sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Políticas do partido A, do partido B


Estes dias vi um comentário e achei estranho,
o mesmo ocorreu em uma página da internet
aqui da minha cidade, onde dois "oponentes"
de partido A e B pareciam dois gladiadores,
a levar "informação" aos mais de cinco mil
adeptos ao grupo.

"Você parece um poeta, fulano".
Me senti ofendido de cara...

Mas preferi não entrar naquela discussão boba,
infantil e mesquinha. Também, se entrasse, seria
apedrejado por colocar a minha opinião, é que
por falta de argumentos convincentes de que
o político que representa o partido A ou o partido B
são os mais indicados à presidência da republica,
com certeza me xingariam de vagabundo ou outra
coisa, como o fizeram outras vezes, para repelir,
jugando-se vencedores do "debate" em questão.


Mas a verdade é que os partidos A e B, a direita
e a esquerda estão tão preocupados em manter
o regime implantado pelos fundadores do Brasil,
que nos dá a real sensação da verdade de que
querem somente o bem para si, não estando
preparados nem para chefiarem suas próprias
residências, quiçá uma Nação.


Mas para os desinformados, poetas não são
sonhadores de utopias, ou seja, do impossível,
são formadores de opinião, e buscam retratar
a vida de um modo diferente, onde
o quociente emocional é levado em conta,
sendo confrontado com conhecimentos poéticos
que desestruturam o pensar, e o reestrutura na
promoção do ser humano através de novos
aprendizados, os quais, ficam nas entrelinhas,
que podem ser lidas, sentidas e aprendidas
por almas que são sensíveis.

Poetas são pensadores de todos os tempos.
São meio que filósofos e um mister de profetas!

E em seu pensar não cabem opiniões mesquinhas
e infundadas que só denigrem o humano no seu
viver em humanidade, muito pelo contrário,
visam a superação humana, através da prática
e vivência do amor.

Por verem o amor como poesia ou utopia, é que
a política, o humano e a vida estão do jeito que
estão: tão ocos, vazios e banalizados.

A função do poeta é alertar para esta questão
e trazer à vida a nação, a qual também se faz
na união, no diálogo e nas boas ações, e confirmar
que sim, o ser humano tem valor, que sim, o
pobre tem valor, que sim, as massas que movem
o mundo, mesmo que anônimas, são a verdadeira
forma de mudanças e transformação e sim, possuem
muitíssimo valor.

O que é banal, são estas discussões fúteis que
não levam a nada, embora infelizmente causem
ibope... Mas fica o alerta, uma Nação não é uma
emissora de TV ou de Rádio para viver de ibope,
o "povo" precisa mais do que isso para viver.

O que cabe à oposição, é cumprir o seu papel
de se opor, mas não do que não lhe é favorável,
enquanto não benefício à sua legenda, e sim ao
que não é favorável enquanto não benefício à
população à qual representa.

Partidos políticos existem para representarem o
povo e para lutarem em prol de benefícios e
outros que favoreçam aos mesmo, e não para
representarem-se a si mesmos em enriquecimento
ilícitos, e ações corruptas e desumanas.

O povo merece  o melhor, caso contrário para
que serviriam as leis e as políticas instituídas?

By Adalmir oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário