sexta-feira, 18 de maio de 2012

Carta aos jovens...

Esta “carta” é dedicada aos jovens que existem mundo afora, nas crianças, nos adolescentes, nos adultos, e nos idosos, jovens caras pintadas, que maquiados às vezes em tons de cinza, têm privado a si mesmo de si, do outro, na busca do ter, na negação do ser humano que nos une enquanto família universal.

Jovem,
Eu sei e tenha certeza que Deus, o Deus o qual você acredita, sabe também, que a sua jornada humana, dita terrestre, às vezes tem sido difícil, para não dizer insuportável.

O buraco em seu coração tem sido enorme feito buracos negros a sugar seus sonhos de uma vida plena e feliz. São tantas realidades, contextos e máscaras com as quais você tem que conviver a cada dia, junto à família, amigos e sociedades.

É sabido meu caro jovem, que às vezes, o sistema em que vivemos, o Estado, a escola, a família e sociedade, nos oprime; O que denota aparentemente que estamos sendo esmagados contra a parede, atropelados no anulamento de nossas esperanças, de nossos sonhos e ideais de vida.

Mas não temas, segue adiante, lute, busque através do conhecimento e aprendizagens constantes, as que muitas vezes ocorrem nas experiências que vivemos, as quais geram erros e acertos, e destes, novas experiências e novas aprendizagens que trazem e promovem a Luz, onde ainda nos é escuro, Luz, que promove o autoconhecimento, o qual nos permite neste autoconhecimento a possibilidade de vislumbrarmos a nós mesmos, de nos admirarmos, e notarmos o nosso imenso valor, o que pode nos render a alegria de reconhecermos em nós este imenso valor. Ao nos vermos assim, percebemos que existem milhares de possibilidades em nossas vidas, e que temos sim, um significado no mundo, o qual se faz na construção de nossas próprias histórias, que são por nós conduzidas e trazem conseqüências, as quais oriundas de nossas escolhas pessoais, são realizadas e ocorrem conforme nosso livre arbítrio, e assim nos permitem poder viver plenamente a vida e alcançar a tão sonhada felicidade, ou o oposto de tudo isso, caso fizermos as escolhas incertas, que conscientes ou “inconscientes”, nos trarão as conseqüências as mais diversas, das quais não poderemos culpar ninguém, nem a Deus, pois são escolhas pessoais e intransferíveis, mas que devemos fazer, pois assim, a vida acontece.

Jovens, repito, é o grito de Deus que brota dessas palavras, desse ser imperfeito, que passa a mensagem do seu maior desejo, que é o de se encontrar, e que ao encontrar a se mesmo, possa percebê-lo no outro.

Jovem, busque encontrar o que realmente é importante, interessante e valoroso em sua vida, a começar por você, “Obra prima e amada do Criador”.

Conhecer a si mesmo, no reconhecer suas fraquezas, no reconhecer o que te fortalece, ao apontar suas dificuldade e limitações, e ao apontar o que pode levá-lo a superá-las e assim, agindo no seu mundo e no mundo que o cerca, possa descobrir e aprender com novos conhecimentos, e criando outros se possível, para que através destes conhecimentos possa adquirir novos hábitos de vida, revendo hábitos antigos ainda necessários, reeducando-se e se desfazendo dos desnecessários, buscando mudanças de atitude e comportamentos, e incessante aprimoramento de habilidades adquiridas no decorrer da sua vida e aquisição de novas habilidades.

Jovem, mudanças assim, são dolorosas eu sei, Deus também o sabe, pois ele suporta tudo ao nosso lado, mas por respeitar nosso livre arbítrio, ele não interfere e assim somente torce e media para que no fim de nossa jornada, e no fim de cada jornada humana tudo contribua para o equilíbrio e harmonia, a fé que temos através do Criador e de nossas ações se confirmam em nossas vidas.

Mas, caros jovens, creia, não superar tudo isso e a se mesmo, pode ser mais doloroso ainda, e as vezes custar-lhes uma vida, que em vida muitas vezes já não tem sentido, e o nos torna mortos em vida, a passar pela vida na busca de prazeres mundanos, que trazem falsas alegrias, as quais mascaram a realidade e leva a sentirmos por instantes a “felicidade”, a que deveria ser constante, mesmo que diante de conflitos e dificuldades as mais diversas.

Jovem, estes pequenos momentos de felicidade viciam e alimentam a necessidade e busca de prazeres constantes, os quais não nos são impedido. Mas é necessário que possamos nos divertir com responsabilidade, pois a liberdade nos exige isso, ela não existe sem a responsabilidade. Momentos de lazer, de dançar, de cantar, de curtir a família, amigos e os meios os mais diversos de entretenimento, são importantes, desde que não sejam usados como válvulas de escape, para preencher e dar significado às suas vidas, e sim como dito, enquanto formas e meios de lazer, integração/ socialização com família, amigos e sociedade, pois somos seres relacionais e relacionarmos de modo consciente e saudável é importante na construção da felicidade plena.

Jovem...

Atenha-se ao que realmente é importante em sua vida, a começar por você, seus familiares, amigos, e depois as pessoas e o mundo.

Jovem, gaste conforme teu ganho, e não sejas demasiado ambicioso, saiba parar ao se satisfazer e evite criar dentro de si um buraco negro, que a tudo suga e o faz sentir a necessidade de sempre mais e mais na busca da definição de ser na busca do ter.

Jovem, evite alimentar e enriquecer sistemas que alimentam crenças de que o ser se faz no ter, no status, ou posição social ao qual nos dão rótulos ou possam nos rotular, no decorrer de nossas vidas, nos diversos contextos e segmentos sociais em que participamos, convivemos e agimos no dia a dia.

Jovem, lembre-se, o ser, nada mais é o que você é na sua essência humana, e do que você constrói ou se propõe a construir e fazer na escrita de sua história...

Jovem, você é, o que se propõe a ser no seu intimo, nos seus “instintos”, que se faz na consciência e construção que partem do autoconhecimento, no auto-cuidado, no auto-amor, no autovalor, e no que dedica e propõe a si e aos seus semelhantes no reconhecimento do que são no ser e na negação do que possuem que se baseia no ter.

Jovem, lembre-se, você é valioso como quando veio ao mundo, mesmo nu e sujo de sangue, mesmo que ainda não tenha sido cortado o cordão umbilical, e até mesmo antes deste “nascer” e vir ao mundo, e que seus semelhantes, humanos como você também o são.

Jovem, Você não deve permitir que o seu valor possa ser medido pelo que possui a custo do dinheiro, do poder e status social, ou ainda na noção de que és superior aos outros humanos, que às vezes são subordinados a você.

Jovem, você é valioso pelo que é, e você é responsável pelo que se torna a cada dia, e pelo que pode vir a se tornar, o que vai depender de suas escolhas presentes, e creia, você é o único capaz de fazê-lo feliz, esta é a vontade de Deus, o qual lhe dá todas as manhãs as oportunidades para isso, ou as condições para que você crie estas oportunidades e seja um vencedor. Lembre-se, nascemos para sermos vencedores.

Jovem, creia, tenha fé, a felicidade plena não está em adquirir bens materiais, ou coisas, nas farras com amigos, em drogas, em seguir a moda, em amontoar riquezas, em ter mansões, carros luxuosos e às vezes importados, em ser endeusado numa fantasia promovida por um status que e adquirido com o poder e que dão a falsa idéia de que somos semideuses, embora isso não os impeça que vivam algumas dessas experiências, você tem a liberdade, embora deva se ater à sua responsabilidade na sua condição humana, as que não lhe fazendo mau e nem aos outros humanos ao seu redor, podem ser usadas de acordo com sua liberdade como opções de lazer, opções estas, que devem ser realizadas com consciência de que são opções de lazer e que outras, vistas como anestésicos nas situações conflituosas do dia a dia, possam ser evitadas pois anulam e encurtam a vida que está em cada um de nós e nos impede de viver realidades felizes e reais.

Jovem, vícios podem trazer ou darem a impressão de momentos felizes, de prazer e êxtase o que ás vezes nos confundem com realidades felizes. Mas, jovem, não se permita ser enganado, e não engane a se mesmo aceitando-os em suas vidas, e lembre-se, às vezes na busca do ouro, das riquezas, do poder, status, postos hierárquicos, podemos nos perder, nos vender e assim, perdermos o que nos é mais caro, o que não há dinheiro que compre ou pague, pois na maioria das vezes nos são presenteados e permitidos os usufrutos gratuitos.

Jovem, pare, pense, avalie-se, questione-se e aos outros e ao mundo e sistemas e contextos os quais participa todos os dias. Perceba-se e coloque-se no mundo, aprecie suas famílias, seus amigos, a natureza, e toda a grandeza que o mundo que lhe foi presenteado oferece em paisagens, cenários ás vezes bucólicos, que se fazem à luz do dia e às luzes noturnas, perceba os sons, as cores e o quanto são especiais e caros, como aos que te amam e lhe querem bem. Perceba nas suas convivências sociais, em família, com os amigos e colegas os mais diversos o prazer, gozo e felicidade que nos vêm de forma gratuita e nos permite enxergar que liberdade é ser quem somos, desprovidos de máscaras e assim mesmo, ainda sermos amados, ainda termos valor, ainda sermos admirados e queridos e por que não sermos felizes?

Jovem, ao nos permitirmos ser quem somos, e ao permitirmos a verdadeira felicidade, e ao termos a consciência e ação constantes para que este ser e viver plenamente e feliz se faz na luta que se opõe a sistemas hierárquicos, ditatoriais, antidemocráticos, alienantes e escravisadores de almas, corpos e vidas humanas, tornamos possíveis a construção de um mundo melhor, com mais qualidade de vida, que com os pés nos chão, entendem que conflitos sempre vão existir, mas que estes são molas propulsoras de verdadeira evolução do mundo e no mundo e da humanidade que nele habita, que passa a ser construída de modo sustentável e consciente, que se faz na ação diária, animada e dinâmica de vida.





Nenhum comentário:

Postar um comentário