sábado, 9 de outubro de 2010

Dor...


O que fazer quando o coração está confuso?
Gostaria da receita para esse mal.

Sofrimento, dor e amargura
Que quase me consomem a alma
Numa solidão sem igual.

Ninguém percebe...
Nem demonstro.
Pois ninguém têm culpa
Do furacão que destrói tudo dentro de mim.

Sigo em frente.
Sorrisos, falsa alegria...
Tudo faço para alegrar as alma amigas
Que não merecem a dor da perda,
E da espera de um grande amor.

Dor da perda...
Dor da espera...
Dor da incerteza.
Dor.

O que me move e faz continuar,
É a certeza de que os outros
Amores aos quais dedico...
Comunidade, amigos, família...
São metade do amor que preciso
Para viver bem e plenamente feliz.

Vou andando meio "cambeta",
Até que encontre
Caído das asas de um cometa,
O amor que busco e espero.

Amor, que se não for perfeito,
Caiba nos sonhos dos dois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário