segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Poetas e Palhaços


Dizem que poeta produz mais quando sofre.
Dizem que poeta produz mais quando ama.
Dizem que poeta produz mais quando sua
sensibilidade está à flor da pele.

Dito isso, é verdade absoluta, que não fique
o dito por não dito...

Mas na real, poeta que se preza, está sempre
a escrever. Os assuntos a poetizar são tantos,
quem diz que poeta só fala de amor, de sofrimento
e dor?

Poeta fala de tudo o que incomoda, de tudo o
que está ao seu entorno, à sua volta, e no mundo
que o cerca.

Não fala de pessoas, fala para as pessoas.
Seu objetivo maior não são fofocas,  e sim
cultura.

São tantas pessoas perdidas neste mundo.
São tantas pessoas sofridas que necessitam
uma palavra que as conforte, reconforte e as
fortaleça.

E o poeta, tem tudo que estas almas precisam,
no que suas mãos se põem a escrever.

Poesias, versos e mais versos, ruminados,
vividos, sentidos. Estes trazem em seu bojo
as marcas do que sofreu,  o que vai ao encontro
ao que a humanidade sofre diariamente neste
mundo de aprendizados.

Palavras lidas, corações e almas que se cruzam,
trocam informações, aprendem e evoluem.

Engana-se quem diz que poesias são balelas
de donzelas apegadas aos contos de fadas.
São leigos apenas, destruidores de sonhos talvez.
A poesia pode não trazer o "felizes para sempre",
mas pode conduzir ao feliz de cada dia.

Pois é ao que se propõe.
Lágrimas, sofrimento e dor,
bem como sorrisos, alegrias e cura,
fazem parte da vida, e a poesia evidência isto,
e nos acrescenta que o ser humano só evolui se
passar por todas as etapas de "lapidação humana",
o que consiste a própria vida, esta verdadeira
fábrica de estrelas, que um dia, estarão dispostas
em constelação.

Poetas e palhaços tem muito em comum.
Levam muito de sim,  de seus conhecimentos, seus
sorrisos e alegrias, mesmo que para isso neguem
o que se passa em seu interior.

By Adalmir oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmirolivieracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário