quarta-feira, 6 de junho de 2012

O medo


Muitas vezes sentimos medo.

É humano eu sei...



Mas, o medo se não controlado,

Pode nos deixar machucados,

Encalhados, sem poder sair do lugar.



O medo existe e é fato.

Ele é um mal necessário.



Que provoca repulsa ao que nos é contrário,

E às vezes, muitas das vezes é ofensivo.



Mas ele é o que dá sabor à vida...

Não permite que esta se aglutine,

E forme lodo aquietador o qual aliena

E massacra o sopro Divino.



Em excesso, paralisa, engessa e deixa qualquer humano num estado de Acomodação...

Instala a culpa e a ansiedade maldita, que aumenta buracos já maltrapilhos da alma e do ser,

Que sem fé, coração palpita, grita e se arrebenta.



O medo é como blocos de concreto, e assim vão sendo empilhados,

Um a um.

Sufocando tudo que há no interior...

Impedindo tudo que é possível no exterior, e que parte do Interior.



Mas que se bem direcionado, educado e ensinado...

Cada um que sente medo,

Se fundamenta, se constrói, e avança

Com os pés firmes.



E assim, vivem realidades que se transformam a partir

De grandes sonhos, onde ser autor da própria história é Possível. Ato corajoso, que o medo oportuno afirma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário