domingo, 20 de dezembro de 2015

Olho por olho e dente por dente, seria a solução?


    Justifica combater o mal com o mal? Compensa a continuidade do olho por olho e dente por dente? Já não tivemos exemplos suficientes de que maldade somente gera maldade? Onde está o amor e o respeito nos corações humanos? 
    Um jovem teve roubado o seu celular e sua carteira e saiu feito louco no encalço dos "criminosos" dos "vagabundos", jogou os dois no chão e partiu com violência para cima de um deles, enquanto o outro fugiu do local com os objetos roubados. A polícia foi chamada e um dos "criminosos" preso, e depois de uma busca, encontram o outro meliante, já sem a carteira e o celular, sendo o mesmo preso também. A polícia de mãos vazias simplesmente afirma que não há nada a fazer, registram o fato, os pais dos dois jovens buscam os mesmos, e fica o dito pelo não dito. E os policiais ainda incitam a vítima ao crime, dizendo que os dois meliantes são velhos conhecidos da polícia, e que mereciam uma surra.
    O jovem transtornado por perder seu dinheiro do mês, e seu novo celular, comenta o episódio com os amigos, cheio de ação, como se fosse um filme policial, e afirma, que devia era ter matado aqueles meliantes.
    Resta a pergunta, quem é o errado na história? Os assaltantes? A vítima? Ou ambos e os policiais?
    Tanto os que nunca tiveram esta experiência, quanto os que já a tiveram, reagem cada um de um modo diferente, de acordo com a sua percepção de mundo, compreensão de si e compreensão do outro. Ir em defesa é um direito de todos, mas matar, é ir contra um dos maiores mandamentos já ditados sobre a face da terra. Nada justifica as carnificinas que vemos desde a antiguidade até os dias atuais. Alguns afirmam ser em nome de Deus, mas que Deus seria este, capaz de incitar a violência e a criminalidade, bem como dar o direito a alguém de tirar a vida dos que, Ele próprio diz ter como filhos? Antes de buscarmos os "certos" e os "errados" da história, devemos entender que, Deus, não nos fez "alguns" melhores e "outros" piores, "alguns" abençoados e "outros" amaldiçoados, "alguns" infortunados e "outros" afortunados. Ele é justo, e sua justiça não se guia pela justiça dos homens, que se cegam na materialidade e nos vícios que demonstram a sua "inferioridade" moral, espiritual e intelectual, nos planos espiritual e físico.
    Deus dá a todos, "oportunidades" iguais, cuja vitória, é alcançarem a "brancura" necessária que os classifique como espíritos puros, os quais são dignos de adentrarem os reinos dos céus. É obvio que nos planos espiritual e material, não existem vítimas, e sim, espíritos encarnados ou desencarnados que não souberam aproveitar bem as suas oportunidades, se enveredando nos vícios do "mundo" o qual em ilusões, desnorteiam a ambos dos objetivos a que se propuseram, reforçando estes, assim, os vícios, ao invés de subtraí-los de suas vidas.
    O tempo é dado a todos, este tempo, dom maior de Deus, que se bem aproveitado, no entendimento, práticas e vivências do bem e do amor nos levam a alcançarmos as Alturas que tanto anseia o espírito.
    Não somos adversários em um eterna competição, somos irmãos, os quais deveriam de mãos dadas seguirem um mesma direção, já que cedo ou tarde, é objetivo de todos alcançar a vitória, visto que Ele próprio afirmou que nenhuma, friso, nenhuma  ovelha se quer será perdida. O tempo de desvios, também são tempo de aprendizagens, estamos em um mundo onde existem provas e expiações, e a felicidade ainda não é plena, pois é destinada a "povos" e 'mundos" mais evoluídos, embora, possam ser sentidas neste mundo em breves lampejos, como uma promessa de que um dia assim o será continuamente.
    Voltando ao assunto principal, como ouvi em uma palestra, até o relógio "quebrado" está certo ao menos duas horas e minutos por dia. Não nos cabe acharmos os culpados e separá-los dos inocentes, o que Deus nos pede, é que os que alcançaram a graça de um entendimento mais puro e lapidado, e que se encontram em um estágio "superior" de evolução, se coloquem como guias e orientadores dos que adormeceram na ignorância e buscam a "evolução" seja espiritual ou seja material, sem esforços, sem luta, sem trabalho. Na verdade, Deus toca os corações através do mestre Jesus, mas a mudança, somente ocorre no coração que se coloca pronto a ouvir, a aceitar e a buscar as verdadeiras mudanças e  tesouros agradáveis a Deus, e capazes de os tornar luz.
    Que a lei maior, o amor, seja a lei a guiar os corações de todos nós. Aliás, nesta caminhada de verdadeira evolução do ser, um dia, estaremos todos na mesma posição no pódio, ou seja, a de número um (1 ° primeiro lugar), nos braços do Pai, a auxiliá-lo em sua criação, que é sempre crescente rumo ao infinito. Que apliquemos a máxima de Cristo, o amor, e que o Maior, seja o menor, ao se colocar a serviço dos mais necessitados seja de pão material, de uma palavra amiga, de uma ajuda financeira, e assim por diante. Que o maior, esteja sempre em defesa do menor, e que se as posições um dia se inverterem, que o perdão fale mais alto, e o círculo não se quebre.

By Adalmir Oliveira Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário