domingo, 18 de abril de 2010

O AMOR...

MUITAS SÃO AS DEFINIÇÕES QUE DÃO AO AMOR.

MAS, PENSO QUE MERAS EXPLICAÇÕES HUMANAS NÃO O DEFINE.

O AMOR É TÃO MISTERIOSO QUANTO OS MISTÉRIOS QUE MOVEM O UNIVERSO, OU OS MISTÉRIOS DA SANTÍSSIMA TRINTADE.

SÓ SABE DISCERNIR UM OU OUTRO,

AQUELE QUE DEUS REVELA.

AQUELE QUE TEM ABERTO OS OLHOS PARA VER ATÉ O QUE ESTÁ OCULTO E PARA SENTIR ATÉ O QUE NÃO É PERCEPTÍVEL.

O AMOR,

NÃO É UM MERO SENTIMENTO HUMANO...

ELE NÃO SERVE AOS NOSSOS PROPÓSITOS...

ELE NÃO CONDENA.

ELE NÃO PUNE...

ELE SEMPRE PERDOA E PROMOVE...

O AMOR É COMO UM PAI,

QUE VÊ SEUS FILHOS COMO QUE CRIANÇA, MESMO ESTANDO ESTES JÁ ADULTOS.

TENTAR ENTEDENDER O AMOR,

É O MESMO QUE SE PERDER EM MEIO AO OCEANO.

POIS O AMOR É TÃO GRANDE E TÃO COMPLEXO QUE ULTRAPASSA EM QUANTIDADE O MAR EM GOTAS E O UNIVERSO EM ESTRELAS.

MAS SENTIR O AMOR É FÁCIL...

POIS ELE NOS VEM MANSAMENTE...

BATE A PORTA, E NOS AVISA...

"SOU EU".

PEDE PARA ENTRAR, E SE ACEITO, ENTRA, FAZ MORADA E PERMANECE ENQUANTO O HOSPEDEIRO PERMITIR...

POIS O AMOR NÃO É GROSSEIRO...

ELE SÓ PERMANECE SE ACEITO, SE VALORIZADO E RESPEITADO COMO BEM PRECIOSO QUE É.

AMAR É SIMPLESMENTE UMA NECESSIDADE QUE PREENCHE CADA BURACO D'ALMA... E FAZ NOVA TODAS AS CRIATURAS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário