segunda-feira, 15 de março de 2010

No mundo de hoje...



Não sei como escrever adequadamente usando todas as regras de Português...

Mas aprendi que é importante escrever...

Nem sei se alguém vai se dignar a ler... mas ouso assim mesmo escrever.

Pois creio que quando vivemos e escrevemos, a história se faz...

Felizmente ou infelizmente as coisas nem sempre saem como programamos, ou como programam para que as façamos.

Tudo esta sujeito ao crivo da "flexibilidade", que nos tempos atuais deviam ser constantes.

Aproveito este espaço para falar o que meus professores da universidade me proibiram de falar... para publicar o que diziam ser inconsistente... sem fundamento científico e tecnológico... e blá blá blá... penso que nem eles sabem o que é isso... apenas passam a frente o que pediram para passar... para eles a minha história nunca teve valor, nem ao menos o que eu escrivia... tudo devia ser copiado de pessoas que deixaram suas marcas no passado, pois só eles eram competentes o bastante para definir se o que falei é ou não é uma "verdade" e outros definiam se a minha verdade supera ou não a verdade do outro que também tem o seu valor enquanto verdade, ou se o que eu falei alguém já não tinha falado...

Hoje, enquanto estou na situação de mero professor de ensino fundamental, busco ensinar aos meus educandos "especiais" que eles existem, mesmo quando todos dizem o contrário, pois, não sabem ler, escrever, não memorizam regras complicadas, ás vezes não sabem seguir as convenções sociais de forma adequada, não controlam seus medos, suas dúvidas, suas ansiedades, angústias, sua auto estima que na maioria das vezes esta embaixa devido a enorme carga de descriminção e preconceito que os cercam de todos os lados, sua sexualidade etc... (mas quem controla? muitos até fingem bem)

Busco sem fundamento científico e tecnológico ensinar coisas simples como cuidar com maior independência de sua higiene pessoal, como tomar banho e escovar os dentes, de sua auto estima, de como se portar em determinados lugares, em como se sentir bem consigo mesmo, em como manter a alegria de viver, mesmo que o mundo tente convencê-los do contrário, ensino que podem namorar, noivar, casar, ter uma relação saudável com outra pessoa como qualquer outra pessoa, que podem trabalhar...ensino que vale a pena viver, mesmo que não saibam ler e escrever, o que não significa que podem tentar sempre a fazê-lo, mesmo que isso não os defina como seres humanos... e tantas outras coisas... que o mundo julga a eles serem incapazes como o ato de poder dirigir, ser um policial, bombeiro, etc... o que falta, digo a eles, é lutar sempre, pois no mundo de hoje, uma hora ou outra vão abrir os olhos e perceber que a vida é muito mais que amontoar dinheiro, que é muito mais que o trabalho exaustivo do acúmulo infernal de riquezas, que na verdade empobrece cada dia a humanidade... que sufoca e afasta as pessoas do convivio fraterno, humano e irmão...

No mundo de hoje, falo a eles sempre, verão que para dirigir é preciso mais que ler e escrever, é preciso avaliar o amor pelo outro com quem se cruza no caminho...

É preciso ver um símbolo, uma placa, e entender o seu significado e ter a humildade de fazer o que este pede...

É enteder como liga, desliga, e como se procede para realizar manobras seguras de um veículo, o que nem sempre está ligado à leitura e à escrita, se fosse assim, não haveria acidentes, pois a maioria dos motoristas, pilotos, e etc, sabem ler e escrever muito bem, e muitos até conseguiram título de doutor...

No mundo de hoje, se fosse pra registrar as mazelas que nos são impostas, falo a eles, ficaria dias escrevendo as maneiras de como o homem moderno, pós moderno e etc... se comporta, e planeja a vida para promover a própria desgraça e a desgraça de muitos que "passivamente" passam pelo mundo...

No mundo de hoje, é preciso mudar o jeito de avaliar, não pela escrita somente, se uma pessoa é alfabetizada, letrada, se escreve adequadamente ou não, mas pelas maneiras de como cada indivíduo vive a sua vida diante das situações conflituosas que entram em seu caminho todos os dias, de como lê e interpreta o mundo, e etc...

sei lá... esta história que acabo de escrever, parece não ter começo, meio e fim, mas é meu geito de escrever, e pra quem sabe ler, já diz o ditado, um . (ponto) faz parte de um texto...ou é letra sei lá...




Nenhum comentário:

Postar um comentário