domingo, 28 de julho de 2013

O que esperar de ti


O que esperar de ti a não ser
a presença que tem sido negada.
As palavras de amor não pronunciadas.
As renúncias não feitas.
Os abraços que não chegaram.
Os beijos antes molhados.

O que esperar de ti a não ser
A realização dos sonhos sonhados.
Os ideais não conquistados.
A união que fosse estável.

O que esperar de ti a não ser
tempo floridos de primavera.
Fim das dores que a solidão acarreta.
Um alguém para abraçar nas noites frias
e assim dormir de conchinha.

O que esperar de ti a não ser a felicidade
dos amantes em uma cumplicidade
de vínculos familiares.
De viver uma vida com final de novela.

O que esperar de ti a não ser a fé
de que tudo vai dar certo.
Que o feio se torne belo,
e que o caminhar seja a dois.

O que esperar de ti a não ser
olhos nos olhos e cumplicidade...
E um viver pleno de duas almas que se
amam de verdade.

O que esperar de ti a não ser estar
ao seu lado...
ser seu amado, amar e ser amado.

O que esperar de ti a não ser
ser feliz e fazer feliz, como a vista
de uma noite estrelada.

O que esperar de ti a não ser
Que exista em minha vida e preencha
todos esses buracos D'Alma e que eu possa
assim absorver o perfume das rosas
ao seu lado.

O que esperar de ti a não ser
viver os prometidos contos de fadas,
sob luas cheias, sem uso de espadas,
nos acessos ao coração.

O que esperar de ti a não ser a inocência
das crianças, um lar regado a fé e esperança.
Selar esse romance com bela aliança.

O que esperar de ti a não ser sempre seu, 
você ser sempre minha, sermos um em dois, 
dois em um por hoje e para sempre.

By Adalmir Oliveira Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário