quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Para brilhar


Com certeza não tenho estrela na testa,
nem sou melhor que ninguém, e isso
nunca foi minha pretensão.

Sempre busquei melhorar a mim mesmo,
embora sempre falho e sempre tem muito
por fazer neste ofício de se auto-melhorar.

Mas busco cuidar da minha vida sem me
intrometer na dos outros, pois sei que cabe
somente a eles o auto-cuidado e melhoramento.

Cuidar da vida da gente já é tão complexo e
difícil, que dirá cuidar da vida dos outros.

Não tenho estrela na testa e nunca disse que
tinha. Foi você quem as viu em mim, e se
ofuscando, na sua inveja, quis cegar-me
acusando-me de não tê-las.

Mas não é mérito meu.

É Deus que me alumia tanto durante o dia,
quanto à noite, seja inverno ou verão, outono
ou primavera, Deus faz florescer em mim a
estrela mais bela.

Mas isso não é motivo de me sobrepor aos
outros, nem significação de que sou melhor.
Se avancei algumas casas à frente, as quais
causam inveja nos acomodados, foi por esforço
pessoal e ajuda Divina.

Nada que outros não possam conquistar ou
até quem sabe ir além...

Mas para isso é preciso focar na própria vida
no compromisso com o bem...

A rosa só se torna rosa, após superar os espinhos
e com as estrelas não é diferente...
O brilho só vem depois de muito lapidar.

Não me atenho à estrela, assim como ela pode
hoje brilhar, sem os devidos cuidados, amanhã
pode ser apenas cinzas.

Apenas caminho nos passos do amor a mim,
ao próximo e a Deus.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Sorrateira primavera


A primavera surgiu assim, simples e naturalmente
encantadora.

São cheiros e aromas indescritíveis.

Foi longa a espera.
Foi árduo até.

Frio, ventanias, chuvas e até granizo.

Envergaduras das plantas na busca da sobrevivência,
resiliência pura.

E a magnitude das plantas coroam os jardins, as florestas,
todo este meio ambiente, embora maltratado pelos homens,
pelas intempéries do tempo, e os acasos.

A florada é a resposta.
A florada é o tapa com luvas de pelica.

E os frutos veem para saciar a todos numa bela paga, com
o que se tem de melhor a oferecer...

Pois é certo, cada um dá sempre o seu melhor, e o melhor
sempre brota de dentro e segue materializado em ações.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Éden versus Modernidade, ou quem sabe politicagem


O que que foi, o que que há?
Não sei, só queria saber onde este mundo vai parar.

Obscenidades hoje é comum, e muitos até consideram
arte. Respeito e humanidade, parecem ter ido para
Marte.

Aqui nesta terra jaz os homens entregues à banalização
do ser, parecendo a vida um serial de TV, pena de pior
espécie, proibido diria a todas as idades.

Onde está o romance?
Onde está a poesia?
Aquele sincero abraço e desejos de bom dia?

Telejornais narram pura corrupção, erupção cuja
lava cobre todos os mortais, e respinga nos "ainda
com certa pureza".

Que beleza foram os tempos de outrora, hoje vistos
como caretas, mas são os picaretas que os veem assim.

O mundo um jardim florido, o éden, onde soam a paz,
a calmaria e a tranquilidade, estas que estão cada vez
mais indo por água abaixo com a insistência de viver
esta tal modernidade, tecnologias e outras barbaridades,
que sem controle, secam rios, podam árvores, poluem o
ar, entulham de lixo o mundo.

Mais um motivo a ser defendido por politiqueiros em
época de eleições, e as massas questionando onde
estão as soluções?

Promessas vazias nada trazem e de nada contribuem.

Quando o povo vai entender que político, seja qual for,
são funcionários públicos que dispensam bajulações,
somos nós os patrões e devemos cobrar um mundo
melhor, a começar pela educação, depois a saúde e
viver em dignidade, nada mais, nada menos, somente
o que merece a humanidade.

Que haja paz.
Que haja amor.
Que aja entre os homens mais compreensão, e na
vida mais sabor, menos azedume e desamor.

Que sejamos modernos sim, e que a tecnologia
seja limpa e sustentável, e que a ordem e progresso
não sejam sinônimo de destruição ambiental, e nem
tão somente enfeites da bandeira do Brasil, sejam
dados reais, e que sertanejo e poético seja o viver,
pois o éden quem constrói (ou destrói) somos nós.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Comunicação e natureza


Comunicar hoje em dia, é quase imaginário,
ou melhor, virtual.

Têm-se extinguido o toque, aquele que antecedeu
aos teclados, bem como o carinho, os olhos nos
olhos e o abraço.

Brincam até, que futuramente os bebês nascerão
de impressoras em 3D.

Mas é sério. Pois fatos e acontecimentos gelam
e engessam almas em telas touch screen.

Atropelam o bom português e uns outros enfim.
Não que o tradicional seja melhor, mas que a
busca do equilíbrio entre o antigo e o novo seja
o mais viável.

Caso contrário, como ficará?
O caos seria a resposta, a irracionalidade talvez,
ou quem sabe desumanização de cada ser.

Homens e mulheres de várias idades, frios e
mecânicos, mergulhados em luzes, cores e jogos
de ilusões, sem ao menos sentirem ou saberem
que a vida segue em vão, e que muitos se utilizam
disto para fazerem o que quiserem com as pessoas
e com o mundo.

E os rios, cachoeiras, florestas, céu estrelado
e lua cheia? ...
Meras fotografias e vídeos no YouTube.

Alienação...
Banalização do ser e do meio ambiente...
Prato cheio para os predadores e poderosos
detentores do poder.

Será um dia tudo assim?
Será um dia este nosso fim?

A resposta está em cada um de nós e em nossas
ações no presente, que por mais dura que seja a
realidade, é algo seguro, palpável e real.

Há o toque...
Há os olhares...
Há os abraços...
Há as falas ao pé do ouvido.
Há os olhos nos olhos.
Há a entrega de corpos e mentes e corações.
Há o prazer real de sentir a brisa no rosto, a areia
da praia sob os pés ou dentro das roupas intimas,
a pressão da cachoeira, o canto dos pássaros
e muito mais.

Algo que nenhuma tecnologia supera, e que nenhum
jogo de entretenimento e outras fantasias substituem.

Mas as escolhas são pessoais, embora as consequências
muitas vezes sejam coletivas.

Eu prefiro a entrega humana, de mim, para os outros
meus semelhantes no bem e no amor, no mais um viver
com certas moderações, pois é certo que tudo nos é
permitido, mas nem tudo nos convém.

É certo que as tetas terrenas um dia secam, e a mãe
terra com certeza cobrará os seus investimentos,
ou o que dela foi tirado de modo irracional e insustentável.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

terça-feira, 16 de setembro de 2014

No teu colo...


Pele suave e branca, com sardinhas
e pequenas imperfeições....

Corpo esbelto, em suaves proporções.
Covinhas lindas, boas de admirar.

Coração sincero e palpitante de alguém
que sabe amar, sendo matriz, e ao mesmo
tempo amante.
Se assemelha às crianças na arte de perdoar.

Às vezes chata.
Às vezes me enraiva.
Às vezes quase me infarta.
Me passa sustos.
Me passa apuros.

Mas me surpreende no amar.
Me pega na cama, ou onde der,
me deixando daquele jeito...
Esquecemos o mundo e o sonho é o melhor
lugar.

De volta à realidade, a coisa fica boa no modo
como me olha, no teu sorriso, no teu modo de falar.

Me enche de mimos, é tão bom este cativar.

Me vejo menino a ser bajulado, e no teu colo
descanso ao me entregar.
É certo que a cada dia me ensinas mais um
pouco da arte de amar.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Doce saudável, se chama amor


O amor é um doce saudável e saboroso,
do qual sempre se quer mais uma fatia.

É doce suave que não enjoa e nem enfastia,
e o que é melhor não engorda a gente.

O amor é esse doce que eu busco sempre
ter à mesa. Este não pode faltar.

Dieta boa tem que ter amor, senão, não dá.
Amor é este doce que vicia a gente do
café ao jantar, e vai além...

Que bom, sempre faz bem!

Desse doce sempre trago cheio o coração,
e o presente cai bem a quem quer que seja
que encontre no caminho, e também com quem
escolhemos construir o ninho.

Nesse doce amor, viver é bom até sozinho, mas
por que não a dois, juntinhos?

By Adamir Oliveira Campos
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br
adalmir-campos.blogspot.com.br

Mas falta educação


Na era em que vivemos há muita tecnologia,
mas falta educação.

Mudou-se os modos de vestir, é a moda que
comanda, mas falta educação.

A comida já não é só feijão com arroz, é
variada, é Fest food, tem para todos os gostos
mas falta falta educação.

Encontraram curas para várias doenças e
controle para muitas outras, mas falta educação.

Ainda há guerras, embora em regiões isoladas,
no mais, conflitos. Mas também há o sabor da paz,
mas falta educação.

TV de LCD, de Plasma, de Led, de Etc., bem como
computadores, smartphones, celulares de última geração,
e oque manda a imaginação. Mas falta educação.

Talvez a educação seja a raiz da questão, a resultante
que se busca para um mundo e viver melhores.
Mas ainda falta educação.

Educação e amor.
Amor e educação.
Cérebro e coração.
Neurônios e músculos, busca por uma nova canção.

Se quisermos o melhor para nós e para o mundo
que comecemos com a educação e por que não com
o amor?

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

sábado, 13 de setembro de 2014

Mocinhas modernas


Mocinhas de hoje.
Mocinhas modernas.
Diferentes a cada ano que passa...

Muitas nos modos assemelham-se aos
homens, nas posturas, no modo de falar e
de tomar cerveja.

Comportadas hoje em dia são poucas.
Ousadas em sua maioria.

Que bom que ousadia não é pecado,
nem tão pouco uma dose de vaidade.

Muitas se vestem de um modo extravagante,
outras mais recatadas. Cada uma faz a sua moda.

Hoje elas trabalham e competem com os homens
por igual, pagam conta e até dão de cima e
pedem pra namorar, quando não é para casar.

Aprenderam a selecionar o que lhe faz bem,
muitas vezes paqueram por paquerar, até que
encontram alguém que vale a pena amar.
E que mal tem nisto?

Quando não encontram, fazem festas com
os amigos e curtem zoações da solteireice.

Meninas de hoje em dia, não tem medo de lobo
mau, menos ainda de bruxas e bichos papões.
Sabem bem o que querem e tomam suas próprias
decisões.

Não se empolgam com romances e contos de
fadas, mas se vestem de princesas e buscam
o felizes para sempre.

Mocinhas de hoje.
Mocinhas modernas.
Já não assustam a vizinhança e nem a vovó, estas
também acompanharam a evolução, penas,
algumas não.

Mas as que são mais belas, são aquelas que mantém
puro o coração, bom caráter e educação.
Pois é certo que certas coisas se mantém, não
importando a evolução.

Mocinhas de hoje.
Mocinhas modernas.

Já não querem somente fogão e panelas...
Querem mais.
Merecem mais.
E por isso devem sempre lutar.

Mas que a luta seja em prol do bem universal, onde
homens e mulheres caminhem como iguais e que assim
seja na busca do bem, no vencer de todo mal.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

A Rosa


A face rosa.
A rosa face.
Rosada e bela.

Ela encanta, embeleza...

Linda no roseiral, às
rosas se mistura.

Sonho sem igual.
Mulher rósea.
Rosa cor de rosa.

No mais, perfumosa,
encantadora e charmosa
de nome rosa.

Espinhos conheceu, embora
não queira, muitos ainda no
tronco e no seio carrega.

E o verde que trazem promove
cura, amenizando o viver.

E o jardim e toda rua mesmo não
aderindo ao rosa, ficam mais coloridos
e alegres quando passa a rosa.

A rua não é rosa, mas já é das rosas
que alegram a Rosa e encanta os
que por ali passeiam.

E tornam-se mais rosa, por causa da Rosa,
que a rosa trás nos cabelos aninhada.

A rapaziada enfeitiçada trazem rosas
em buquês na busca de conquistar a
Rosa e possuir teu coração.

Não sabem eles, que a Rosa, às rosas
entregou-se em doação.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Seguir na fé, eis a solução


Sei que não adianta lamento, muito
menos choro e ranger de dentes.
O choro muitas vezes não leva a
lugar algum, ou seria na maioria das
vezes?

Às vezes serve sim, tipo assim, para
enganar por certo período a nós
mesmos, enquanto satisfazemos as
nossas vontades egoístas e infantis.

Embora chorar, às vezes é lavar a
alma.

Choro e lamento.
Pranto e debulhar de lágrimas, somente
arrancarão dos outros pena, e quem
precisa disso para viver?

Muito mais de negatividade, embora nem
sempre seja possível o positivismo absoluto.
E quem busca os extremos?

Provavelmente os que se acostumaram
ao sofrimento...

Isso mesmo, nesta vida a gente se acostuma
com tudo e aos poucos acomoda, até com
miséria e pobreza física e espiritual.

E tem outro jeito?
Há outros caminhos?
Há opostos que se atraem?
Equilíbrio/ desequilíbrio.
Noite/ dia.
Verdade/ mentira.
Doce/ salgado.
(etc).

Seguir na fé é a solução, vai que dá certo...


By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Que pena


Que pena.
Pena.
Entenda a pena.

Não esta das galináceas, e sim
esta que sinto de você.

Que pena.
Que cena.
Não há o que fazer.

Que pena.
Já foi a história de mim mais você.

Foi sim, história que eu pretendo
para sempre esquecer.
Que pena.
Pena eu só tenho de você.

Que hoje chora me querendo por perto,
sonhando me ter.

Enrolou, vacilou, dançou.

O que resta é pena...
Pena de você, que nem em sonhos
pode me ter.

Cresci, evoluí, aprendi o auto-amor,
chega de choro, chega de dor, o que
me resta é o verdadeiro amor.

Não desejei ter pena, nem dó, pois penso
que ninguém é assim tão pequeno ou
mesquinho o bastante para merecê-la.

Por isso meu desejo é que sigas contente.
Vai, segue bem, sorrindo feliz também, só
que em outros braços.

Não é orgulho, passou a vez, e aqui já
não dá mais.

Das penas faça fantasias, viva o carnaval
e no dia a dia, vá de cara limpa, no respeito
ao seu igual.

Caso contrário colherás do teu próprio mal.

Que pena, será a pena que terás de si
mesmo, ou não, caso o amor realmente
não crie raízes em seu coração.

Que a pena seja somente fetiche em noites
de folia, alegria sem igual.
Penas e mais penas em noites de carnaval.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

terça-feira, 9 de setembro de 2014

O amor é livre...


O amor não escolhe sexo, muito menos
o cupido.
Ambos não são preconceituosos, homofóbicos
ou ainda ditadores complicados.

Agem naturalmente como o Criador, e em
cada ser reconhece o seu valor.

A natureza de cada um é aplaudida, festejada
e respeitada.
Condenam somente a morte, e tudo aquilo
que tira os homens do rumo, o norte.

Pecado é o mal que se faz a si e ao próximo,
o que muitas vezes não tem como remediar,
levando à morte.

O que vale é o amor.
Este é toda a sorte.
A natureza sábia ensina e de tudo tira
proveito.
É sabido não tem outro modo e jeito.

Querendo ou não, o céu é para todos.
O que diferencia é o tempo que é diferente
para cada um.

Somos todos frutos verdes.
Possuímos a mesma essência, características,
sementes e cascas, mas nunca iguais.
Cada uma com suas peculiaridades e
amadurecimento em tempos próprios e vivência
improváveis.

E a natureza, assim como Deus, abraça, absorve
e ama.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Nascimento da poesia


A poesia nasce de corações e mentes que conheceram o amor.
A poesia nasce de corações e mentes que viveram o amor.
A poesia nasce de corações e mentes que vivem o amor.

Como falar de vida e não falar de amor?
Como poetizar o mundo sem usar de amor?

Amor e poesia são molas propulsoras de vidas que emergem
no mundo.

Poetas e poesias estão a serviço do amor.

No amor passam a vida, e mesmo conhecendo o lado oposto
do amor, não se cansam de expressar o quão bom é o amor...

Amor é dissipador de trevas, e a poesia é uma boa ajudadora
neste processo.

Poesia, poetas e amor.
Combinação perfeita na promoção de um mundo mais de cor.
Chega de vida em preto e branco, não é à toa que o vermelho
simboliza o amor, e este se funde na cores do arco-íris e vai de
encontro às pessoas e ao mundo.

Poesias, poetas e amor, doce escrita de Deus sobre a face da terra.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Páginas em branco


Páginas em branco...

Assim é o futuro, que é sempre daqui a pouco.
Cada segundo à frente.

Às vezes pintamos coisas admiráveis.
Às vezes nem tanto.
Outras vezes dá vontade de apagar...

Mas é certo que não dá.
Escreveu, pintou, sujou é difícil limpar...
É difícil correção.

Mas é certo que sempre que houver
páginas em branco, serão possíveis
arremates aqui e ali, e acolá!

A vida, às vezes, aceita certos remendos...
Aliás, como tudo que há, ela também
não é perfeita.

E seguimos na ânsia de virarmos mestres
de pintar vida, digo vida, pois cada um é
responsável pela sua em primeiro lugar...

E já é difícil conseguir se dar bem no bem
e no amor, imagina ter que cuidar da vida
dos outros?

Que escrevendo e pintando uma feliz vida,
possa eu, possa você, possamos nós pintarmos
um mundo e pessoas cada vez melhores, com
mais cor, mais amor, e principalmente com mais
sabor.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br