terça-feira, 28 de setembro de 2010

Lembre-se...

Lembre-se, que quando chorou, chorei também;
Assim, como quando sorriu, sorri também...
Quando me amou, te amei também.
Veio a separação, não por falta de amor,
Pois este sempre foi demais.
Mas por divergentes opiniões.

Busquei novo amor...
E amei... mesmo te amando.
Um dia sequer, deixei de pensar em você.

No novo amor, que amei também,
Me lembrei do amor gostoso que fazíamos "tontos" na madrugada,
Na rua às escondidas, no quintal de casa, das nossas rapidinhas...
Tudo isso, quando o novo amor me gelava.

Nas situações que vivi com o novo amor,
Muitas me traziam o desejo de te ter novamente
Em meus braços.
Cruel orgulho, que cega...
O novo amor, tinha tudo pra dar certo...
Mas com o tempo, veio as horas de solidão...
Vazio, tristeza, escuridão.
Nas quais me lembrava do quanto me amou,
E que mesmo com seus defeitos,
Sempre se fazia presente.

No trato, no carinho, e no sexo sua dedicação
Sempre foi excepcional.
Coisas que o novo amor só dedicava à prestação.

Me lembro das lágrimas de sangue...
Que se não saem dos olhos, saem da alma,
Por não ter dado valor ao seu amor.

Mas mesmo assim, decidido que estava,
Seguia com o novo amor, buscando amar
E ser amado.

Mas tudo passa...
O novo amor se foi.
E eu e você já a tempos não somos dois...
Somos como pássaros livres para viver...
Mesmo que seja um grande e novo amor...

Espero que pelo menos reste a amizade
Em nossas relações, para que sem culpa,
Possamos enchergar o amor que vivemos
E possamos dizer "veleu a pena".

Mas como tudo neste mundo é passageiro...
Mas como nesse mundo tudo é dinâmico...
Eu também o sou, e preciso seguir em frente...
E em frente eu vou, com uma experiência a mais,
Que com certeza me possibilitará ser mais feliz...

Nasci para amar...
Só me resta o presente, o qual me impulsiona
A seguir em frente, e quem sabe
descobrir ou ainda redescobrir o amor.

É tempo de luto...
É tempo de luta...
É hora de libertação.

Metamorfose que me transmuta e me prepara para
Ser nova criatura...
Transmutação que me abre novas possibilidades...
Novos sonhos...
Novos rumos...

Em frente eu vou...
Por que, quem cisca pra trás é galinha...
E quem anda pra trás é caranguejo...
Mas se partindo daqui, quiser ir comigo...
É só felicidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário