terça-feira, 14 de abril de 2015

Liberdade aos professores


O cenário educacional hoje em dia tem entristecido
em muito os profissionais da educação, e no caso
os profissionais das escola públicas mais ainda.

O professor público é tido como um qualquer que não
conseguiu dar uma guinada na vida e por azar ou
forças do destino caiu na salas de aula da rede pública.

Ninguém vê o que ele passa.
Ninguém experimenta calçar seus sapatos e caminhar
no lugar destes, mas se colocam em pedestais e se
põem a criticar, menosprezando cada vez mais, aqueles
que trabalham com o futuro das nações (as crianças,
adolescentes, jovens e adultos).

Muitos ainda criticam dizendo que se estão nas escolas
públicas, é por que não são bons o suficiente para estarem
numa escola particular, mas na realidade as coisas são bem
diferentes, primeiro, o mercado não consegue absorver
a demanda de professores e segundo, as escolas privadas
criam meios onde não são avaliados o Coeficiente Intelectual
e Emocional de seu professorado, e sim as indicações, sejam
elas políticas, ou de quem já trabalha nas mesmas, sendo
poucos que se sobressaem aos demais, inclusive nas
universidades onde vemos professores mais despreparados
do que seu próprio alunado.


Muitos comentários nas redes sociais denigrem e não
agregam valor algum aos professores, e até dizem:
"se não estão satisfeitos com seu trabalho, que arrumem
outro", como se fosse fácil assim, jogar pela janela anos
de estudos, dedicação, cursos, especialização (...) e começar
do zero.

Já pensou, um bom advogado desempregado, taxado por
alguns concorrentes desleais de incompetente, o que não
é o caso, ter que abandonar todo seu estudo e esforço, e
se emprenhar numa nova profissão, ao invés de investir
em um concurso público ou outros meios legais que lhe
permitam alçar voos maiores? Assim como um médico,
um dentista, um etc.

As pessoas estudam e investem no que sonham ser o
melhor para seu futuro profissional, muitas vezes a profissão
passa a ser a identidade da pessoa, e identidade, a gente não
joga fora, a gente não desiste, pois caso ocorra, a pessoa
desistiu de si mesma.

Professores das redes públicas e de muitas escolinhas
particulares por aí afora, vivem no total abandono e descaso
da sociedade, com uma baita responsabilidade nas mãos,
que é promover educação, gerar pessoas críticas, ativas
e capazes de produzir histórias mais felizes e dignas de
seres humanos, ao contrário do que se vê por aí.

Quem não sabe, ser professor, é quase que uma dedicação
exclusiva, a pessoa deixa por muitas vezes de ter uma vida
social. Trabalha o horário previsto na escola com os alunos,
participam de reuniões semanais, e quando chegam em casa
têm que fazer os planos de aula, provas, correção de provas,
pesquisas dentre outros, e nos finais de semana participar de
cursos de capacitação continuada, pois a exigências são
sempre mais e mais.

Nunca estão satisfeitos com a atuação do professor, com
sua qualificação, mas quase sempre, investem pouco nestes,
baixos salários, promessas vazias, instabilidade profissional,
e a culpa do fracasso de crianças, adolescentes, jovens muitas
vezes recaem sobre estes em discursos impensados e calorosos
que muita vezes não passam de chantagem emocional, com
vistas a continuarem a mão de obra barata e não tão grata,
que surte no efeito e consequência de uma educação puramente
de repetição de conteúdos, geradora de analfabetos funcionais,
presas fáceis para a manipulação das mídias, religiões, políticas,
que só tendem a expandir e a enriquecerem com a ignorância alheia.

Professor é gente, tem sangue nas veias, come, respira,
cansa, sorri e chora, não é nenhuma super homem que
vive de glórias. Possuem família, filhos, despesas, gastos,
sonhos, projetos de vida como qualquer um outro, e por que
não podem achar injusto o salário que lhes impõem?

Quantos políticos aí no poder, analfabetos funcionais, que
não fazem nada além de investirem em suas demagogias,
não possuem estudos, não são graduados, nem pós graduados,
muito menos mestres ou doutores, e ganham super salários,
por roubar bem o povo. Quem nesta história, e em outras
merece os aplausos?

Não é por que a educação é pública que tem que ser feita de
qualquer modo, e não é por que professor é da rede pública
que mereça ser desvalorizado. Quando vão perceber que
colocar dinheiro na educação é investimento? Quando vão
perceber que quanto mais educado um povo, mais humano
ele se torna, e assim, se moldam em estilos de vida que
que favoreçam a vida e o viver em dignidade?

Quer um mundo mais sociável, mais humano, mais fraterno
e mais feliz? Invista nos professores! Com certeza verão
menos policiais nas ruas, e consequentemente menos
ladrões, menos drogas, menos mortes por crimes, dentre
outras mazelas!

Um viva aos professores! E o lembrete, o tempo da escravidão
acabou, libertem os professores também, tirem-lhes as algemas,
os gradis, e deem aos mesmos a paga justa pelos seus esforços,
pois estes são pedreiros e ao mesmos tempo lapidadores de
humanos, almas e espíritos, capazes de promoverem a paz
nesta gigantesca família humana, ou em falha a guerra.
Há no mundo maior responsabilidade?

By Adalmir Oliveira Campos​
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário