quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Sem você

Foto: Adalmir Oliveira Campos Dez. 2012 próximo a São João da Serra Negra


O sol se acende.
O sol se apaga.

Vem noites traiçoeiras,
E se vão.

Mas as vezes a inquietação insiste em ficar.
Nostalgia parece o sereno que vem pela madrugada.
A neblina dos dias frios.

O medo, a angústia de não mais poder amar.

Como faz falta o amor em minha vida.
Aquele amor que apazígua.
Aquele amor que emana tranquilidade.

Por que coração, entregastes todo amor?
Por que não deixaste um pouco, para que
Eu pudesse seguir enfrente sem temer,
sem chorar, sem sofrer.

Tu fostes insensato.
Diria um pouco relapso.
Me resta curtir a solidão,
Ao menos me acostumei a ela.
Doce rotina, que sua ausência proporciona.

Já aprendi a lidar com a ausência.
Ver-te e não poder tocar...
Ver-te e não poder beijar...
Ver-te e não poder fazer amor...
É preferível a morte que simboliza sua ausência.

Viúvo de pessoa viva.
Viúvo de um amor que insiste
em se manter inacabado.
Por medo, por feridas mal curadas,
malfadados corações.

O mundo parece enorme sem você.
E eu, me sinto tão pequeno, e comprimido,
como se este mundo fosse sobre mim.

Carregar esse amor mal resolvido e inconcluso...
É ser mar morto, onde ninguém nada,
Onde nem os peixes sobrevivem.

Não é amor





Ouvi que o que sinto não é amor.
Que se fosse amor, não me faria sofrer.

Mas até o Homem Jesus, sofreu por amor.
Ele sentiu tanto amor por nós,
Que na cruz se entregou.

Ele sentiu a dor do mundo.
A dor de antes Dele.
A dor da sua época.
A nossa dor,
E a dor dos que virão.

Mas jamais desistiu e venceu a morte.
E ainda vive esse amor.
Sem nós será que ele teria vivido tamanho amor?

O amor é um mistério que desvendamos
ao senti-lo e ao vive-lo.
É algo que nos chega sem hora marcada,
E permanece além do fogo da paixão.

Mas nem sempre é o amor que faz dar certo.
São as escolhas que fazemos na ação,
ou nulidade diante deste amor.

BY Adalmir Oliveira Campos

Chorar


É preciso chorar o choro contido.
É preciso amar além do amor não correspondido.
É preciso a vida em vida.

Porem, as tormentas da inquietação,
Nos leva a deixar pra depois
O que é pra ser presente.

Passado já não importa.
O tempo escorre pelas mãos.
O futuro nada mais é do que uma ilusão,
Projetos e sonhos que tomam vida com
base nas nossas escolhas de hoje.

Resta-nos o presente.

Medo deste presente, insolente...
No qual me deprimo e me conturbo...
Perdido, em meio aos devaneios...
Onde até os sonhos me nego, pois
foi tanto o que sonhei, e pouco
o que vi realizado.

Eita mundo este.
Onde se fabrica mortos vivos,
Delinquentes do amanhã.
Alienação massificante,
Geração das Fobias,
Que retardam a libertação
e aprisiona nos lares, aqueles
que realmente merecem a liberdade.

Enquanto os carniceiros,
bando de corvos e urubus
voam à solta e tomam conta, e
se mantem no poder.

Sonhar...
Viver...
Amar.

Tem sido sonhos distantes...
São tantas burocracias pra vivermos.
São tantas formalidades, preconceitos
e discriminação.

Que o mundo e pessoas que eram
Para serem irmãos, tem-se tornado rivais.
Já nem mais dividem os quintais.

Grades e fortalezas e dureza dos corações
dividem a afastam, no individualismo
predador, onde vence o melhor.
Esse melhor que atende sempre
às minorias.
Onde senzalas e casa de senhorios,
tomam a forma moderna de capitalismo,
patrão e empregado, e família e amigos
subordinados e alvos da sorte de um Salvador.

Que falta não faz o amor de Jesus nos corações humanos
de hoje.
Que falta não faz esse amor.
Amor que contraria esse poderio instituído que visa
somente se dar bem sem olhar a quem.
Pobres excluídos que só aumentam
conforme as tormentas dessa "evolução".

Libertação...

By Adalmir Oliveira Campos

A espera




O que fazer senão esperar?
É um abrir e fechar de cortinas
Para um ator estreante.

É uma ansiosidade no peito.
Uma vontade que o tempo passe rápido.
Mas, a sensação é de que ele se alonga,
feito tempo de uma ator iniciante.

São batidas de coração acelerado.
É o medo de fazer tudo errado
e colocar tudo a perder.

É inquietude no palco, na platéia,
e nos bastidores da espera.

Espera de ser visto.
Espera de ser notado.
Espera de ser querido.
Espera de ser aplaudido.
Espera de ser amado.

A fama maior...
A graça maior...
o bem maior.

É a figura da pessoa amada à porta do camarim
com um buquê de rosas vermelhas...
Que também ansiou por este encontro
pacientemente, para dizer parabéns!
Vamos comemorar e sermos felizes.
Nós merecemos!!!

Foi longa a espera.
Foi doído o amor contido...
A espera.

Foram tantos suspenses.
Foram tantos dramas.
Foram tantas comédias.
Foram tantas ações.
Foram tanto terror.
Que vale a pena esse romance.

Esse romance estreante
De quem amou pela primeira vez.

By Adalmir Oliveira Campos

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Apenas ame

Estou aqui pra te deixar inquieto.
Para plantar em seu coração a duvida...
E também a certeza de que o amor não é ficção.

Ele só se esfriou com os dias gélidos em que vivemos.

Contos de fadas, são a Magia do amor, que precisa ser vivido.
Amor que precisa ser sentido.

Deus se faz presente no amor...
Não importa se não acreditam...
Não importa se não retribuem.
O que realmente importa é que vc ame e se deixe amar...

By Adalmir Oliveira Campos

Num raio de luz

Amanhecer em Patrocínio MG. /Adalmir Oliveira Campos 2012

Estou bem como um raio de luz.
Me entreguei por muito tempo à sua inveja.
deixei de ser quem sou pra ter sua aceitação.
Pois pensava que sua amizade era baseada no amor.

Mas que bom que num raio de luz me renovo
Todos os dias.
Se você soubesse a força de um raio de luz.

Diria pra sua inveja: Socorro. (risos)
Estou voltando com tudo.
Estou voltando por cima.
Se você que tem inveja, é por que você não tem competência.
E não busca viver num raio de luz, num Raio de Deus.

Ao invés de tentar ser melhor do que eu,
Tente vencer a você mesmo.
Lute por ser feliz sem denegrir ao outro, ou tentar
Tirar proveito.

Num Raio de luz eu te garanto.
O poder da sua inveja, será
A mola propulsora do meu sucesso.

NÃO DEU PRA VOCÊ PERCEBER.
QUANTO MAIS ME DESEJAS A MORTE,
MAIS VIVO ME TORNO...
QUANDO MAIS ME DESEJAS A DERROTA MAIS VENHO COM VITÓRIAS...
QUANDO MAIS ME DESEJAS A ESTUPIDEZ...
MAIS SABEDORIA VEM SOBRE MIM, MAIS CRIATIVO E HUMANO EU ME TORNO.
NO MEU RAIO DE SOL, SEMPRE CABEM OS AMIGOS,
AO MEU LADO, A LUZ É PRA TODOS.

POIS MINHA LUZ NÃO É EGOÍSTA, ELA BRILHA
EM FUNÇÃO DE TODOS...

POIS ELA ENTENDEU QUE NÃO SOU UM.
SOMOS MUITOS, CONECTADOS COM DEUS
QUE NOS UNE NUMA RAIO DE LUZ...

LUZ QUE COMO O SOL, É PRA TODOS
SEJAM BONS OU SEJAM MAUS.

VOCÊ TEM A MINHA ORAÇÃO.

By Adalmir Oliveira Campos.

Que tempos são estes?

Lixo chácara da família/ 2012 Adalmir Oliveira Campos

Que tempos são estes?
Que horas são estas?

Uma vida em um segundo.
Um segundo é uma vida.

Perdemos tanto tempo com desamores.
Que nos esquecemos ou sequer entendemos
que a vida é breve como um piscar de olhos.
Como um segundo, um fecho de luz.

Perdemos tanto tempo nos preocupando com a vida alheia
que esquecemos de viver a nossa e fazer um bom proveito.

E os tempos, cada vez mais líquidos, se esvaem por entre os dedos.

Perdemos tanto tempo com guerras, violência,
maledicências, que choramos a falta de paz, ao invés de
a instalarmos no nosso mundo e a vivermos enquanto há vida.

Que tempos são estes?
Que horas são estas?

São tempos líquidos que se esvaem por entre os dedos...

São tempos de dizer eu te amo...
São tempos de dizer foi um prazer conhecer você...
São tempos de declarar o seu amor, aos seus amados.

São tempos líquidos eu sei.
Onde o que realmente importa é ser e estar no mundo.
Em contraposição ao ter e conquistar o mundo.

Aliás, o mundo já é nosso.
Essa conquista de um mundo ideal, desta qualidade de vida que nunca chega às minorias, desta busca incessante, veloz e voraz e sem objetivo, não cabem nestes tempos fluídos e líquidos.
Vencer a si mesmo, no encontro com deus já basta.

By Adalmir Oliveira Campos

Cupido???


Já não acreditava em cupidos.
Ai me aparece um no facebook.
E me trás notícias de você.

Chorei, chorei um choro que precisava ser chorado.
Choro de uma alma cansada de amar sozinha.
Choro de uma alma, que já tinha perdido a fé.

Eu até acreditava no cupido.
Mas pensava que ele tinha flechado só o meu coração.
Pois só percebia amor da minha parte, embora no inicio foi de ambas
ou ao menos deu a parecer.

Culpava o cupido por esta flechada que me fez sofrer
Uma dor de amar e seguir sozinho.

Agora este cupido moderno me aparece e diz
que você se perdeu pra me encontrar...
Que viveu falsos amores pra entender
Que a flechada já tinha sido dada,
mas não compreendida.

Confundida com paixão.
Amor que não foi fogo de palha e que busca renascer,
Na magia de duas flechadas que acertaram em cheio
Dois corações.

Que os demais anjos digam amém, e que Deus confirme.

By Adalmir Oliveira Campos

Amor, magia

Nascer do sol  de Patrocínio, próximo ao aeroporto/ Adalmir Oliveira Campos

Estava me acostumando ao seu silencio.
Já conseguia dormir tranquilamente.

Embora eu amasse muito mais o tom da sua voz...
E como chorei por não ouvi-la por grande período.

Chegou uma hora em que o silêncio me fez bem,
pois era um modo de não sentir tanto a sua ausência.

Não é fácil calar um amor assim.
Um amor que beira a magia.

Magia de um nascer do sol.
Magia de um entardecer.
Magia da explosão de fogos de artifícios.

É impossível calar um amor assim.
Almas gêmeas se completam.

Outros "amores" são em vão.
Já não me satisfazia com outros "amores".
Pois já tinha entendido que eles não tinham a magia
Que sonhei, a magia que busquei, a magia
que só senti com você.

Já estava me acostumando à solidão.
Esta, já não me doe tanto.
Também, precisava viver, pois ainda estou no mundo dos vivos.

Mesmo que sem a sua magia...
Magia do seu amor que me completa.
Cheguei a perambular feito zumbi.
Morto em vida.
Sem satisfações...
Até sem razões para viver.

Mas Deus me preservou.
Ele vê além.
Ele nos preservou.
Permitiu-nos novas experiências,
Novas aventuras...

Tudo para entendermos que o amor,
É a unica coisa que se aproxima à magia.
Essa magia que não se explica.
Essa magia que não se vê.
Essa magia que só pode ser sentida.

O mundo e as pessoas merecem um amor assim feito magia.
Um verdadeiro amor, que vem de si, que vai de encontro ao outro
E que se completa em Deus.
Assim Deus me preservou, pra dedicar amor aos outros.

Mesmo que eu não pudesse, pela sua ausência
Dedicar meu amor a ti.

A magia do meu amor se expandiu,
Creio que explodiu.
Se dividiu...
Se espalhou, mas é tão mágico que não se esgota,
Só aumenta... No desejo de um mundo mais feliz.
Embora meu mundo fosse mais feliz com você.
Mas esse amor magia é por você também.
Pois sem você eu não teria aprendido
sequer o que é o amor.

Te devo a magia do amor.

By Adalmir Oliveira Campos

Meus 3.6



Nos meus 3.6 pensei ter vivido tudo.
Ter experimentado de tudo.
Mas não, o mundo ainda é desconhecido pra mim.

Quando desejei morrer, Deus me mostrou que tinha
muito por viver.
Da tempestade, dos furacões, dos terremotos
pelos quais passei.
Ele me mostrou que o que estava por vir
seria melhor e maior.

É grande a promessa.

Creio que é verdade que a vida começa aos quarenta, e me orgulho de estar quase chegando lá.

Em cada experiência vivida, seja ela alegre
ou sofrida, nos conhecemos um pouco mais.
Crescemos um pouco mais.
Amadurecemos e nos tornamos capazes de viver melhor.

É um passar de anos...
É um viver de experiências.
Que nos aproxima mais de deus.

Vou assim, vivendo, crescendo.
Sorrindo, chorando.
Calado, cantando.

Num sopro tudo passa...
Num sopro tudo vibra.

O que é a vida, a não ser um breve espaço de tempo,
entre o nascer e o morrer?
O que é a vida, a não ser o que fazemos dela.
O que é a vida, a não ser o que levamos dela.

As pedras preciosas existem, cabe a nós sabermos garimpá-las
na aceitação do amor.

By Adalmir Oliveira Campos

Gira Gira

Foto tirada durante uma oração do Terço em 2012/ Adalmir Oliveira  Campos


O destino brinca constantemente conosco,
ou somos nós que brincamos com ele?

Difícil presumir.
É um parque de diversões que vê utilidade em tudo.

Só Deus pode revelar essas verdades, que teimamos fugir.
Fuga do coração, da mente e da razão.

É uma montanha russa...
As vezes disfarçada de roda gigante,
que vira e volta se faz carrossel.

Gira, gira, gira.

Ainda bem que a tontura uma hora encerra. (rsrsrsrs)

By Adalmir Oliveira Campos

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Teu silêncio


O teu silêncio pode me falar muitas coisas.
Muitas outras posso criar com minha mente.
Mas seu silêncio há de concordar que em
parte tudo é verdade.

Teu silêncio pode revelar o quanto me ama,
E que estas a me admirar,
A me analisar, a refletir o quanto maravilhoso
eu sou, e o quanto você é agradecido por eu estar em sua vida.

Teu silêncio pode conter resquícios de mágoas,
conflitos mau resolvidos, significar um choro contido,
Tudo num orgulho escondido.

Teu silêncio pode significar repreensão por algo
que fiz e o contrariou, um desprezo aos meus defeitos.
Um pensar de onde foram parar minhas qualidades.

Teu silêncio pode revelar que não me ama mais,
que me despreza, que se arrepende do dia
que me conheceu.

Teu silêncio pode cortar minha alma
como uma lâmina afiada.

Teu silêncio pode me fazer sangrar até à morte,
destituindo-me a vida, o amor, os sonhos...

Teu silêncio pode muito.
Teu silêncio tem grande poder.
Teu silêncio...
Silêncio.

Um som da voz de Deus que emana
em minhas entranhas me alerta.
Do teu silêncio, da tua inercia,
Do teu desamor, não devo temer.

Pois Ele, em seu silêncio,
Me ama de tal maneira,que deu a vida por mim,
e assinalou que ninguém há de tirá-la Dele.

Tenho certeza que teu silêncio
tudo pode...
Desde que aceito,
me calo, me entrego...

Teu silêncio me condena.
O meu silêncio me liberta.

O teu silêncio não vê além das aparências,
não ultrapassa o seu enorme umbigo.

O meu silêncio é como uma prece,
Ele não é só por mim...
Ele é por toda uma humanidade,
Inclusive por você.
Como posso então me entregar ao
teu silêncio, Se o teu depende do meu.
Embora não importa, tu fostes no silêncio
de um breve adeus.

Amor e Inquietação



Meu coração é uma fonte inesgotável de amor.
Minha mente um mar de inquietação.

Amor e inquietação que encontram abrigo
nas teclas do meu not,
nas pinceladas em minhas telas,
no que faço no cotidiano.

Posso estar isolado do mundo.
Posso estar a esmo.
mas Deus me usa mesmo assim.

Ele usa de meu amor e de minha inquietude,
Para levar aos que leem a reflexão.
O pensar.
o amar.
O agir.

Amor e inquietação que causam certa aflição na alma
se contidas, como chagas que rasgam o corpo.

Amor e inquietação que surgem como mina d´água
a jorrar e a servir de beber a quem tem sede.
Sede de fé.
Sede de esperança.
Sede de amor.
Sede de justiça.
Sede de respeito.
Sede de saúde.
sede de educação.
Sede de libertação.

Amor e inquietação que inspiram
voos...
Amor e inquietação, que revela que é possível voar.
Amor e inquietação que nos abre a mente
para entendermos que não somos deuses,
Mas que sendo filhos de Deus, nele,
Na Sua inquietude e no seu Amor, podemos
como deuses traçar um novo rumo
para a história da humanidade.

Onde o amor e a inquietude,
sirva ao bem comum.
Onde o amor e a inquietude,
presem pela formação de
uma família humana...

Uma família Universal.

By Adalmir Oliveira Campos.

Mundo de hoje


O mundo de hoje nos impõe tantos absurdos
e busca nos calar com falácias.

Criam superstições, dogmas e outros mais.
Os quais classificam e seriam os humanos
em inclusos ou intrusos.
Ou simplesmente os deixa à margem da sociedade
por não se adequarem ao que dizem ser o ideal.

Embora não discordo que "tudo podemos, embora nem tudo nos convém".
Acredito na pluralidade de verdades, mentes, e humanos que povoam o mundo.

Um mundo tão complexo, cheio de outros mundo mais complexos ainda.
Os quais não almejam simples aceitação, mas o respeito.

Os quais não almejam um lugar ao sol.
Mas juntos fazerem brilhar um só sol.

Um sol que ilumina com verdadeira justiça.
Justiça imparcial.
Justiça que beneficia a todos no gozo de seus direitos,
e no cumprimento de seus deveres.

Sem permitir que as sombras deem lugar às dúvidas.
E assim se maquiem falsas morais, falsas éticas,
falsos caráter e falsos deuses.
Permitindo com isto, a impunidade no mundo,
E o fogo de fogueiras sobre os justos e humildes.

Que aja leis, mas que aja juízes incorruptíveis,
Que façam valer a lei a todos sem distinção,
Leis que respeitem o humano em sua singularidade
Onde todos sejam vistos como humanos e irmãos,
No tratamento, no julgamento, na culpabilidade,
punição ou absolvição.

Que Lei, não seja escudo para poderosos, e nem minorias
Quando estes afligirem o mais básico mandamento universal:
Que é "amar a Deus acima de todas as coisas, e ao próximo
Como a si mesmo.

Só há pecado, quando ferimos-nos a nós mesmos ou ao nosso próximo e
principalmente a Deus.

A culpa e medo que os idealistas sociais e religiosos instalam cada vez mais no mundo moderno e contemporâneo, pode podem definir um futuro muito infeliz à humanidade. Onde a consequência será certa e paga por todos, de um modo ou de outro. E isso não é punição Divina, Deus é impossível de punir, é a própria ação do homem, na repercussão da Lei física onde a ação sempre trás uma reação.

Adalmir Oliveira Campos

Poder da arte



A arte brota da alma,
assim como a poesia brota desta e do coração.

É dolorido não exprimir.
É prazeroso expressar e dividir.

Não importa o que nos diferencia.
O que importa é o que nos aproxima.

E a arte tem esse poder.

Poder de aproximar.
Poder de unir.
Poder de provocar conflitos,
de questionar o inquestionável,
e de fazer novas todas as coisas.

A arte tem esse
Poder de promover a cultura humana
E a vida.

Adalmir Oliveira Campos

Dane-se os críticos


Onde veem lixo, vejo arte.
Onde veem arte, muitas vezes vejo lixo.

Quem são os "estudiosos" da arte para defini-la?
Quem são os "estudiosos" da arte para limitá-la?
Quem são os "estudiosos" para conceituar?
Quem são os "estudiosos" da arte para classificar?

Arte, são como pessoas, não importa a aparência
Todos tem imenso valor diante de Deus,
e deveriam tê-lo diante dos homens e de si mesmos.

Danem-se a crítica.
Desde que a marca que deixemos no mundo seja no
amor e na ação deste mesmo amor.

Arte é cultura.
Arte é amor de Deus que se faz presente no mundo.
Os artistas, são todos que se fazem profetas de Deus, não
para uma minoria que detém o poder,
mas por uma maioria que clamam por justiça,
e amor em ações.

Adalmir Oliveira Campos

Verdades



Enquanto me mato
temendo o julgamento dos outros
me perco.

Enquanto me mato querendo ser o que os outros querem que eu seja,
me perco.

Enquanto acredito que uma marca, status, poder e uma visão desconexa de mundo me define, me perco.

Enquanto me deixo guiar por mãos doentias que me obrigam ao crime
de deixar rolar, de deixar acontecer e me compactuar com o crime de não amar e agir, me perco.

É uma dor sem tamanho.
É igual nadar contra a maré.
É saber ler e entender.
É ter a verdade em suas mãos,
É falar, falar, falar.
E não agir, não amar.
É conhecer o mal e optar por faze-lo real na vida de si e do outro,
sem temer as consequências que os próprios atos lhe impõem.
Pois creia, não é Deus que ti pune, são tuas ações que te marcam o futuro.
É consequência que vem pra todos nós, sem exceção.

Adalmir Oliveira Campos

Recicle-se


Quando me vir catando lixo na rua,
Não pense que enlouqueci (não ainda).

Pense que quando cato o lixo na rua,
além de estar contribuindo para
limpeza da cidade.
Estou vendo Arte no lixo que recolho.

Assim como o escultor vê a arte
No mármore que escolhe, ou no aço
ou ferro fundido, ou ainda
como o pintor vê a tela em branco
que o chama e o faz querer fazer com
que ela viva aos olhos humanos
e os inunda de êxtase, que somente a
a arte real, pode proporcionar.

Em quanto muitos veem o lixo,
eu vejo o que está por dentro/ trás do lixo,
eu vejo está por existir do lixo.

O que basta é a sensibilidade
para enxergar,
e o amor, para fazer existir.

O humano tem sido feito lixo,
Tem sido colocado como vago,
inútil, sem valor.
Tem sido posto ao lado como lixo,
Para que busque se adequar aos
padrões que estabelecem...

Os quais são verdades que doem na alma,
pois existir e ser feliz, não basta a etiqueta,
o dinheiro, status e o poder.

E sim, deixar sair de si, a Obra de Arte que todos
nascemos para ser.

Pode acaso o pé de laranjeira dar maçã?
Pode acaso o pessegueiro dar limões?

Cada um veio ao mundo para ser uma obra de Arte.
Lembre-se, até o lixo é reciclável.

By Adalmir Oliveira campos

Eis a questão


Lutar ou não lutar pelos sonhos...
Eis a questão.

Ou faço que fui feito por Deus pra fazer,
Ou faço o que fui 'feito" pelos homens
Para me escravizar e Alienar.

Adalmir Oliveira Campos

Capacitar para amar



Capacitar para amar é tão urgente e necessário,
Que deve começar por nós a nós mesmos
e se expandir nos corações humanos.

Às vezes as correrias dos novos séculos,
os "preconceitos" e estereótipos que somos
"obrigados" culturalmente a seguir.

Nos tira o norte, nos deixa sem objetivos,
nos faz sermos mortos vivos a perambular
em busca de algo que não se sabe o que é.

Brechas que são abertas pelo consumismo
exacerbado, que além de nos privar o tempo,
nos priva do que realmente é importante para
vivermos de modo pleno e feliz.

Amar e agir.
Cantar e sorrir.
Livre.
Leve e solto.
Sem preconceitos.
Sem medos e culpas.

É o caminho, a verdade e a vida
que nos apontou jesus.

Opressão.
Escravização do ser.
Alienação.
São como praga que brota, e cresce
como o trigo e o joio,
mas que tem uma hora certa
de colher e de separar.

E por que não começar pelo amor.
Mas não um amor qualquer.
E sim um amor como o de Jesus, (e outros)
o qual vai até às ultimas consequências,
para acolher, para unir, para instalar
a aproximação do humano
na compreensão do Divino,
na união dos povos,
na formação da grande família humana.

Comece pelo amor.
O amor a Si, no encontro do amor ao outro
que se completa no amor a Deus.

By Adalmir Oliveira Campos

Família humana, família amor


A capacidade de amar é tão urgente e necessária, que
deve começar por nós a nós mesmos e se
expandir nos corações humanos.

As vezes as correrias dos novos séculos,
os "preconceitos" e esteriótipos que somos
"obrigados" culturalmente a seguir.

Nos tira o norte, nos deixa sem objetivos,
Nos faz sermos mortos vivos a perambular
Em busca de algo que não se sabe  o que é.

Brechas que são abertas pelo consumismo
exacerbado, que além de nos privar o tempo,
nos priva do que realmente é importante para
vivermos de modo pleno e feliz.

Amar e agir.
Cantar e sorrir.
Livre.
Leve e solto.
Sem preconceitos.
Sem medos e culpas.

É  o caminho, a verdade e a vida
Que nos apontou Jesus.

Opressão.
Escravização do ser.
Alienação.
São como praga que brota, e cresce
Como o trigo e o joio,
Mas que tem uma hora certa
De colher e de separar.

E por que não começar AGORA MESMO,
Pelo amor.
Mas não um amor qualquer.
E sim um amor como o de Jesus, (e outros)
O qual vai até às ultimas consequências,
Para acolher, para unir, para instalar
a aproximação do humano
na compreensão do Divino,
na união dos povos, e
na formação da grande família humana.

Comece pelo amor.
O amor a si, no encontro do amor ao outro
que se completa no amor a Deus.

By Adalmir Oliveira Campos.

domingo, 13 de janeiro de 2013

Amizades futuras




Que as amizades comecem, seja no mundo virtual ou real.
Mas que elas sejam como as amizades de antes,
Onde não imperava os interesses.

Onde visitar, querer ver, telefonar, enviar uma carta ou e-mail,
Seja mais frequente, e que estar perto seja um bem estar,
Mesmo que não tenham assunto pra comentar.

Que coisas bobas como sentar no meio fio à tardinha e contar prosa, jogar conversa fora, sorrir, gargalhar, seja momento esperado, como outrora nos tempos de criança. (as crianças de hoje precisam desse nosso exemplo).

Que a amizade, não seja objeto que tenha que ser implorada, ou negociada, com base no status, posição social, ou outros estereótipos sociais.

Que a amizade seja ela mesma a paga por um sorriso,
Por uma lágrima a menos e chorada no ombro daquele que está pronto pra socorrer.

Que a amizade, seja muito mais do que letras bordadas nos meios de comunicação em massa, que impedem o abraço, o contato físico, a presença tão necessária, quando se trata de amigos.

Que amigos, seja aquela “família” que escolhemos.
Que nos aceite como somos, e se possível, nos ajude na auto superação.
Que não façam vistas grossas aos nossos defeitos, mas que não nos julgue ou atire pedras e sim, nos ensine o caminho que devemos trilhar rumo a Deus.
 Que nos puxe as orelhas quando necessário, e nos aponte os caminhos que nos tornem mais felizes, realizados e amados.


Que o amigo seja um horizonte de bondade, luz e paz em um sorriso,
Num “oi”, num bom dia, boa tarde, boa noite.


Que o amigo seja parte e peça de uma história que englobe o humano
Numa classe de “animais” que lutam pelos seus.

Que um amigo seja presença viva, diante da vida e até no último adeus.

By adalmir oliveira campos, 14/01/2013- 12:00 am

sábado, 12 de janeiro de 2013

Raios de sol e luz


Um raio de sol.
Um raio de sol.
Um raio de luz.

Às vezes é tudo o que precisamos.

Um raio de sol.
Um raio de sol.
Um raio de luz.

 A vida pode persistir num simples raio de sol.
 Num simples raio de luz.

 Um raio de sol.
Um raio de sol.
Um raio de luz.

 Queira eu que um raio de sol, ou
 Que um raio de luz
 Penetre em meu coração,
 Pra que a vida possa subsistir
 E eu voltar a viver novamente.

 Raio de sol
 Raio de luz.
 Sol, luz...
Ilumina.

 Dá-me um raio de sol.
 Dá-me um raio de luz.

 Sou como o verde
 A clorofila
 Que anseia e necessita do raio de sol
 Do raio de luz.
Me encontro seco,
Sem cor e
Sem vida.

 Seja meu raio de sol
Seja meu raio de luz.

 Faça-me ter a clorofila viva da esperança.
Leva-me a ter os ramos saudáveis
Como os da videira Bíblica.

 Tudo num raio de sol.
 Tudo num raio de luz.
 Tudo no seu amor.

Num raio de sol.
Num raio de sol.
Num raio de luz.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Busca incessante


Meu coração anseia tanto um amor.
Anseia tanto que dói e deseja a morte,
quando se apercebe só.
É um vazio que destroça tudo dentro de mim.
É uma busca que se faz constante,
como a buscar uma criança que se perde na praia em meio a multidão.
Deve ter sido compromisso feito noutro mundo.
Compromisso de um encontro, reencontro de almas gêmeas.
Almas gêmeas que se perderam na imensidão desse mundo de meu deus.
Será fantasia?
Será real?
Será que alguém também me busca com a mesma energia.
Que chega à morte da alma, no findar da esperança.
Desespero esse sei lá.
É algo que me ponho a meditar.
Doença?
Busca necessária?
Ou loucura mesmo?
Se alguém me busca assim com essa intensidade.
Com certeza o sol descerá à terra...
Pois me sinto meia estrela a cintilar, buscando que você me veja.
Buscando que você me note.
Sonhando que você me busque e me faça parte da sua vida e de seu mundo.
Seja onde for.
Seja quando for.
A minha vida terá mais cor,
mais sabor,
mais calor, quando se unir a você.
Espero que ainda seja nesta vida, amor meu, que desconheço, mas que busco incessantemente.

Jiló e Campari



A alma às vezes se amarga...
Por vezes como campari ou jiló.
Cores verdes, vermelhas, mistas.

Um amargo que soa cheiro de morte,
afastamento da sorte.
Horta, artéria, etérea.

Nem o álcool alivia.
Embora por horas.
Prisão domiciliar,
medo social.

Covardia sabe-se lá.
Fraquezas diriam outros,
que não sentem a mesma dor.

Como criticar a rosa por ser rosa,
se ela cresceu no meio dos cravos?

Confusão, respeito, aceitação.
Desobsessão confusa, razão?
Reflexos de um mundo
menos irmão.

By adalmir o. Campos 2013

Flores de Deus



Parte superior do formulário
Parte inferior do formulário


A flor que me tornei
quando o jardineiro me semeou.
É a flor que você vê.
É a flor que você ouve.
É a flor que você saboreia.
É a flor que você tateia.
É a flor que você cheira.
Não poderia a semente que ele
escolheu com tanto carinho
dar outra flor, senão esta.
Aos olhos de uns perfeita,
aos olhos de outros nem tanto.
Flor que de espinhos, se aveluda nas pétalas.
Se atenua nas cores, nos matizes.
Se suaviza nos cheiros,
se torna gosto bom no mastigar.
Torna fins de tarde espetaculares,
as vezes nem tanto, assim como o amanhecer.
Flor, cor, tato, sabor, cheiro.
Que fascinam o jardineiro,
que sabe cada "fruto" que cada semente
pode oferecer nos jardins do mundo.
Ele saboreia a todos com seu amor,
e assim incorporados a ele, nos tornamos
um só jardim.

By Adalmir Oliveira Campos

Aprendendo com borboletas



As borboletas sempre me inspiraram. Elas me fascinam. Não é à toa que sejam o símbolo de liberdade, de vida nova. Quem dera, se como elas, tivéssemos as condições de nos metamorfosearmos.
As que alçam voos, não voltam atrás e não esperam as demais saírem do casulo. Pois sabem que a vida é curta, se ficarem a esperar perdem a oportunidade de alegrar os olhos do mundo, e as meio lagartas que estão no casulo não saem antes para acompanhar as que estão por fora, pois sabem que podem não suportar por não estar pronta para o voo. E assim seguem, cada uma, ao seu ritmo natural. E não ferem nenhuma lei natural.
Já os seres humanos são diferentes.
Não necessitam casulos para se metamorfosearem, necessita maturidade, ousadia, coragem, mudança de pensamento, amor e ações. “Os que já sabem voar, até podem acompanhar as que estão nos casulos, as que estão saindo do casulo, as que já avoam. Mas, se estas resistirem à evolução que o ato de metamorfosear exige, não cabe mais à borboleta que voa que já conhece sobre a vida, o mundo, Deus e o amor estagnar-se em prol destas. O tempo toma conta.”


Falência do amor




O amor morreu no mundo
É afirmativa de todos os dias.
As pessoas já não vivem o amor.
Será que se esfriaram?
Será destino, a vida sem o amor?
Será que este sentimento que
Norteia a humanidade foi à falência nos
Corações humanos?
Ódio, intrigas, inveja, desamor.
Preferem hoje em dia adotar
E encher de mimos os animais,
À demonstrarem amor pelos seus.
Não que os animais não mereçam.
Respeito pelos idosos e pelos pais é
Algo que nem mais se vê.
Será que no recôndito dos corações,
Não existem resíduos de amor?
Dor e sofrimentos causados pelo
Uso e abuso da liberdade sexual,
Uso frívolo, desprovido de respeito
Ao outro humano, como se sentimento
Não fosse mais necessário.
Como se homem e mulher
Se tornassem descartáveis.
Sofridos e amedrontados
Feito maçã caramelizada. Duros
Por fora e cozidos por dentro,
Incapazes de voltarem à vida
De belas e belos adormecidos após o beijo.
Pois não creem mais no poder de um novo beijo.
Preferem serem maltrapilhos, gatos e gatas borralheiros
Malfadados a servir o que não convém,
A escravidão que se mantém,
Na prisão de ser servil e passivo
No alimentar do medo, de ansiedades e
Culpas que
Creem ser a paga por terem amado e sofrido por causa
Desse mesmo amor.
É preciso crer de novo nos contos de fadas,
E fazer do amor contos da vida, sem culpa,
sem mácula, no respeito e reais.

Sobre os erros



É certo que todos erram durante a caminhada terrestre.
É algo comum no percurso do humano.
Estes desde que nascem passam a deixar suas marcas na história.
Estas marcas se fazem no viver.
Como o humano que nasce e inicia sua jornada não vem com manual de instruções,
Ele vai aos trancos e barrancos tentando aprender, e essa aprendizagem sempre
Percorre os caminhos do erro e do acerto.
Tentativas que causam sucessos.
Tentativas que causam fracassos.
Erros, acertos.
Erros, trejeitos.
Erros, preceitos.
Erros.
Erros por ódio.
Erros por ciúmes.
Erros por inveja.
Erros por tentar ser o melhor.
Erros por estar sempre na frente.
Erros por ganancia.
Erros por dinheiro.
Erros, erros, e mais erros.
De todos os erros, os mais corretos,
Os mais sensatos,
Os mais humanos,
Os mais sublimes,
Os que se tornam eternos,
São os erros feitos como amor e por amor.