quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Quando você se foi...


Quando você se foi... Eu sei.
Eu vi, eu permiti.
Eu pedi pra você sair.
Pensei ser o melhor pra nós.

Você se foi e nem olhou pra trás.
Não lutou, preferiu se calar.
Talvez eu fosse errado de mais.
Me calei também.

Fiz tudo pra te esquecer...
Cometi burradas mil.

Deixei de olhar suas fotos,
Embora as tenha no pc e no coração.
Deixei de fuçar suas ações virtuais.

Foi como estar no deserto em meio
A ilusões de amores.

Ilusões... Afirma meu coração...
Solidão em meio às multidões.

Grito confuso...
Grito perdido,
Aflito.

Será que você seguiu a mesma sorte?
Ou em seu norte se
Descobriu melhor sem mim.

Já não me liga.
Já não me olha nos olhos.
Já não divide notícias de você.

Doce poeira do passado que
Sopra meu presente.

Horas alegra...
Horas entristece.

Lembranças de um amor inconcluso,
Mal entendido, incompreendido,
Inacabado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário