domingo, 20 de fevereiro de 2011

Castelo sem portas...


É você que eu amo.
É você que eu quero.
Venha me tirar deste castelo.

Castelo que eu mesmo construi.
Castelo de medo.
Castelo de culpa.

Na construção do castelo, me tranquei.
Sem portas, te perdi.

Não sei se ainda me ama.

Mas se ainda for sim,
Venha em seu cavalo prateado.
O dragão, morreu em mim.

Só você pode amortecer a queda...
Só teus braços ainda me servem.
Só o som de seu coração me soa
Bem aos ouvidos.
Só teu calor ainda
Pode me aquecer.

Os sonhos com seus beijos me
Deixam lúcido e cheio de vida.

Lembre-se o dragão morreu em mim.

Quero reconstruir com você o
Nosso castelo.
Que tenha portas, janelas e um belo jardim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário