sábado, 4 de março de 2017

Sobre ser pai e mãe


Sobre ser pai e mãe, não é tarefa fácil!

É exercer uma "obrigação" em educar bem, para o bem, com amor e para os "outros", e encaminhar para a vida.

Confuso, não?
Difícil, hein!

Difícil, por vários motivos, sendo um deles, os amados, não virem com manual de instrução, bem como a não compreensão de que filho, não é objeto, e nem posse, e o entendimento errôneo de que "honrar pai e mãe" é os filhos satisfazerem-lhes todos os seus caprichos, devaneios e muitas vezes, até viverem os seus sonhos, os quais não puderam viver por diversos motivos.

Acredite, educa-se os filhos, é para serem livres. É para serem pessoas inteiras. É para serem seres independentes, embora sejam, ao mesmo tempo, seres interdependentes. É para serem autônomos, criativos, críticos, de ação, de fé, de respeito, de amor... e a lista segue loooongaaaa.

E ainda, para saberem fazer escolhas, (e boas escolhas/e más escolhas também, pois, algumas pessoas só entendem que a escolha é má quando tomam o choque e outras, apenas por ouvir falar do choque) mesmo que, algumas delas, ou muitas delas, não nos inclua...

Às vezes, quererão viagens, estudos e outros, em outras regiões, serem tudo que querem, e nem sempre o que queremos.

É, acredite, estarão certos, e é direito deles.
É, acredite, por vezes, estarão errados, e pasmem, e é de direito deles.
Não se zangue por isso. Não é falta de amor e de respeito, é querer fazer, é querer se fazer, é querer ser.

Não fomos assim em nossa infância, adolescência e juventude? E não somos assim enquanto adultos que nos tornamos?

Se não o somos, alguém nos avisa, que já morremos.
Filhos, vieram através de nós, mas não são nossos, auxiliamos na fecundação de um corpo, onde o espírito foi posto, e na situação de alma encarnada, tem a oportunidade de resgatar velhas dívidas, e assim, poderem um dia alçarem vôos numa verdadeira liberdade.

Enquanto isso, são aprendizes de liberdade.
Liberdade de tudo o que oprime.
Liberdade de tudo que machuca.
Liberdade de tudo que prende e amarra.
Liberdade de preconceitos, ditaduras, (há famílias que vivem uma ditadura), neuras, tabus, racismos, pré julgamentos, de julgamentos, (...), e de fogueiras.

Como nós, possuem livre arbítrio. (Melhor seria se não tivessem, diriam alguns, e privados seriam de crescer e evoluir. Deus não nos deu esta oportunidade?)

Livre arbítrio para boas escolhas.
Livre arbítrio para más escolhas.
Livre arbítrio até para não fazerem escolhas.

Mas, pais, mães, não se sintam inseguros e intimidados, todos os caminhos levam ao aprendizado. Embora, em alguns caminhos a passagem seja tranquila e se segue feliz, com o vento batendo no rosto, há outros caminhos que são irregulares, e o que bate no rosto são pedradas.

Apoie se for necessário, mas não lhes furte as quedas, nunca diga "eu ti avisei", apenas assopre com amor e respeito e diga, tudo vai ficar bem! (Não é o que todos queremos ouvir).

É, tudo vai ficar bem mesmo! 

Tenha fé, esta é uma grande força atrativa, e mais uma coisa, não dê conselhos, seja exemplo, mas ensine a perdoar, e a recomeçar, pois tirando o Cristo, Jesus, bilhões e bilhões de seres humanos em construção, falham o tempo todo, inclusive, os melhores exemplos.

E que bom, seria e será se todos eles tiverem a certeza de recomeços, novas tentativas, novas experiências, e num é que uma hora dá certo?

Ser família, é deixar seguir adiante, sabedor de que o outro também é irmão. Um pouco incerto, às vezes, mas irmãos!

Cada um tem uma missão, mas que ela não seja uma obsessão, um inimigo a ser vencido...
Que ela aconteça leve, um dia por vez. E se não der, que se tente outra vez.

E se ensinarmos bem a tal liberdade, uma hora o passarinho sai voando da gaiola, e se brincar, vai ter que voltar para ensinar os pais a voarem.

Sabe porquê?

É, que muitos pais perdem as asas quando se esforçam demais em podar as asas de seus preciosos rebentos, verdadeiras jóias que pertencem ao Universo e às estrelas.

By Adalmir Oliveira Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário