quarta-feira, 28 de julho de 2010

Ainda prefiro seguir te amando...


Quero saber o que ocorre com você.
Ultimamente você está tão distante.

Recusa me olhar nos olhos;
Diminuiu seus beijos;
Até as conversas estão mais curtas.

Será que a chama que emana em seu peito esta se apagando?
Será que já não sou mais merecedor deste teu amor?
Será que este amor está fadado a se transformar numa amizade?

Você não me fala nada.
Fica ai calada nos cantos.
Eu também me calo, evitanto discursões.
Meu coração em meio a este silêncio ensurdecedor,
Vai te amando cheio de dúvidas e temor.

Temor de te perder;
Temor de me esborrachar no chão;
Temor de ter que me levantar de novo,
E começar a procurar por um novo amor.

Não sei por que, mas meu coração necessita tanto de amor...
Tanto do seu amor, como a locomotiva precisa do carvão
Para se locomover e se abastecer.

Se seu amor por mim se foi como poeira ao vento.
Não temas, pode me falar ao pé do ouvido.
Sofrerei perante a verdade.
Mas me alegrarei em ter a certeza
De que não estou sendo enganado por um amor
Covarde, que age com piedade, por medo de fazer sofrer.

Saiba que só esta dúvida já me mata,
E que este silêncio me congela.
Com certeza a verdade me clareará as idéias
E me mostrará que ainda é possível recomeçar...
O que melhor seria com você.

Mas, se não for com você,
Com quem será?

O caminho que faço ao caminhar, me mostrará.
Se você não é o amor pra mim, alguém será.

Nasci, cresci e estou fadado ao amor.
Sou escravo do amor.
Este é o meu destino.
Este amor está gravado nas estrelas, na minha alma e no meu coração.

Do amor, e de amar, não abro mão.
Se não for o seu, não temo a sorte.
De alguém será.

A sorte está lançada.
Por enquanto aguardo a quebra do seu silêncio,
Para me decidir qual rumo tomar.
Mas o que eu quero, é te amar.

Meu coração dilacerado no peito,
Dói, pois têm dúvidas se este amor ainda têm geito.
Ao mesmo tempo que chora, sorri.

Pois sabe que o que é para ser, ainda não é.
O amor que é para mim, ainda será.
Mas espero que seja com você.

Fico cá, como príncipe em busca da bela adormecida,
A qual aguarda, imóvel, pálida, fria e morta,
O beijo que aviva, que renova,
O beijo que trás de volta a cor,
E o movimento.

O encontro, a quebra do silêncio com o beijo da verdade,
Pode mudar toda a história, a qual não será mais de tristeza, sofrimento  e dor.
Será como o feliz para sempre, que só existe no amor.

Mas, se ainda é possível, prefiro o Reencontro, entre o meu amor e o seu...
Pois espero e aguardo que no fim, que é recomeço,
A minha história de amor continue com você.
Tudo por que te amo, e te quero pra sempre em meus braços...
É nós seus beijos, amassos e abraços que quero me despedir deste mundo complicado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário