sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Rapidinhas, amor e sexo


Sexo quente, envolvente, excitação.
Rapidinhas também é bão.
Um beijo, dois e outros mais.

Mãos que se cruzam, se entrelação
e seguem massageando a pele macia
e sedosa, às vezes, uma espinha,
que mal tem? Ninguém é perfeito.

Mas quase sempre, logo de manhãzinha
tudo começa com um beijo...
A noite corpos se buscam feito imãs,
respiração entre rimas, se aquecem
e se envolvem e se desejam.

Sexo não é somente penetração e
entra e sai, é um pouco além, tem
romance e o tal do cativar, é feito
um jardim que se cuida e depois
vem nele repousar.

Muitos chamam de amor,
fazer amor!

Superação de espinhos, arrancamento
de folhas e espetalar de flores, mas é
no amor que o verdadeiro perfume se dá.
E as ervas daninhas não encontram
espaço nos braços de quem se entrega
ao ato de amar.

Tudo é escola, é conhecimento, é
aprendizagem, e é na prática, no aninhamento,
no alinhamento, no encantamento, na
entrega que se une, fusão de corpos, sexo,
amor, uma  só carne.

E a beleza está em tudo, como diz a música,
"extravasa", transcende e evolui.
E o sexo já não é só sexo.
E o amor já não é só amor.
É inexplicação, (não explicação), não
explicável, mas sentível,  (que se sente)
com a alma e o coração.

By Adalmir Oliveira Campos​
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário