quarta-feira, 16 de março de 2011

Centelhas de amor


Sonhar em te ter novamente, foi fé naquilo que é bom.
Se nos amamos, foi por escolhas do coração.
Se nos perdemos, foi confusão.
Escolhas mal feitas eu sei...
Como gotas que caem na água,
Turbilhão que gerou consequências.
O amor se perdeu.

Mas se resta uma centelha de luz,
Se a chama ainda não se apagou.
Das brasas, o fogo ainda pode arder.
O fogo ainda pode revigorar.

E assim, através de escolhas bem feitas...
Por mim, por você.
Ele pode crescer.

O jardim pode ter mais flores.
O inverno pode ser mais quente.
A noite dar lugar ao dia.
A tempestade lugar ao sol...

E assim, o arco iris pode ser a aliança
Desse amor que sonhamos pra nós.

By Adalmir Oliveira Campos. 09/02/2011

Grande Coração


Hoje me vi chorando por ti.
Pois sei que um dia te perdi.
Mas não desisto do amor.

O amor, é caro de mais.
Pode ser que não me ame, eu
Não volto atrás.

Menos que amor, não quero jamais.
Fico só se preciso for.

Por que viver só de aventuras,
Pra mim não têm valor.

A gasolina é cara.
Acaba rápido...
Mas é ela que move o meu carro.
Assim como  o amor move
O meu coração.

Álcool pra que?
Se rende pouco e no fim sai menos barato;
Assim como paixões passageiras
Que como droga alivia a dor por momentos
E às vezes arrasa ainda mais.

Meu coração é grande, esse amor acomoda
E com certeza com o tempo vem mais.

By Adalmir Oliveira Campos. 09/03/2011

Versos tristes...


Nestes versos tão tristes,
Faço música da minha história.

Sonho de um amor vivido, que
Ainda hoje guardo na memória.

É bela a história de amor de duas almas
Que se econtraram.
Veio a paixão ardente.
Veio o amor tão quente.
Juras...
Esperas...
Saudades.

Dias tão felizes já não vemos mais.
O amor tomou outros rumos.

Perdemos  o que era caro demais.
Hoje, só me resta a lembrança deste tempo
Que não volta atrás.

Minha alma anseia a sua.
Meu corpo já se perdeu.
Minha mente parece crua.
Pois nela só tinha você.

O que nesta história me mantém vivo,
É saber que jardins florescem...
É ter a plena certeza de que as flores
Virão com o tempo.

Sabe, já posso sentir o perfume...

By Adalmir Oliveira Campos. 09/03/2011

Sinal


Dê um sinal.
Me tire desta angustia.
Mostre-me que respira.
Se aprume.

Só necessito que me digas:
__ O que quer pra nossas vidas?

Se é um ponto final,
Então me diga.
Ao menos saberei como agir daqui
Pra frente.

Se é um "sim"
Pode falar, não se acanhe...
Saberemos como agir e
Aprenderemos a agir juntos.

By Adalmir Oliveira Campos. 08/03/2011

Amor diamante


Será loucura?
Será um vício?

Tento esquecê-la,
E me afastar...

Mas parece que o universo conspira
Para que eu te busque.

Meu ser anseia relacionamento com você.
Meus olhos me traem.
Meu coração palpita.

Até meu celular sente sua falta...
Suas mensagens calorosas...
Seus alôs cheios de amor.

À noite, debruço-me na janela, e fico a
Espera de ao menos vê-la de relance
Ao passar pela rua.

Quando me deito, meus braços buscam os seus.
Minha boca busca a sua,
E você não está lá.

O sono se vai.
As lágrimas chegam e o tempo parece não ter fim.

Amor assim, comparo a diamante lapidado
De imenso valor, o qual é insubstituível.

Sabe, esse amor que sinto por você é assim,
Como esse diamante, único e especial.

Outros amores vão entrar na minha vida.

Mas será um outro tipo de amor...
Amor assim, "primeiro amor",
Como diamante só por você.

By Adalmir Oliveira Campos. 08/03/2011

quinta-feira, 10 de março de 2011

Multifacetas



Queria tanto ser eu.
Dentro de mim têm um leão.
Por que tenho que me mostrar como lebre?

Dentro de mim, há cachoeiras...
Imensas cachoeiras.
Por que tenho que me portar como pequeno chafariz?

Dentro de mim, há um mar...
Um mar em fúria,
Que na maioria das vezes é calmaria.
Por que tenho que me mostrar como mina d'água?

É aterrorizante ser quem sou, sem poder ser quem sou.
É como colocar o universo dentro de uma garrafa
De coca-cola:
Por fora, o rótulo;
Por fora, só o que atrai;
Por fora, propaganda enganosa, que promove aceitação.

Diante de tantas convenções...
Diante de tantas máscaras.
Já não sou mais um.
Sou dois em um, ou quem sabe mais?

Lá dentro, feito gás agitado. Explosões.
Fortes explosões que atordoam a alma sedenta de liberdade.
Alma sedenta de ser quem é, e assim mesmo ser aceita...
Sem preconceitos.
Sem ser visto como louco desvairado...
E sendo eu assim tão complexo, ser amado.

Desejo, poder lançar meu brilho, minha energia e
Não chocar a multidão que espera sempre as mesmas coisas de mim.

Desejo dançar pelas ruas ao som inebriante do vento.
Cantando, sorrindo, chorando, sem esconder a verdade de mim, a verdade que sou.
E assim, não me ater à verdade dos outros sobre mim.

A humanidade busca sedenta homogeneidade, e mede a seu rigor, o que é relação de qualidade, e o Que é necessário em quantidade.
Assim nos poda, nos limita, nos impede de ser quem somos.

Mas como controlar?
Não sou, só eu, um mundo assim.

Universos eclodem a todo momento das máscaras por detrás dos pierrots e columbinas...
Na busca de encontrar o equilibrio, mesmo que em meio à complexidade, do que, na mente de Deus, Nasceu para ser heterogêneo.

Hetereogeneidade, que se mistura e no clarão branco luz, se faz prisma de cores que harmonizam Trazendo equilibrio em meio ao caos.

Na busca de ser quem eu sou, torno-me um ser em relação pura e honesta com Deus, com meu "eu" interior, e com meus semelhantes.

segunda-feira, 7 de março de 2011

"Amor, é igual gasolina, é caro e pode ser substituido pelo álccol"
Uma frase assim, embora criativa, em sua ambiguidade,
É uma frase interessante para  ser refletida...
Aqui, sob meu ponto de vista...
Do outro lado do pc do seu...

Eu não sou a verdade...
Muito menos o caminho...
Embora em meu ser, eu tenha a vida.

A gasolina é um derivado do petróleo muito utilizado,
Porém é cara, pois sua estração é um pouco difícil, dentre outros
Fatores. Já o álcool, que também têm seu valor, bem como tem suas vantagens
E desvantagens como a gasolina.

Novamente o amor...


Sempre me deparo falando do amor...
Às vezes fico sem entender.
Penso que o amor deve ser muito importante,
Caso contrário não estaria na boca e no coração
De tanta gente.

Muitos ironizam o amor...
Muitos se negam a amar...
Muitos preferem se anular...

O amor, é como uma moeda.
Ele é cara ou coroa.
Uma hora nos faz felizes...
Outras horas nem tanto.

Mas, tudo a seu tempo, no amor
Se encontra, se ilumina, e
Se torna algo maior.

O amor, é que nos leva a relacionar.
O amor, é o que nos liga a Deus.
O amor, é o que nos liga à vida.
O amor, é o que nos liga ao outro.
O amor, é o que nos move na busca
De conhecimentos.
O amor, é o que nos leva a sermos humanos.

O amor, é como um bichinho
Que todo mundo nasce com ele
Dentro de se...
Um bichinho que muitas vezes precisa
De atenção e cuidados.

Um amor doente pode trazer consequências
Sérias para a vida.
Como esse bichinho mora em cada ser,
Cada ser se torna responsável em cuidar dele.
Mantendo-o saudável.

Se esse bichinho não encontra reciprocidade
No bichinho do outro, mesmo que doa bastante,
Deve deixar o outro seguir em frente, e
Assim fazer  mesmo.

Caso contrário escraviza-se o amor...
Força-se algo que destrói o amor...
Que anula, que fere e que conrrói.

O amor, é especial e caro demais para ser
Substituído.
Quando magoado e ferido,
Merece repouso, e até chorar se preciso,
Para assim se reorganizar e não deixar de
Ser amor.

O álcool, as drogas, o sexo fácil...
E tantas outras banalidades, não são remédios
Para amor doente.
Só aumentam a dor.

Amor doente precisa de ombros amigos...
Horas de solidão, momentos para refletir...
Até mesmo algo saudável para ocupar o tempo,
Como uma caminhada, um serviço voluntário,
Envolver-se em uma arte, dançar, cantar...
Cada um encontra seu jeito.

E assim o amor se encontra, desencontra...
E se mantém.