domingo, 20 de fevereiro de 2011

Castelo sem portas...


É você que eu amo.
É você que eu quero.
Venha me tirar deste castelo.

Castelo que eu mesmo construi.
Castelo de medo.
Castelo de culpa.

Na construção do castelo, me tranquei.
Sem portas, te perdi.

Não sei se ainda me ama.

Mas se ainda for sim,
Venha em seu cavalo prateado.
O dragão, morreu em mim.

Só você pode amortecer a queda...
Só teus braços ainda me servem.
Só o som de seu coração me soa
Bem aos ouvidos.
Só teu calor ainda
Pode me aquecer.

Os sonhos com seus beijos me
Deixam lúcido e cheio de vida.

Lembre-se o dragão morreu em mim.

Quero reconstruir com você o
Nosso castelo.
Que tenha portas, janelas e um belo jardim.

Insonia...


Ao amanhecer, tudo se repete.
O mesmo ocorre ao anoitecer.
São lembranças de você.

Meu coração bate forte...
A ansiedade mostra que a
Saudade virou minha sorte.

Vejo sua imagem como filme na TV.
Seus olhos cheios de ternura...
Olhos que ainda me levam à loucura.
Me chamam na noite escura
Me propondo segurança e paz.

Me trazem na lembrança, seus braços
Me envolvendo, seu cheiro, seu calor,
Seu dengo.

Desperto. Sinto seu perfume...
Assim como o beija flor sente
O perfume das flores...
Admiração, desejo...

O sono se vai quando o galo canta...
O sono vem pouco antes do galo cantar.

O sol nasce,
O sol se põe,
E eu me pergunto por que ainda
Não me lancei na busca de você.

Será o medo de quebrar  a cara por já
Não mais sentir amor por mim.
Ou será a angustia, ansiedade e temor
De fazê-la sofrer novamente.

Tudo é possível.
Na vida, a única certeza
Que temos é a morte.

Querer-me de volta, pode ser
Ou não a sua sorte. Mas só o tempo
Poderá dizer o que será.

Mas o pouco que já foi, foi bom de mais
E valeu a pena.

No momento, cabe-nos as escolhas,
No futuro as consequências.

Amor e tempo...
É o que temos pra hoje, e por hoje.

Nada melhor que um dia após o outro.

Tudo começa pela escolha...

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Pensar...


Neste momento me deu vontade de postar algo, ainda em construção dentro de mim...
Não são conselhos, não são verdades, são apenas escrita de um ser que pensa, que sofre, chora, e também sorri...
Mas o que escrever?
No meu coração não têm tido muito de amor...
Já não tenho vivido muito o amor...
Ou talvez o tenha vivido de um modo tosco, torto...rsrsrsrsrsrsrsrs

São talvez pensamentos de alguém que não esteja com auto-estima tão boa assim...
Mas é o pensamento que se torna escrita neste momento...
Acho até corajoso da minha parte postar...
Pois a maior parte das pessoas tem tanto medo de demonstrar suas fragilidades...
De falar de seus erros... De falar do seu lado mais sombrio...Ou nem tanto rsrsrsrs
NÃO SOU TÃO MACABRO ASSIM RSRSRSRS.

Embora alguns corações não me entendam assim...
Sou antes de tudo um ser humano...
Um ser humano em construção... Incompleto, inacabado...
Um dia, sei que estarei preenchido, mas será tarde para postar aqui rsrsrsrsrsrs.

Talvez alguém até ouse escrever sobre mim e fale como fui ao me tornar completo...
Será uma história no mínimo intrigante, embora eu seja simples e ao mesmo tempo tão complexo
Como qualquer ser humano.

No início deste texto... Pensava tão somente, que seria interessante se viessemos com manual de instruções...
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Já pensou?
Pare e pense um pouco a respeito.
Gostou da idéia?
Algumas pessoas nos culpam o tempo todo por não nos entendermos completamente...
Mas não pensam elas que se no manual de instruções viesse escrito como tudo deveria ser, nossa história não teria sentido algum, ou teria rsrsrsrsrsrs...
Em parte até que seria legal, não precisariamos sofrer na busca de um amor ideal, pois já saberiamos qual a pessoa caberia perfeitamente em nossos moldes rsrsrsrs...
Não sofreríamos as escolhas de qual emprego seria melhor, pois já saberíamos qual o emprego que nos caberia...
Assim como saberíamos quantos filhos teríamos, quais seriam nossos melhores amigos, os quais nos acompanhariam pela vida toda, já saberíamos o momento certo para tudo, e até poderíamos evitar qualquer tipo de sofrimento e dor.

Mas aqui fica a pergunta: valeria a pena?
E a experiência existiria?

É certo o ditado "Deus escreve certo por entre linhas tortas"...
E penso que assim também construímos nossa história, nessas linhas tortas...
Onde as relações nos mostram os amigos, nos revelam os "inimigos"...
Onde as relações nos dão os filhos...
Onde as relações nos dão e nos tiram os amores...
Até que um dia encontremos o amor que nos cabe.

Neste caminhar tortuoso...
Há alegrias...
Há tristezas...
Pessoas se machucam, pessoas tropeçam, pessoas se levantam, pessoas tomam guinadas na vida que as levam a superar obstáculos, mesmo que pareçam intransponíveis...

E tudo gira, entre gira mundos, relações e escolhas...
Onde tudo culmina em consequências.
Sejam boas ou ruins, o importante é que sejam vividas...

Agora, cabe a cada um culpar ou não os outros...
Cabe a cada um chorar ou sorrir...
A responsabilidade é pessoal... Somos nós quem permitimos ou não.
E nas relações e escolhas nos cabe convir o que é melhor...
Esperar uma vida baseada num manual de instruções, ou se arriscar em uma vida de relações e escolhas... Que mesmo tortas, nos levam a um preenchimento do ser, no fazer e no ser autor da prórpia história.

By Adalmir Oliveira Campos





terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Em outra vida um reecontro...


Como pôde coração me trair?
Como pôde o mente me confundir?

Larguei o amor certo pelo incerto e sofri.
Sofri o choro dos desamparados...
Sofri o choro dos arrependidos,
Quando já não há mais geito.

Como prosseguir amando,
Se quem realmente amo não está diante de mim.
Se ao fixar os olhos ao dizer "eu te amo",
Não sinto no coração o fogo
E liberdade de expressão que existia
Diante dos teus olhos...

De que me adinta o sexo quente,
Se não sinto seu sorriso alegre
E seus olhos revirando de amor...
De êxtase...
De prazer.

De que me adianta estar em outros
Braços, se eu queria estar nos teus.

Que saudade do seu corpo colado ao meu...
Que saudades de você me aquecendo
Com seu calor, nas frias madrugadas,
Enquanto dormiamos de conchinha.

Só me resta seguir sozinho, pois outro amor
Já não me cabe, outro amor já não me serve.

Pois são amores diferentes que não deveriam
Ter passado de uma maravilhosa amizade.

Resta a esperança de em outra "vida" um reencontro.

Amor Divino


De tantas paixões...
De tantos amores...

De encontros.
Desencontros...

De certezas.
Incertezas...

De verdades.
Inverdade...

Perdição.

O que é o que é?

Quem é quem é?

Coração figura a morte.
De tantas paixões...
De tantos amores...
Qual será a sorte?

Figura o coração à morte.

Mal me quer...
Bem me quer.

Mal querer...
Bem querer.

Mal amado,
Bem amado.

Deserto ilusões.

Qual será o rosto
Por detrás da miragem.

Alerta coração...
Se aquiete...
Se entenda...
se afirme.

Avance adiante
Da cortina de areia.
Se desviar,
Mire, atire além mar.

OUÇA O CHAMADO...

O amor o norte...
A verdade a sorte...
Oh, coração insensato,
Adiante o encontro
Com o amor que revela
No Deus menino
Que se fez humano
Que é Divino.
Que venceu a morte,
Que apruma caminhos.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Quando você se foi...


Quando você se foi... Eu sei.
Eu vi, eu permiti.
Eu pedi pra você sair.
Pensei ser o melhor pra nós.

Você se foi e nem olhou pra trás.
Não lutou, preferiu se calar.
Talvez eu fosse errado de mais.
Me calei também.

Fiz tudo pra te esquecer...
Cometi burradas mil.

Deixei de olhar suas fotos,
Embora as tenha no pc e no coração.
Deixei de fuçar suas ações virtuais.

Foi como estar no deserto em meio
A ilusões de amores.

Ilusões... Afirma meu coração...
Solidão em meio às multidões.

Grito confuso...
Grito perdido,
Aflito.

Será que você seguiu a mesma sorte?
Ou em seu norte se
Descobriu melhor sem mim.

Já não me liga.
Já não me olha nos olhos.
Já não divide notícias de você.

Doce poeira do passado que
Sopra meu presente.

Horas alegra...
Horas entristece.

Lembranças de um amor inconcluso,
Mal entendido, incompreendido,
Inacabado.

H2O...


A chuva cai.

Choro confuso...
Choro perdido...
Choro distinto.

Choro de amor...
Amor tão intenso...
Amor insensato,
Que entra em colapso.

Na água que cai,
No frio que faz,
Na escuridão que se aproxima.

Amor quer amor...
Amor que se quer.

Do homem/ mulher...
Do jeito que espera,
Do jeito que é.

Amor quer amor,
Arco iris no ar...
Luz que aviva,
Corrompe o que oprime.
Do barro o jarro,
Do líquido a vida.

Calor que é amor.
Na cama a dois...
Sorrisos, gemidos.
Sexo calor...
Da chuva o sol...
Perdi meu amor...
"Meu mundo caiu".

Da chuva pro rio...
Salgado no mar,
Se foi.