sábado, 3 de maio de 2014

Sopro Divino


Nem o frio do inverno.
Nem a tormenta dos dias frios
podem apagar o sopro de vida que
jorra em meu peito.

Este sopro que entra, sai e permanece,
é fecundo, se amplia, se expande.

É amor do Pai por mim.
É amor do Pai que vira amor de mim por mim,
amor no Pai, amor no outro e jamais fim.

Este sopro veio D'Ele, é vida que corre em
mim, vida celeste em corpo terrestre, sofre
e cresce, evolui, jamais padece.

É vida é amor.
É vindo do Senhor.

Sou partícula D'Ele, solta em fusão, mistura
etérea com outros seres em continua
evolução!!

Um sopro, dois sopros, milhares de sopros
dando vida a corpos antes sonhados e inertes,
na busca de voltarem a Ser um com o Criador.

Luz alva, luz púrpura, vermelho,
lilás, carmesim, coração aberto a jorrar
sangue na arte de amar...

No fim, final feliz.
Fusão cósmica, celestial, onde um são
multidões, em um só Senhor.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário