quarta-feira, 16 de maio de 2012

Luto



O que seria luto?
O que é estar de luto?
Seria o estado de espírito que instala-se sobre nós quando algo ou alguém que amamos  vai para não mais voltar?

Na vida tenho fugido ao estado de luto.
Tenho buscado falsas alegrias para mascarar a dor da saudade e a falta que aquele pedaço que se foi,(mas que ainda faz parte de mim) não me leve à morte e instale o luto em outras pessoas, ou o estado de espírito que se instalou em mim.

Minha mente inconsciente cria resistências buscando aliviar a dor.
Mas é preciso viver o luto.
Clamo-te inconsciência, se faça consciente para que possa ser sentida essa dor, por maior que ela seja.
Lembre-se já cresci, não vou me perder.

Devolva-me as lembranças do tempo de criança, para que ao menos nelas eu possa viver os entes queridos que se foram, os momentos da meninice que não voltam atrás, e os amores que perdi.

Faz-me consciente de cada lembrança que se esconde e psicomatiza em mim doenças do corpo e da alma; Para que através do luto eu possa vivenciar cada uma dessas lembranças, cada situação vivida, sejam estas felizes ou infelizes, e permita-me me reconstruir.

Cheguei ao fundo do poço e não há água pra me afogar.
Nem a morte me deseja.
E é visto que desejei morrer.

Lembranças obscuras, que as escuras do inconsciente, façam-se reais, façam-se presentes e conscientes transformem-se em lágrimas, tanto que seja suficiente para encher este poço em que me encontro.

Não se preocupe inconsciente não é para que eu morra afogado e sim para que eu nade até a superfície e me refaça para viver novas aventuras, sonhos, lembranças, conhecimentos, amores, amizades , ideais e assim, me permitir amar e ser amado, aproveitando cada momento como único, no apreço à caminhada, livre e despreocupado com a morte, a qual pode significar um novo começo, que deve acontecer no momento certo, na hora certa, ao chamado de Deus.



Nenhum comentário:

Postar um comentário