve
em seu ventre, e assim deseja ser amada,
respeitada em seu imenso valor, que no ardor
feminino,
felino,
mansa,
bravia,
feroz,
atroz,
tenaz...

Mulher se faz, tendo humano em sua essência,
sem malquerenças, desafetos, tem direitos
não superiores, mais em equidade com os demais,
homens, que nada são também que seres humanos.

Ambos na busca da vida plena e digna em humanidade,
nos respeito e no amor, merecem só felicidades.

Parabéns Mulher!

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

terça-feira, 29 de abril de 2014

Nos conselhos e exemplos de Jesus


Não vi em suas vestes o luxo.

De seus conselhos e exemplos, pedia para
que quem tivesse duas túnicas, cedesse
uma para quem não têm.

Não vi jóias em seus pulsos, dedos, orelhas
e calcanhares.

De seus conselhos e exemplos, pedia para
que não se acumulassem ouro e nem prata,
e para que pagassem seus tributos, e cumprissem
com seus deveres, dando a cada um o que lhe
pertence.

Não o vi cobrar ao estender as mãos aos
leprosos, nem aos cegos que levava a enxergar,
nem aos coxos e aleijados que botava de pé
a andar e a glorificarem a Deus.

De seus seus conselhos e exemplos, o vi repugnando tais
cousas e práticas, inclusive nos templos e pedindo
que devolvesse as moedas de prata aos pobres.

Não o vi em tronos de ouro e marfim, nem ao menos em
templos de grande estrutura e mármores por todo lados,
em colunas a perder de vista.

De seus exemplos e conselhos, o vi a pregar o vivo evangelho
na areia da praia ao luar, nas montanhas na madrugada, nas
casas até mesmo dos "pecadores", e debaixo de árvores, e
lugares simples, sendo pura doação e amor em ação.

Não o vi coberto de roupas caras, linhos, seda, nem em
roupas de grife, finos acessórios da moda.

Em seus conselhos e exemplos, o vi de sandálias de couro,
de roupas trapeiras, suado, queimado pelo sol quente e pelo frio
da noite do deserto.

Não o vi em belas carruagens, com muitos cavalos, em caravanas
com escravos e servos à disposição.

Em seus conselhos e exemplos, o vi sempre andando a pé, ou em
vagas aparições em um burro virgem.

Não o vi jamais com arrogância, soberba, topetudo, com ardor
autoritário por ser Filho de Deus.

Em seus conselhos e exemplos, o vi a caminhar lado a lado com
os que andavam com Ele, com seu próximo, ouvindo-os, levando-os
a fazerem parte de seus projetos, atendendo aos seus anseios,
aplacando os seus temores, conduzindo-os todos rumo ao céu.

Não vi pecado N'Ele.

Alguns diriam, era filho de Deus, por isso foi fácil para Ele.
Mas quem disser tal coisa, não percebeu que Ele encarnou
e viveu como um de Nós, aceitando e vivendo a sua missão
no amor em ação. Sem trapaças, sem usar de "poderes" divinais,
apenas humano.

E Ele pediu para que seus sucessores fossem como Ele.
E hoje, os vejo tão distante, se não tão contrários ao que Jesus foi,
e é em sua Glória no céu.

Em seus conselhos e exemplos nos advertiu que haveriam vários
que agiriam e falariam em seu nome, que até milagres fariam,
mas não passariam de lobos travestidos de cordeiros.

Se os exemplos não são de Cruz, com certeza não são discípulos
autênticos de Jesus...

Os exemplos do Mestre, o qual é o caminho, verdade
e vida, é visto nos bons pastores, no mais são lobos querendo
roubar-lhes a alma.

A escolha é nossa, e a cruz também.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

domingo, 27 de abril de 2014

Apenas um viver "FIFA -Padrão Copa do Mundo"


Que seja eterno o que nos faz bem.
E que desfaça como fumaça o que nos faz mal.

Que essa poluição que se espalha nos corações
e massificam desespero, dor, angustia,
escravidão e morte, possam perecer, trazendo novo
alvorecer à vida, ao viver.

Que eterno seja o que nos faz bem.
Pois já durou por demais o que nos faz mal.
Já foi dado o grito de liberdade, embora muitos não
ouviram, e mantém a escravidão maquiada em
novos moldes, levando desespero onde passa, e
pior, em massa, às grandes massas que não
despertam ceguetas que estão pela educação que
recebem, que a todos passam à frente, mas não
ensina e nem educa a não ser os filhos do poder.

Lágrimas de sangue, caem nas faces do pobres,
dos desvalidos nos prontos- socorros, nos postos
de saúde e nos hospitais. O SUS não passa de
uma farsa bela e perfeita nos projetos,
apenas no papel.

E o país da copa do mundo comemora.
Bilhões e bilhões que vão embora e tiram
da população, o de comer, o de vestir, a moradia,
e a educação, e que educação.

Ordem e progresso onde estão?
Nos bolsos dos corruptos de certo?
E nós, enclausurados nem podemos reclamar, somos
resarchados e acusados de vândalos pelas mídias,
que também querem se manter no poder.

E a copa vem em cores verde e amarelo, como
espetáculo circense a encantar os olhos dos que
estão no poder, pois pobre que é pobre, só verão os jogos
pelas TV's de LCD que compram à prestação.

Futebol, paixão nacional.
Futebol paixão sem igual.
Tortura hedionda, em busca de paz.
E onde está a paz, a ordem e o progresso?
No espaço sideral, de certo?

Longe do alcance dos olhos que lacrimejam sangue,
e buscam vida digna humana em viver em humanidade.

E a copa vem aí, com pompas, se superando em glamour
destroçando esperanças das massas já sem graça, já sem forças,
já com pouca fé e esperança de que a vida se torne melhor
tipo assim, "padrão Copa do mundo".

Mas não custa sonhar,
não é a esperança a última que morre?

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

E falando de futuro


Será que no futuro, bem lá na frente, haverão pessoas
diferentes de nós, mais ajuizadas, mais amáveis, que sentarão seus
filhos no colo e falarão dos tempos em que vivemos, com tristeza e
felicidade ao mesmo tempo por terem superado todos os preconceitos,
discriminações, racismos, ódios doentios, guerras e outros malefícios
que nos roubam a dignidade e liberdade de viver?

Será que olharão para trás e falarão desta época em que estamos 
vivendo com os olhos cheios de lágrimas e compaixão, pelo povo sofrido
e exaurido por este sistema massificante, estressante e opressor?

Será que viverão felizes e alegres por terem superado todas estas
pequenezas humanas?

Ou será que o futuro será pior do que hoje e ansiarão voltar
no tempo nos dias atuais e ou dias anteriores a estes, em máquinas 
ultra modernas e resgatar toda dignidade, valores, bom caráter, palavra, 
(etc.) e humanidade perdida?

É certeza eu sei, serem consequências das nossas escolhas atuais.
E por saber disso, embora tenha fé no melhor, às vezes temo.
Nos resta esperar que presentes virem futuro, que futuros virem presentes,
e que presentes virem passados, e presentes, presentes, para sabermos 
no que vai dar.

O que não podemos é ficar parados de braços cruzados. 
Nos erros e acertos, vamos em frente, e cruzando os dedos, torçamos
para que tudo valha a pena, e que nossos netos, bisnetos (e...) 
sejam mais felizes do que temos sido.

By Adalmir Oliveira Campos 
adalmir-campos.blogspot.com.br

O que nos faz forte, o que nos trás sorte?


O que te faz forte?
O bem ou o mau,
quem sabe a sorte?

O que te faz forte?
Olhe e observe, nos momentos
que dela precisou...

O que te trás sorte?
Que te dá na escuridão o norte?

Pense em seu coração.

É aquele que com certeza te
carrega nos braços quando já frouxo
na vida não tem forças nas pernas,
no coração e mente para seguir
em frente.

Quem te trás sorte?
Não seria aquele que venceu a morte?
Que riu da própria cruz, e nos deu maior
exemplo de amor e doação que nenhum
outro jamais foi capaz?

O que ou quem te trás sorte?
Não seria aquele que ensinou e
viveu o amor? Não seria aquele
que tanta dor suportou, que foi
como tivesse carregado o mundo
nas costas, e o mundo carregou?

Ele foi capaz de milagres tantos,
e ainda hoje o é. Acredite ou não
os milagres continuam, à medida
de tua fé, e vem na medida em que
acreditas ser sorte apenas.

O que ou quem te trás sorte?
Não seria este Jesus filho de Deus
que além do mais, se mostrou caminho,
verdade, vida e luz?

O que te trás sorte?
O que ti livra de todo tipo de morte?

Vem da sua fé.
Vem de Jesus de Nazaré, aquele
que em sua humildade se dignou
a lavar-nos os pés, a carregar nossas
dores, a livrar-nos do pecado, a nos
conduzir sempre e sempre ao Deus
amado.

O que te trás sorte?
Com certeza é o Rei da própria sorte,
que não vive ao léu, que não se deixa
guiar apenas pelo destino, mas aquele
que fez e ainda faz história em cada
história humana às quais ele abraçou
naquela cruz, por amor, e suor e ações.

O que ou quem te trás sorte?
Abra teu coração e mente,
e sinta, descubra e se entregue.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Herança maldita


Neste caminhar humano.
Viver humano sigo em frente.
Dia a dia.
Lutas, labutas, às vezes beira
a escravidão, quando não a é.

Seguimos em frente.
Sorrindo, chorando, gemendo
em dores de parto.
Evoluindo na dor que nos veio
de herança, mesmo antes dos
tempos de criança.

Herança maldita que nos
coloca escravos, cativos
neste mundo capitalista,
à mercê de mídias odiosas
que até os mais eruditos
prende a atenção e convence
às vezes.

Créditos, cartões de créditos.
Propagandas, comercias de TV.
E as pessoas se vendem, se prendem,
se entregam aos banqueiros,
aos juízes, aos mercenários e políticos.

Como que ter uma casa, um carro,
roupas caras, acessórios de luxo,
bebedeiras e viagens fosse os únicos
meios de chegar à plenitude e felicidades
humanas. Embora ajudem a vivermos melhor,
mas não à custas de escravização
das pessoas, e sim de uma melhor
distribuição de renda.

Almas grandes, almas pequenas,
se fazem da educação que deixam
a desejar. Onde as pessoas são tolhidas
o pensar, o auto-avaliar-se, o auto-amor.
Tornam-se assim verdadeiros zumbis,
sem criticidade alguma a comerem uns
aos outros, sem saberem pensar as
melhores ações para um melhor viver,
e assim arcarem com as consequências
de suas escolhas.

Já não são mais os pais quem educam
os filhos, estes em boa parte só entendem
de dar-lhes o sustento, e dar-lhes o supérfluo,
e passar-lhes as mãos na cabeça em suas
falta de respeito e educação, verdadeira
decadência do humano.

São direitos e mais direitos.
E nenhum dever ou sanção.
Que lhes outorgam autoridade, que os
colocam como superiores aos pais
e professores, aos quais esbofeteiam,
e a justiça os apoia, em sua redenção.

E o mundo vai virando pó.
Poeira e nuvens pesadas que apontam
tempestades futuras, onde haverão
choro e ranger de dentes, o inferno
será, se já não o é a terra.
Onde os bons viverão em prisões
e os maus em plena liberdade a
curtirem a vida e os seu prazeres.

Para mudanças, só restam a esperança!

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Duas histórias


No seu toque quente.
Nos teus beijos ardentes.
Nos teus gemidos de amor.
Me alegro, me energizo,
me regozijo e me torno
melhor.

E sendo melhor todos
ganham, além de eu e você.
Não tem como esconder,
o que o amor e o sexo nos faz,
é bem pra lá de metro, um
bem que beira a paz.

Nas ações de mim para você
e de você para mim, sorrisos.
Às vezes discussões bobas
que se amornam, se esfriam
e esquecemos, quando não
apimentam a relação, nos
leva a dormimos de costas
um para o outro com certa
dor no coração.

Mais nada melhor que um dia
após o outro, e tudo se renova
e os sorrisos veem, num beijo,
num abraço, num amasso, num
morder, num bem querer, num
só vir a ser, um só ser, um só
coração.

Simples e belas, duas histórias
num só viver.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Aparente estado de felicidade


Sabe aquela tristeza e dor?
Sabe aquela mágoa que doía e fazia buraco
no peito, deixando-me a esmo?

Ela se foi.
Assim como muitas outras tempestades
pelas quais passei.
Se foram...

Dias de paz e tranquilidade surgem enfim.
Mas pobre de nós, pobre de mim.
Tudo passa.

A vida corre em ondas, assim
como o mar.
Uma hora as coisas
podem mudar.

Mas esperar o melhor é ter fé.

Esta fé que nos prepara
pelo que pode vir à frente no caminho
e nos fortalece para que possamos
conseguir carregar as cruzes e saborear
as vitórias.

Pois enfim, tem dias de chuva,
como também tem dias de sol.
Tem os dias frios,
como tem também os dias quentes
de verão.
Cabe a nós sabermos aproveitar
um e o outro, e sempre nos enriquecermos
nas aprendizagens que cada situação nos trás.

Felicidade e tristeza são naturais aos
seres humanos, bem como muitos outros
sentimentos e emoções...
Cabe sabermos colher o melhor de cada um,
o que nem sempre é tão fácil assim.

Mas no seguir em frente o caminho terreno,
vamos amadurecendo a ideia de uma dia
um felizes para sempre, não estes que se põem
um ponto final e pronto, mais um onde muitas
e muitas outras histórias de amor possam
acontecer constantemente, pois só assim
a eternidade terá gosto e prazer em ser
vivida.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Dia da poesia


A poesia entra nas veias da gente.
Fervilha junto ao sangue quente que
se espalha por todo corpo no pulsar
de cada batida do coração, que leva vida
a todo o corpo.

Só que a poesia não é como o sangue
vermelho viscoso que se basta dentro
do corpo humano.

A poesia exige mais espaço.
Ela transborda para fora do corpo
em palavras e mais palavras,
que formam frases, versos,
textos os mais diversos, poesia.

Ela não se contenta apenas ser pequena.
E busca sempre crescer neste amor
que se debulha em grãos, que semeados
se multiplicam em outras espigas, que por sua
vez nos frutos, são oportunidades de novas
sementes a serem debulhadas, semeadas e
assim sucessivamente, a levar amor, fé, esperança
e diversos conhecimentos e entendimentos ao
mundo e de mundo.

A poesia não se contenda em correr apenas
no sangue vermelho no constante levar de oxigênio
ao corpo humano, ela quer e anseia ser o próprio
oxigênio a ir de humano em humano, levando-os
os sonhos de serem mais humanos, e sendo mais
humanos de serem mais felizes em humanidade,
a espalhar amor, por que não felicidade?

Poesia, poesia, poesia.
Quem deras pudesses amolecer estes tantos corações
endurecidos...

Poesia, poesia, poesia.
Quem deras pudesse correr nas veias de cada
humano, alma peregrina, a peregrinar nesta terra
em busca de serem almas melhores, mais brilhosas
e compatíveis com a Luz a qual um dia deverão se fundir.

Poesia, poesia, poesia.
Tens tamanho poder.

Poesia, poesia, poesia.
Feito sangue, sopro oxigênio, faz vivo cada ser
que se deixa mergulhar, que se deixar contagiar,
sonhar e buscar realizar sonhos e fazer acontecer.

Poesia, poesia, poesia.
Faz pedras se derreterem.
Corações acelerarem, e o amor florescer.
Poesia, poesia, poesia, tem até um dia, todinho pra você,
mas que todo dia seja poesia em realidades o meu,
quem deras o nosso viver.

Poesia, poesia, poesia.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Amor que humaniza


De amor vivo a vida.
De amor é bom viver.
Feito arroz e feijão, é saudável,
e faz bem à saúde, corpo, alma
e coração.

De amor vivo a vida,
de amor desejo ser sempre
o meu viver.

Pois sem amor, somos mortos,
zumbis a sugar outros seres
que são filhos do mesmo Pai,
do mesmo Deus.

O amor nos iguala enquanto
"raça" humana, humaniza,
e encanta, trazendo luz, paz
e também esperança.

O amor é assim, alimento
que humaniza, alimento que
trás plena e real satisfação,
tipo ter aberto o coração e
reconhecer no próximo um irmão.

O amor é tudo isso e muito mais,
é o que nos torna capazes de alcançar
a tamanha "perfeição", que eleva a
humanidade na partilha do abraço terno,
fraterno e também do pão, fazendo todo
um trabalho de verdadeira humanização.

O amor é o que nos faz família, é o que
nos faz irmãos, e irmãos se cuidam se
defendem e buscam manter vivo este amor
que alimenta e dá sustento que só em
Deus um maior sabor.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Vamos que vamos


Vamos que vamos, pois é pra frente que se anda.
Vamos que vamos, seja qual for a situação.
Vamos que vamos, por que, como é sabido,
tudo passa, tudo sempre passará.

E não há tempo para estacionar e ver
as coisas passarem. Se pararmos,
passamos com elas e nada fazemos.

Busquemos o equilíbrio,
tão difícil de ser conquistado.
Pois se não o viver vira afobação, ansiedade,
medo, culpa e confusão.

Vamos que vamos, de braços dados como irmãos.
Juntos, unidos, numa só nação.
Assim, dividindo o pão, o vestuário e a moradia.
No mais, de supérfluos já nem precisamos, pois
são as coisas simples que trazem felicidade, mas
se houver oportunidade que seja baseado na
distribuição em igualdade.

Pois onde duas pessoas comem, comem outras duas
e muitas outras, esse deve ser o espírito da nação,
desta única nação de humanos em viver em humanidade.

No mais, nada mais, só muita felicidade.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

terça-feira, 22 de abril de 2014

A quem julgar, e quem pode julgar?


Quando algo se enraíza dentro da gente torna-se difícil
de arrancar.

Tanto as coisas do bem
quanto as coisas do mau.

Assim é o amor.
Assim é o ódio.
Assim são os preceitos,
Assim são os valores,
Assim são os conceitos,
Assim são os preconceitos.

Tornam-se "verdades" quase que absolutas,
que até às vezes nos dá a ideia de podermos
ser juízes a julgar a bel prazer, verdadeiros justiceiros
inconstitucionais.

Quem somos nós para julgarmos alguém?
Somos capazes de nos colocarmos no lugar do outro
para assim depois fazermos tais julgamentos, se é 
que cabe a nós tais julgamentos?

Pois que atire a primeira pedra quem nunca pecou.
Pois com a mesma medida com que julgas serás julgado.
E há cousas, verdade pessoais, que não passam de verdades
para nós mesmos, são próprias e não coletivas, aos demais
que possuem outras verdades, muitas vezes universais, 
cabe o respeito.

As coisas mudam, as verdades se fortalecem, se modificam e muitas deixam de serem verdades quando ferem o direito de outros e os colocam à margem da sociedade.

Discriminar.
Preconceituar.
É ser juiz do diabo.
É ser propagador da mentira, e da contradição, e o mundo está cansado
disto, pede socorro, e os discriminadores e preconceituosos tem os ouvidos e sentidos outros tapados pelo orgulho ferido, pela alma maltrapilha que se esconde no mal trato aos outros, na arte de matar se usar armas, o que se faz no desrespeito quando incrimina o que não se pode provar, e julga o que não pode ser julgado, pois existem coisas que estão, e existem coisas que são. As coisas que estão, são passíveis de mudança, e as coisas que são, o são e nada se pode fazer.

Não é possível dizer à rosa vire cravo, e ao cravo vire rosa.
Se a rosa é rosa, é por que é rosa.
Se o cravo é cravo, é por que é cravo.

Não é por que um tem as pétalas aveludadas, mais coloridas, alargadas e cheiro mais distinto e suave que deve ser igual ao cravo, contrariando sua verdade, suas raízes. Nem tão pouco o cravo por ter as cores opacas, pétalas enfileiradas como as das margaridas, perfumes que lembra funerais, deve se tornar rosa, buscando ser igual a estas, contrariando também suas raízes e verdades absolutas. 

São o que são e não tem como mudar isso.
E assim somos nós os humanos. Temos nossas diferenças.
Desde que não estejamos a ferir os outros em seus direitos
constitucionais e humanos, e seu ser, não há mal algum.

Mas as condições em que se está em desacordo, a ferir, a maltratar, a roubar, a furtar, a ludibriar, a levar a morte seja através do ato físico ou verbal, e outros tipos de mortes, este sim deve ser objeto de estudo, e esta pessoa deve ser auxiliada a se retratar, consigo mesma e com os que viera a ferir, na busca do equilíbrio e harmonia do todo.

Julgar é para os sábios.
Julgar é para os justos.
Justos não são somente aqueles que dizem crer em Deus, ou vão
à igreja semanalmente, justos são aqueles que buscam agir ao mesmo tempo que falam, onde suas ações são coerentes com suas falas, e suas ações não visam um grupo isolado e seus ideais de vida e sim à coletividade.
Julgar é para os que são livres de preconceitos,
e cuja alma corre a luz da justiça e imparcialidade.

Julgar não é algo que se faz por se sentir melhor que outrem, na
busca de diminuir ao outro e se exaltar, julgar e promover o homem
seja qual for, buscando trazer o mesmo à sociedade, em sua humanidade, na busca de levá-lo a viver em humanidade, resgatando assim o humano
esquecido, perdido, oculto por detrás do "estar" em desacordo com o bem coletivo, agora se ele está doente, que se busque a cura.

Ser gay, ser lésbica, ser homossexual, ser aleijado, deficiente, ser negro, ser criança, ser mulher, ser pobre, ser mendigo, ser africano, ser japonês, ser cearense, ser judeu, ser o que se for, não são questões de escolhas, o são e pronto.
Não é como preferir preto ou branco.
Quando se é, não há preferências.

Se fossemos pensar assim, a mulher antes de ser tornar esta mulher de hoje, deveria continuar na sua submissão aos homens, como servida a ser somente genitora, parideira e cuidadora do lar. Mas não, ela optou por lutar e ainda luta por se ver mulher, por se ver com valor, e por se ver nas mesmas condições em direitos e igualdade com os homens. Foram discriminadas, são discriminadas, mas são mulheres, e são humanas e isso não muda.

Agora o que é passível de mudança, são a arrogância, a prepotência, a discriminação, o racismo, as injustiças sociais, a falta de respeito e moralidade, as inverdades sobre as verdades, a falta de amor, ou seja o ódio doentio contra os iguais e assim por diante.

Somos humanos e isso é nossa verdade imutável.
Nascemos diferentes, em cor, gênero, numero e grau.

A única coisa que nos diferencia, é como agimos no mundo,
o que nos caracteriza como de bom ou mal caráteres. 
O que sim pode nos deixar ou não à margem da sociedade, diante do grau de maldades que podemos fazer surtir para com ela, o que chamamos de crimes, dos mais banais, aos mais cruéis, estes sim merecem julgamentos, justos, veredictos, mas jamais, preconceitos e discriminação, pois podem, caso queiram em seus corações mudarem de vida e voltarem a viverem em sociedade como pessoas de bem. Se cumprida a pena, que mal tem? Quem não merece uma segunda chance ou oportunidades? Estes ao menos tem as suas escolhas, ou não?

By Adalmir Oliveira Campos 
adalmir-campos.blogspot.com.br

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Contribuímos para a corrupção?


Li uma frase forte hoje em um livro e fiquei a imaginar o quanto ela tem de verdade ou inverdade, era mais ou menos assim "cidadãos corruptos criam governantes corruptos".

Embora acredite que somos responsáveis por nossas escolhas, e isso se refere também às nossas entregas ou não à corrupção, penso ser verdadeira esta máxima, pois sofremos as mais diversas influências desde a mais tenra idade, na educação que começa no lar, tem continuidade na escola e se completa na universidades ou nas ruas.

O que é a corrupção a não ser beneficiar-se a se próprio em usufruto de algo que não lhe pertença, subtraindo do outro o que lhe é de direito, contrariando a justiça, e o que é previsto na Constituição ou nos códigos de ética e moral dos grupos e contextos sociais em que está inserido?

A corrupção começa bem cedo, já relatei isto em outros textos, e se expande quando encontra terreno fértil.
São nas pequenas corrupções que surgem as grandes.
São nos pequenos pecadinhos que surgem os grandes pecadões.
São nos pequenos roubos e assaltos que surgem os grandes roubos e assaltos.
Bem como nas mentiras, nas inverdades, nas farsas, nos discursos falseados que vemos todos os dias, os quais se intensificam nas épocas de política.

Uma birra que chega ao ponto de perca de fôlego é um tipo de chantagem infantil na busca do alvo pretendido, se mal trabalhada pode abrir espaço a futuras "chantagens" que por sinal serão cada vez maiores, à medida que aumentam os interesses das crianças, jovens e adultos.

Sufocar as crianças de mimos, dando-lhes tudo que querem e no tempo que querem, as levam a crescerem pensando que tudo lhes está à disposição, sem que para isto precisem se esforçar e pode ser um mal na educação das crianças, que muitas vezes não passam a serem agradecidas pelo que vem de forma gratuita, bem como aos cuidados aos bens públicos que lhes vem da paga de seus impostos e para atender a todos sem distinção. (embora muitos, eu sei que vão descordar de mim)

Mentiras por mais pequenas que sejam, diante das crianças, as quais conhecem a verdade, as levam a banalizarem tais atos e assim a usarem dos mesmos artifícios em fases posteriores de sua vida.

Os exemplos ensinam mais do que os discursos e palavras.
E quanto mais cedo se fizerem as correções melhor, pois depois que as crianças tiverem formadas sua identidade de base, fica difícil as correções, embora não seja impossível.

Venda de votos por favores político, por si só é um grande ato de corrupção, e não dá para confiar em nenhuma das duas partes que participam destas barganhas, tão comuns, principalmente nos pequenos centros, onde ainda imperam os coronelismos políticos.

Sonegar impostos, não pagar o que é devido, superfaturar nas vendas no comércio, etc. são atos de corrupção que vão se estendendo do povo à classe de representantes políticos, e deve ser combatida, na busca da instalação da ordem, progresso e respeito às grandes massas.

Não buscar soluções para a corrupção também é corroborar com a mesma, visto que quem cala consente, e todos perdem com isso, principalmente os mais desprovidos e indefesos, que infelizmente, são a maioria pobres, às vezes alienada, descrentes e infelizes, embora as mídias incentivadas pelas atuais políticas contradizem este cenário, por detrás das cortinas e encobertos pelas maquiagens e vestimentas fantasiosas por de frente das câmeras.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Frase retirada do livro: Médico de Homens e de almas, de Taylor Caldwell, Rio de Janeiro, Editora Record, 41° ed. 2007



Círculos viciosos


Sucessos e fracassos
são círculos viciosos.
Fazem parte da vida,
nos altos e baixos.

Resta buscar o equilíbrio.
No controle, nem sempre estaremos,
pois existem coisas que nem podemos
controlar, que estão sob influências
sei lá de quem, que desorienta e às
vezes tira do prumo.

Nem tudo sai como planejamos.
Algumas forças exteriores contribuem
de alguma forma a desorientar, de modo
a termos que replanejar e agir em novos
começos e recomeços, o que não podemos
é parar de planejar e tentar seguir em frente.

São altos e baixos.
Subidas e descidas.
Onde devemos aprender sobre o amor.

E onde formos nos caminhos em que
seguirmos, pensarmos coletivamente,
pois muitos sofrem influencias de nossas
escolhas, e nós mesmos sofremos as
consequências.

O céu é para todos.
Todos de algum modo o alcançarão.
Alguns mais rápido, outros nem tanto.
Mas as portas, com certeza, se abrem
quando somos solidários e agimos no
amor e junto de nós levamos outros.

A dois, a três, a quatro, a cinco ou seis,
bem mais e mais, ficam mais fáceis as
escaladas morro acima, onde no apoio
mútuo, todos alcançam a vitória.

A vitória sólida que trás felicidade, dignidade
e plenitude humana, é a vitória onde todos saem
ganhando, pois só tende a multiplicar os ganhos.

No mais, rompe-se o fio que permeia a vida, se rompe
e ocasiona a queda de um, todos caem, e
necessitam recomeçar novamente, e muitas
vezes do zero, do início.

Se o céu é para todos, por que adiar?

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Podemos ser melhores


Vês aquela garrafa pet vazia jogada na rua?

Alguns veem uma garrafa apenas.
Alguns veem "lixo".
Alguns veem uma garrafa que pode armazenar
água, sendo assim reutilizada.

Alguns dão valor.
Outros nem tanto, não dão valor algum, e
nem ao menos demostram educação ao
jogá-la na rua.

Já o artista e a criança, veem muitas
possibilidades, para ele é matéria prima.
Pode se tornar um carrinho, ou quem
sabe um avião, um cata-vento, um porta lápis,
um porta clips, um vaso (etc.).

Assim são as pessoas.
Cada um as veem de uma forma, e com seus
prejulgamentos, preconceitos, racismo, mente
opaca e arcaica classificam, discriminam e colocam
à esmo à margem da sociedade, pessoas que
são como garrafas, já tiveram uma utilidade um
dia, como qualquer uma a teve e tem.

Pessoas podem ser melhoradas quando querido em
seus corações e com a colaboração dos "iguais" enquanto
humanos, melhorados, não para se adequarem ao que
a maioria social exige, e sim ao que não faz mal a si
e aos outros, adquirindo o respeito, no complemento
ao que falta em cada humano, para que assim tenha-se
um todo embora heterogêneo, mais completo, mais
humano, mais harmônico, humanizado e mais feliz.

Cada um tem ao seu modo em condições físicas, psíquicas,
espirituais, morais e éticas algo a acrescentar ao todo.
Quer queiram, quer não queiram,
somo humanos, espalhados pelo mundo, partículas isoladas
que juntas formam um todo, unidade que em equilíbrio
e união, promovem um mundo mais justo a todos, e a cada
um que chamamos irmãos.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Arte revela impossibilidades


A obra de arte seja qual for,
e o artista que a faz, nos revelam
mundos de possibilidades inimagináveis.

É preciso ter a sensibilidade para perceber,
que mesmo na mais simples obra, o artista
nos revela às vezes o impossível em algo
real, visível e possível aos nossos olhos
e sentidos.

Às vezes surpreendem pela "feiura" e "estranheza",
às vezes pela beleza e encanto aos olhos, dentre outras
sensações que nos causa a cada um de um modo especial.

Artista e arte são um conjunto em busca de sintonia
com o mundo ao qual criam, e ao qual pertencem,
na mensagem de que sonhos são possíveis, e que
a fé na ação, se tornam realidades às quais sonhamos,
às quais buscamos, às quais podemos criar enquanto
expectativas de um mundo cada vez melhor em prol
dos humanos em busca de sua humanidade e
humanização.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Surpresas da vida


Muito me surpreende a vida que levamos.
Muito me surpreende as incógnitas que
nos aparecem e nos envolvem.

Surpresas nem sempre doces,
às vezes amargas, que às vezes
dão panos pra manga e rapinha
no fundo do tacho, pior, rapas
queimadas.

São surpresas, feito estrelas
cadentes a caírem do céu, um
cometa que passa, uma estrela
que se apaga e mil outras que se
acendem, um doce que se azeda.

Muito me surpreende a vida
que temos, o que nem sempre se sabe
ao certo ser acasos do destino,
ou respostas às escolhas que se
faz no dia a dia a tal humanidade.

Muito surpreende a vida que
levamos, que em altos e baixos nos
envolve e direciona por vários caminhos
entre altos e baixos, aprumo.

Surpresas e mistérios que surpreendem
a cada dia, mas que se fundamentam na
filosofia, e ciências outras que alertam
para o livre arbítrio e consequências das
escolhas, o que inocenta a Deus, e que
abre novos horizontes para inocentar
a humanidade, encaminhando-a para
a luz, caminhos mais amenos, mesmo que
estreitos a conduzir à Perfeição do Senhor
e no Senhor.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Coitado do povo, sempre culpado


Falar mal de um político ou de outro hoje
em dia no Brasil está complicado, boa parte
não o são, seja de direita, seja de esquerda,
sejam os que ficam por cima do muro.

Sei que os bons existem.
Mas acredito que são minoria.
Queria saber quem são para assim poder
votar direito nas próximas eleições e não ser
chamado de culpado, enquanto povo, de colocar
os corruptos no poder.

As fantasias que usam são muito reais.
Parecem muito com ovelhas.
Pena só vermos que são lobos quando
estão no poder a sugar tudo que era para ser
direcionado ao povo.

E o povo ainda leva a culpa.
Coitado de nós.

Acada dia mais analfabetos funcionais.
A cada dia mais mergulhados num mar de alienação.
A cada dia mais afundados em mídias que falseiam
e maquiam a realidade, nos teatros da enganação.
A cada dia mais sem boas opções.

E o povo é o culpado...

A voz do povo é a voz de Deus.
Mas não veem que quem dirige o povo, são os que
nem os ouvem, e pior, são os que os colocam a
cada dia em frias maiores ainda.

A decisão estão nas mãos destes, que quando
vão às ruas são chamados de arruaceiros, são
chamados de rebeldes sem causa, se baderneiros,
e de vândalos.

O que fazer se somos enganados no voto,
se somos ludibriados no que prometem e não
cumprem, se estamos nós, todos de mãos e pés
atados, pois a culpa sempre é a nossa?

Seria eliminar os políticos que existem por ai,
e começar do zero educando verdadeiramente
as novas gerações, contra a corrupção?

Para que assim surjam políticos, realmente
politizados e éticos capazes de guiar um povo?

São muitas questões, poucas respostas, e
poucas opções.
E o coitado do povo, de nós, ainda
permanecemos com a eterna culpa.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Tudo encaminha para o Pai


O que é Páscoa para você?

Espero que seja mais que chocolates
e outros criados pela mídia.

Espero que seja vida de Jesus a brotar
constantemente em seu coração!

Se não for, que ao menos seja amor!

E que sua vida seja seguida e vivida
neste amor...

No fim no amor, tudo se
encaminha para Deus.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Ele reside em nossos corações


Tirou-se a pedra.
E Ele não estava mais lá.
Não foi ainda para o céu.
habitou-Se em nossos corações!

By Adalmir Oliveira Campos 
adalmir-campos.blogspot.com.br

sábado, 19 de abril de 2014

Prefiro as pessoas "brancas"


Não gosto muito de pessoas que se
apresentam boazinhas.
Me valem mais as suas ações.

É somente o tempo quem as revela.

Prefiro aquelas que são claras,
alvas no agir, sinceras e grossas
às vezes.

Mas que sempre falam frente a
frente o que pensam, e
agem conforme falam mantendo
senso e o consenso.

É somente o tempo quem as revela.

Pessoas que se apresentam muito
boazinhas me lembram as bruxas e
bruxos da infância, bem como dos
"ciganos", homens do saco e bicho
papões que levavam as criancinhas.

Sem falar nos corruptos políticos
que se apresentam sempre em pele
de cordeiros, e só mostram os lobos
que são quando de posse do poder.

Sei lá, até o demônio se apresenta
o mais belo dos anjos!

É somente o tempo quem as revela.

Prefiro pessoas brancas, transparentes.
Cuja essência cheire bem e me cause
empatia. Tapinhas nas costas muitas vezes
veem acompanhadas de apunhaladas.

Nem sempre beleza se põe à mesa.
Nem bondade aparente demonstra
caráter e bom coração.

Temo as pessoas que me chamam
de amiguinho, de coleguinha,
mas que nas costas falam horrores,
não que eu as inveje e queira ser
como elas, não acredito neste ditado,
por sinal muito mal colocado, pois
inconscientemente aliena as pessoas
deixando-as incomodadas em criticar
às más ações do algozes.

É somente o tempo quem as revela.

Temo, mas não me rendo.
Luto como posso, com as armas que tenho.
Mas minha fé é de que o bem sempre
vence, e que a justiça, seja terrena,
seja de Deus um dia veem.

Aí separar-se-á o joio do trigo.
E as boas sementes prosperaram.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Acuado fora de mim


Rasgou-se o céu.
Rasgou-se o véu.
Me vejo às vezes ao léu.

Lembranças vão e veem.
Desnudam-me a alma.
Me deprimo, me envergonho,
me culpo.

Me vejo insano, pouco santo,
misero pecador!
Horror.
Logo eu que tão humano
sempre quis e almejei a luz
e perfeição.

Realidade.
Perfeição só na ficção, no mundo das
idéias ou no mundo de Deus.

Quem sabe um dia eu não caiba lá!

Sopra o vento.
Correm as águas, frias e turvas,
furiosas ao se misturar com a
chuva e às vezes às tempestades.

Sopra o vento.
Correm poeiras, areias feito dunas
a se formarem aqui e ali.
A cegar, a encobrir, a sufocar às vezes.
E eu, aqui.
E eu, ali.

Rasga-se o céu.
Rasga-se o véu.
E eu me vejo ao léu.
Entregue às lembranças, dos tempos que
se foram, dos tempos que se perderam
no tempo, e no tempo que virá.

Correm sangue nas veias, na pele, vermelho
viscoso, chagas abertas...

Pecado mundano, insanidade que consome.
Alienação que condena.
Vida e morte.
Morte e vida.
Vida em morte.
Morte em vida.

E a pureza se foi, quando a criança se perdeu.
Nu, selos e lacres da pureza violados, violentados
pelo homem que cresceu, que surgiu, da criança que morreu.

Luto.

Confuso grito nas trevas.
Busca de luz acima, pois abaixo só escuridão.

Tento em vão costurar os céus.
Tento em vão costurar os véus.
Tento em vão sair da pertença de estar ao léu.

Afronta às leis naturais.
Afronta às lei celestiais.
Afronta aos cosmos e tudo que há e nada mais.

Que bom seria se viéssemos com manual de instruções.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Chegamos aos 13.000 acessos!! Obrigado!!!

(clique na imagem para ampliar)

Passando para agradecer aos amigos e amigas, leitores e leitoras do blog Ateliê Maria Campos - Poesia, Comunicação e Arte (adalmir-campos.blogspot.com.br) pelos mais de 13.000 acessos!!

Muito agradecido! E peço, por favor, compartilhem essa ideia, leve a mais pessoas mensagens diversas para reflexão, poesias e arte. O mundo necessita e muito de palavras amigas que resgatem o humano em cada ser.

By Adalmir Oliveira Campos 
adalmir-campos.blogspot.com.br

Prêmio "The cracking chrispmou bloggywog award!"


    Venho aqui publicamente agradecer a Jhordany S. Siman, O Poeta que indicou nosso Blog Ateliê Maria Campos - Poesia , Comunicação e Arte ao Prêmio "The cracking chrispmou bloggywog award!". Fiquei muito emocionado e agradecido, com certeza um fator a mais de motivação para que eu continue nesta "batalha" diária que é escrever e levar mensagens diversas ao mundo na busca da instauração do amor e vivências com práticas deste amor, tão falado, tão combatido, muitas vezes não exercido. Obrigado S. Siman, meu terno e carinhoso abraço poético e amigo! http://simon-poeta.blogspot.com.br/2014/04/premio-cracking-chrispmouse-bloggywog.html

PRÊMIO: The cracking chrispmouse bloggywog award! ~ Poesia é Vida!
simon-poeta.blogspot.com.br

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Gostosuras de chocolate


Ovos de Páscoa são encantos de chocolate que muitos desejam o ano todo a chegada.
Ovos de chocolates são gostosuras vindas do fruto chamado cacau.
São delícias eu sei, para muitos delícia sem igual.
Só fico meio sem entender o motivo de eles tomarem toda a magia da Páscoa, e de seu significado, e serem assim idolatrados.
O motivo não é Jesus?
O motivo não é relembrar, trazer à tona, fazer presente seus momentos finais enquanto Homem Santo aqui na terra, Filho de Deus encarnado em mesmas condições de igualdade com os homens, o qual optou em viver a Vontade do Pai, e se sacrificou por amor a todos nós? Que venceu a morte e morte de cruz, para que assim fossemos todos antes e após Ele livres desta. Não veio Ele nos ensinar que podemos também optar por viver a vida da melhor maneira possível e vencer a morte que nos vem sorrateira, no dia a dia, nos tirando o brilho da vida e fôlegos Divino.
Muitos pais se culpam por não conseguirem dar um ovo de Páscoa ao filho, outros se endividam querendo dar o maior e "mais gostoso" e rico de surpresas e brinquedos, junto com um Feliz Páscoa e nada mais.
São milhares de chocolates a movimentarem o mercado nesta época.
É certo que gera emprego.
É certo que trás lucros na paga de impostos, os quais espera-se serem revertidos ao bem comum.
É certo que alegram as crianças.
É certo que trazem dores de barriga, espinhas, e algumas gordurinhas a mais (nem tudo é perfeito).
Mas e os motivos reais deste tempo quaresmal, desta semana Santa, deste atualizar dos momentos finais da vida terrena de Jesus, o qual permanece vivo na ressurreição?
Não deveriam vir em primeiro lugar, com vistas a "melhorar" um pouco estes humanos cada vez mais terrenos e distantes de suas raízes e de Deus? Onde fica o auto-amor? Onde fica o mudar de vida, deixando o homem velho e se revestir do homem novo, trocando assim a morte pela vida? Onde fica essa doação no amor, doação nada egoísta, que se faz em prol de si e da coletividade, feito Jesus, mesmo em morte de Cruz?
Que tenham chocolates, mas que primeiramente tenham Paixão e Amor, no reinventar a vida a cada dia, a cada Páscoa no se tornar mais humano num viver em humanidade que se espelhe no amor e na dignidade.

Feliz Páscoa!

By Adalmir Oliveira Campos 
adalmir-campos.blogspot.com.br

Exemplo maior, exemplo de cruz


Nele, exemplo maior não há.
Mesmo que tudo fosse fantasia,
os exemplos e palavras de Jesus
seriam eternos.

Foi e é tamanho amor.
Amor de doação.
Amor de cruz.
Amor do Filho de Deus, nosso
Jesus.

Ninguém como Ele expressou
o amor em ações.

Exemplo a ser seguido, objetivos de vida
a serem espelhados e compartilhados mundo
a fora.

Cruz e dor, parteiras de um amor que livrou-nos
da morte, e nos fez ver que há possibilidades
da luz, da paz, da libertação, do amor.

Cruz e dor, parteiras de um amor que livrou-nos
das mesquinharias da vida, ou ao menos nos ensina
o que é melhor para o viver, o melhor para se alcançar
o céu, e desde já viver uma vida nova e feliz aqui
nesta terra e depois no que há de vir após a vida terrena.

Amor de cruz nos libertou.
Amor de cruz nos orienta.
Amor de cruz nos desperta o viver.
Amor de cruz nos orienta ao bem e ao amor.
Amor de cruz nos leva a refletir sobre
quais caminhos são melhores para se chegar ao
céu, os quais nem sempre são de flores e perfumes.

Às vezes de dores, suores, tribulações.
Às vezes de curas, de repouso, de alegrias.

Mas sempre no bem e no amor, nas escolhas e ações
norteadas por este amor.

Com certeza as consequências serão o céu.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Ei, levante a cabeça!


Ei, levante a cabeça!

Jesus quis te mostrar que é possível vencer a morte.
A cada dia, a cada amanhecer, a cada nova aurora do viver.

Nunca é tarde para deixar o homem e mulher velhos,
e abraçar e ser o homem e mulher novos, livres
das amarras das más escolhas, das más atitudes,
dos maus comportamentos que te afastam da luz
e evolução corporal e espiritual.

Ei, levante a cabeça.
Jesus vive...
E te convida a viver plenamente a cada dia.
Livre-se das amarras.
Lute contra todo tipo de alienação e de escravidão.
Este é o sentido de sua vinda à terra, ao vencer a
morte e nos mostrar o lado bom da vida, que passa
pela simplicidade de ações, de coração, de escolhas
e do amor.

Ei, levante a cabeça!
Nunca é tarde!
Para todos há um jeito.
Para todos há uma solução.
Jesus nasceu e viveu para te mostrar este propósito,
de que o céu está ao alcance de todos, e de que o céu
pode ter começo nas vivências aqui na terra.

Ei, levante a cabeça!
Jesus vive e te convida a viver junto D'Ele.

Feliz Páscoa!

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campoa.blogspot.com.br

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Que trabalho seja lugar que se queira voltar.


A gente se acostuma tanto com o trabalho.
Infelizmente, é como aliança, grades ou coleira.

Mesmo sendo feriado, a gente lembra deles.

Acorda cedo, quando podia dormir até mais tarde.
Fica de olho no relógio e mantém certas rotinas
como se a qualquer momento tivesse que voltar
ao mesmo.

E assim pouco aproveitamos, e o dia passa rapidinho.

Às vezes sobra um tempo para um boa leitura.
Um namoro, um sexo, e alguns beijos e abraços.
Às vezes sobra tempo para um filme, um passeio
na chuva (se der a sorte de chover no dia do feriado),
uma caminhada um sorvete.

Mas sempre estamos amarrados mesmo sem
cordas ao trabalho, que nos chama para o dia de
amanhã, e depois o outro e o outro, após o feriado
tão esperado.

Trabalho deveria ser motivo de alegria, já que
dizem trazer "dignidade" ao viver...

Um lugar onde se passa a maior parte da vida
não pode ser momentos de sofrer, sem tempero
e sem prazer... Isso chama-se escravidão, ditadura,
a aprisionar cada ser.

São vidas humanas, não é necessário sacrificar.

Trabalho também é lugar que cabe compaixão,
que cabe amar. Juntos num só objetivo que é a
dignidade humana instaurar, para que aja melhor
distribuição de renda, que a paga seja justa, e
todos venham evoluir e a ganhar.

E que os finais de semana e feriados não sejam
mais visados que os dias de trabalho, que este
seja o lugar, para onde queiramos retornar todos
os dias, com esperanças de também ser mais
feliz ao estar no lar.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Lincoln


Assisti o Filme Lincoln.

Achei o mesmo fantástico, embora um pouco erudito.
Recomendo aos políticos e não políticos, mas que vivem,
querendo ou não como seres políticos, a assistirem.

Verdadeiro retrato de compaixão, sabedoria e preocupação
não somente pessoal, mas pela coletividade e libertação do
humano na busca na igualdade por direitos enquanto humanos
diante da lei/ constituição.

Ao ver o filme fiquei imaginando a leitura do livro que inspirou
a este, e aos livros que inspiram tantos outros filmes que vemos
mundo a fora nos cinemas brasileiros e estrangeiros.
Devem ser uma maravilha!

Ver um filme, ir ao cinema ou em casa mesmo, tem toda uma
magia e truques cinematográficos que nos prendem. Vem tudo
mastigadinho, sem exigir muito do nosso esforço físico e mental
e faz bem.

Mas como uma boa leitura, acredito que não.

Na leitura nos tornamos diretores da história que lemos.
Criamos personagens.
Criamos espaços e lugares.
Criamos a trilha sonora.
Criamos luzes e sombras.
Criamos figurinos e meios de transporte.
Criamos mundos e mundos.
E assistimos de camarote em várias dimensões e possibilidades.

Ler trás mil e uma possibilidades.
Enriquece a alma, olhos, coração e mente de quem lê.
Sem falar que estimula a aprendizagem, novos conhecimentos,
possibilidades de enriquecimento de vocabulário (escrita e oralidade),
e trazendo benefícios ao intelecto, estimulando os neurônios e
outras ligações mentais que nos enriquece em nossas próprias
experiências e viveres humanos.

Ler faz bem, e ver um filme também, que mal tem?
Que tal os dois.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

A vida pode se tornar bela no amor


A vida nem é tão bela assim.
Mas é vida enfim.

É preciso cultivar flores e fazer
surgirem borboletas e perfumes.

Assim diminui-se o azedume e a mesma
torna-se suportável.

Viver é necessidade, já que se veio
ao mundo.
E vida é movimento não jeito.

É vento a bater no rosto a espatifar
os cabelos... São ações cotidianas
que impulsionam pra frente, evolução.

É trem em disparada, que faz paradas
em estações, desce gente, entra gente
e se vai, e segue em frente.

E o trem sempre se renova.
Mais feliz, menos feliz.
Mais amor, menos amor.
Alegria e dor.

E a vida acontece e nem é tão bela assim.
Mas é vida enfim...

É vivê-la no amor que trás o tom,
que trás a cor, e esta com certeza
só se torna bela no amor.

Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Páscoa é vencer a morte


A doçura da Páscoa não está nos chocolates.
A beleza da Páscoa não está nos comerciais de tv.

A surpresa da Páscoa não está nos presentes e ovos
de chocolate que se pretende ganhar.

Nem nas festinhas da escola, nas caras pintadas de coelhinho,
nas musiquinhas infantis.

O encanto e a magia está na vitória contra a morte,
a qual se faz a cada dia, nas escolhas por amar...

Amor a si, amor ao outro.
Amor de cruz.

Amor feito Jesus, o qual não visou e nem visa a si
mesmo, mas às multidões daquela e de todas as épocas.

Feliz Páscoa amigos e amigas!!

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

terça-feira, 15 de abril de 2014

Caminhando entre água e vassouras (Crônica)


Tento manter uma rotina de caminhar e fazer uma atividade física.
Mas como sempre me vejo falho neste objetivo a que me proponho de ter e viver de forma mais saudável, o que também acontece com minha alimentação. 

Mas não desisto nunca, vou tentando, um dia quem sabe consigo instaurar esta rotina saudável.

E sempre que saio para caminhar, no meu retorno passo pelo centro da cidade, carros em movimento, pessoas indo e vindo, algumas para o trabalho, outras para realizar alguma compra no comércio local, supermercado, padaria, e outros também tentando manter uma vida mais saudável como eu, realizando a caminhada matinal. O mesmo se repete à noite, cada um no horário que lhe permite.

E como sempre, me ponho a observar, poetas tem disto, bem como os artistas.

Lojas sendo abertas, trabalhadores chegando e fregueses também e um costume estranho, que noto, pois ao meu ver, o ideal seria limpar a loja após fechar o expediente do dia, mas talvez seja normal, os funcionários limpando as lojas, jogam água daqui, jogam água dali, varrem passeios e assim por diante.

Hoje, ao subir pela avenida, rumo à minha casa que fica próximo ao centro, vejo uma senhora de cabeça baixa, parecendo envergonhada por estar a varrer a calçada, eu vou subindo, e olho pra ela, e ela olha pra baixo e continua a varrer... 

É um varrer espaçado, onde a vassoura vai bem à frente do corpo dela, e depois bem atrás, quase que pegando o passeio todo. Chego perto e ela continua, e eu me aproximo, e ela continua, cabeça baixa, vassoura vai, vassoura vem e eu quase levo uma vassourada, a outra vendedora na porta olha rindo, de mim e da outra que varre cabisbaixa, e que ao melhor, nem ao menos pediu desculpas.

E sigo, mais à frente uma com uma mangueira, acabou molhando meu tênis, imagina aquele senhor que ia entrar na padaria e estava calçado de chinelos? 

Continuo rumo à minha casa subindo pela avenida, outra vendedora com uma destas máquinas modernas a lavar e varrer o passeio e a rua ao mesmo tempo e os passantes, trabalhadores, clientes a se desviarem para poderem passar e adentrarem na loja ou seguirem seus caminhos. E assim foi, e assim é todos os dias.

E aqueles que arrumam um tempinho para fazerem suas compras
pela manhã, sempre ou quase sempre se molham, ou ficam com vergonha e sem jeito de entrar na loja que acabou de ser limpa, e ainda está molhada com aquele pano para limpar os pés na entrada, ou ainda engolem poeira e correm o risco de levar algumas vassouradas.

Sei que não existe certo ou errado.
Mas não seria melhor limpar a loja ao fim do expediente?
Baixar as portas, começar a limpar de dentro, e depois lá fora?

Pela manhã, só uma vistoria no passeio e uma complementada se necessário.

Assim correríamos menos riscos de acidentes como quedas por pisos molhados e escorregadios, vassouradas, rodadas e mangueiradas d'água, sendo mais respeitados.

Mas, fazer o que, continuar tentando manter minha rotina de praticas esportivas e uma alimentação saudável.

By Adalmir Oliveira Campos 
adalmir-campos.blogspot.com.br

Do pouco em pouco se faz muito


São de pequenas, e em pequenas coisas,
que vamos construindo grandes coisas
de forma sólida e segura.

É preciso dar valor a estas pequenas coisas.

Pois até o universo e mundo que conhecemos
já foram um dia um sonho de Deus, partículas
atômicas que pouco a pouco, e na ação diária,
semanal, mensal, secular e até mesmo milenar
se tornaram o que conhecemos hoje.

Pouco a pouco.
O que é possível para cada dia.
É difícil, eu sei, pois muitas vezes as cobranças
externas são "pra ontem", mas somos humanos
e não máquinas...

Precisamos dar o máximo de nós dentro de nossas
limitações, condições físicas e psíquicas e prontidão,
mais do que isso, com certeza é escravidão.

É preciso questionar.
A si, ao outro, e ver as prioridades, e pouco a pouco
consagrar seu trabalho na realização do mesmo e na
auto-realização.

Sacrifícios às vezes são necessários...
Algumas renúncias talvez.
Mas, mais do que isso, é escravidão.

A abolição já foi dada.
É preciso permanecer na ação.
Mas jamais quieto a boca e o coração
quando há a exploração...

De pouco em pouco, se faz muito.
Basta esforço, continuidade e equidade nas ações.
O que não pode e se entregar demasiado e findar-se
a vida no trabalho, sem vida familiar e social, pois é
aí que surge todo o mal, que provocam ansiedades,
medos, culpa, e depressão e outros males que assolam
a humanidade.

De pouco em pouco e no amor, se vive dignamente e
em humanidade.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Cafezinho com gosto de amor


Tomo meu cafezinho pela manhã.
Isso me alerta para o dia.

Faço amor antes do café.
Isto me alegra e faz sorrir e assim
eu ganho mais alegrias.

E o amor, impregnado em mim
me acompanha em minhas rotinas
num pensar, num cheirar, num sentir,
na ausência que a distancia das horas
nos trás.

É a saudade que alegra o pensar no reecontro
ao entardecer...

E o cafezinho me acompanha
no decorrer do dia nas ausências de você.
Me alerta, me dá sustância, me agita,
me aquece e me deixa pronto pra você.

Às vezes me deixa elétrico.
Confuso, mas no teu colo
encontro pouso, encontro razão,
encontro prumo.

E juntos adormecemos relaxados
no prazer.
By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Queroso de toda você


Queroso dos seus beijos.
Queroso do seu cheiro.
Queroso de seu abraço.
Queroso de toda você.

Queroso deste fogo querosene.
Queroso deste fogo abrasador.
Queroso deste amor que em nossa
união se faz creme, quente, ardente,
fantasias mil.
Que se torna cada vez, a cada dia
mais intenso na unidade com você.

Saudade, quando ausente.
Onde esta querência, jamais me deixa
te esquecer.

E querendo, vai sendo este meu unir
cotidiano a você.
Corpos, mentes, sexo, amor, suores e
sorrisos.

Num só querer.
Num só viver.
Num só amor.
Num só, eu e você.

E assim vais sendo o meu viver...
Cada dia com mais sede e querência
de toda você.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Amor, gás renovável


O amor existe e o gás é renovável.
Horas a chama diminui.
Horas a chama aumenta.
Horas se intensifica de tal maneira,
que dá lugar à paixão.

Aí, loucuras de amar acontecem.
Mas com o tempo normalizam.
Coração não aguentaria tanta explosão...
Tanta emoção e tanto fogo constantemente.

É preciso temperar.
É preciso assossego.
É preciso fogo brando,
porém no amor só não há pausas.
É sempre um continuidade.

Um sobe e desce.
Um vai e vem.
E tudo fica bem.

O amor é gás e gás renovável.
O amor existe e é gás natural.
O amor existe e isso é normal.
Pois no amor não há nenhum mal.

Só o bem se manifestando e promovendo
a vida em harmonia e abundância.
Onde a queima resulta no bem das almas
em elevação ao Criador.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Tribulações


Tribulações todos passam.
Tribulações ninguém quer.
Não é Deus quem manda,
elas vem e pronto.
Às vezes é grande a demanda.

Mas não são feito assim sorteio
da mega sena que premia a alguns
e a outros não.

Elas veem diante de nossas escolhas,
diante de nossas ações. E em decorrência
em alguns casos, de "mistérios", que
porventura, se for levar a fundo terá raiz
em nossas más escolhas humanas,
sejam estas pessoais ou coletivas.
Mas acredite, todos pagam o preço.

Somos um corpo vivo.
Se uma parte está doente,
compromete todo o resto, seja
moderadamente ou seja severamente.

E as tribulações veem.
E também são professoras, e por mais
que provoquem dor e lágrimas, também
trazem e produzem reflexões, e produzem
aprendizagens e crescimento humano.

Mas o bom seria, se as aprendizagens
viessem de situações mais felizes.
Quem sabe um dia não serão?

Enquanto isso, caminhemos...
Sigamos em frente nos bons tempos.
Tribulemos nos maus tempos.
Mas sempre com a fé e a certeza
que tudo passa.

E um dia alcançaremos o céu.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Amor utopia.


Poucos hoje em dia falam do amor.
Nem querem saber de Poesia.
Nem ao menos Filosofia,
educação, religião, perfume e flor.

Os cálculos sempre vem em números,
a render juros nos bancos e empreendimentos.

Amor virou negócio.
Quem dá mais merece mais.
Tem até aqueles que entram no consórcio.

Amor era gratuidade.
Vinha num sorriso encantador.
Permanecia pois bastava ser correspondido.

Hoje amor virou bandido.
Se instala se houver algo em troca.
Assim feito paçoca, meio doce, meio sal,
mas nunca completo o amendoim, são
soja pura.

Amor hoje em dia, é meio que utopia,
que poucos conseguem alcançar.

É preciso abrir os olhos, e mais ainda o coração.
Pois o humano precisa ter a noção, de que
para um mundo mais humano, mais irmão,
é necessário instauração de um sistema de amor
a guiar todas as nações...

Capitalismo bruto e cruel aliado à política do anti-amor
só gera hipocrisia, burocracias, corrupções e muito
sofrimento e muita dor.

É preciso novos sonhos...
É preciso novas lutas...
É preciso novos rumos...
É preciso novo amor.

Que este seja motivo de noticiário.
Que este seja a prioridade.
Pois é essa mídia em boa parte, é
quem apunhá-la o amor, quando divulga
incentiva e motiva, nada mais nada menos,
que sofrimento e muita dor.

Que a próxima era e todas que hão de vir,
sejam eras do amor...
Pois chega-se um tempo, que basta de tanta
dor...

Chega um tempo que é preciso viver os sonhos,
tornando-os realidade, com bases sólidas
no amor.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

domingo, 13 de abril de 2014

O que seria inferno?


O que seria o inferno a não ser as tribulações
que passamos na vida?

O que seria o inferno a não ser as consequências
de nossas más escolhas?

O que seria o inferno a não ser a influência negativa,
e as consequências das más escolhas dos que são próximos
e distantes, mas que sempre respigam para todo lado?

Não seria Deus o criador do inferno, e nem o demônio.

Somos nós os seres humanos que o construímos em nossas
vidas e mundo dia a dia, diante de nossas más escolhas.

Acredito que o inferno...
A paga pelos nossos pecados e más escolhas não nos é
atribuído por Deus, mas por nós mesmos, e a paga vem no
dia a dia, na passagem que se faz por sobre a terra.

Depois,
Ahhhh!!!
Com certeza só o Céu!
Deus nos espera de braços abertos.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

A sabedoria vem com o tempo.


A sabedoria vem com o tempo.
Tempo este que promove o amadurecimento
da coisas, e as tornam prontas para assim
serem saboreadas como fruta madura.

Tudo ao seu tempo...
Até os passarinhos reconhecem a fruta verde
e a diferencia da madura.

Prontidão e não prontidão.

Nascer, crescer e evoluir.
Todos no seu tempo.
No caso de seres humanos alguns mais breve,
outros nem tanto. Levam anos...

Depende muito da criação.
Depende muito da educação.
Depende muito do meio e contexto em
que vivem.

Mais ainda das escolhas pessoais, diante de tudo
que lhe foi apresentado, para que amadurecesse
em tempo e desse frutos e frutos bons.

Por certo, até alguns estragam.
Apodrecem e chegam a manchar outros próximos.

Mas com o tempo, seja este nosso ou o de Deus.
Da putrefação, da fermentação do mal fruto,
o bem pode acontecer, como que se transformando
em adubo orgânico, volta à terra, vai ao céu e
torna à terra e recomeça...

Novas escolhas, novos rumos.
Amadurecimento, prontidão.

E assim, segue a vida, e a sabedoria acontece, se
expande e promove outros bons frutos e assim
por diante, até que um dia se chegue à plenitude humana.
Tão sonhada.
Tão distante,
mas possível.

Aí, só o tempo.
A sabedoria já vem incorporada neste.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Eu acredito na Bíblica


Eu acredito na Bíblia e na oração.
Creio em Deus Pai, no Espírito Santo e
em Jesus nosso Irmão.

Mas nem tudo eu levo ao pé da letra,
busco ver o contexto que era e contexto
em que vivo, e peço sempre orientação e
sabedoria em cada situação e leitura,
no viver do dia a dia.

A orientação certa se faz sempre no amor,
e sempre nos liga ao Senhor. Se nos afasta
de Deus, nem ao menos é religião.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

O que fazer com essa juventude?


O que fazer com essa juventude de hoje que pensa que o mundo é todo virtual?

O que fazer com essa juventude de hoje que pensa que o mundo é um joguinho em três dimensões?

O que fazer com essa juventude que se relaciona e conversa como se estivessem sempre conectada num bate papo?

Já não pedem benção.
Já não falam bom dia, boa tarde e boa noite.
Já esqueceram o que é um obrigado, um por favor.
Aos professores e mais velhos chamam de tios e não de senhor.

Jovens estes que se acham auto suficientes e usam de linguagens
cada dia mais vulgar, onde parecem invertidos os padrões de bom gosto, beleza e educação.

O que fazer com essa juventude que confunde liberdade com libertinagem fica a questão.

É um mundo novo que surge, onde nem todos aceitam ou respeitam, são mundos diferentes e complexos, muitas vezes sem nexo, desconexos, que contrariam o amor e o respeito, e não somente o bom e velho português.

O que fazer com essa juventude que a cada dia dá menos valor à educação, que vive "tufiadas" nos computadores, celulares, smartphones, jogos e televisão?

O que fazer com essa juventude que não se preocupa ao menos um pouco com o dia de amanhã, e se entregam às festanças, bebidas, drogas e prostituição?

O que fazer, eis a questão.
Creio que a resposta continua no amor, no respeito e na educação.
Mas para tanto, é preciso abrir a mente, o coração e o bem querer.

By Adalmir Oliveira Campos 
adalmir-campos.blogspot.com.br

O que será destes humanos?


O que é o que é?
O que é que será?
Destes humanos que não aprenderam
e não aprendem a arte de amar?

Possuem os corações endurecidos.
Sangue azul esverdeado.
Se postam no mundo feito mármore
gélido e pálido, e não se abrem aos bons
sentimentos, atitudes e emoções.

Cartões de crédito, dinheiro e lucratividade
é o que os move e nada mais.

Auto-amor desconhecem,
e também aos demais.

Mas no amor seriam mais...

É difícil olhar nos olhos e não ver almas.
É difícil olhar nos olhos e não ver bondade.

Embora eu acredite que todos possuam um
um lado bom, alguns parecem ter o corpo
negro e fechado.

Desprovidos de amor, nada são, do que ausência
de luz, completa escuridão.

São sombras a vagar no mundo na busca de
tirar a luz de outros e também o amor, até que
permitam amor em seus corações.

O inferno é para poucos.

Basta escolhas no amor,
pois o céu é para todos.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br