quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Voltar a ser criança


Sabe, às vezes sinto saudades de
quando a minha preocupação era,
a que horas começava a sessão
da tarde e a novela das oito.

Infância que não volta.
Se você ainda vive neste estado
de graça, aproveite!

A vida adulta não é de todo ruim.
Mas garanto que as preocupações
vão além de um simples teclar
de botões da televisão.

Crescer pode ser maravilhoso.
Mas crescer em um mundo que
ti suga e diminui a cada dia, que
banaliza a vida e faz com que a
felicidade se baseie no dinheiro,
na violência e no desrespeito, pode
ser um verdadeiro inferno.

O mundo dos adultos precisa
urgentemente deste mundo das
crianças, de forma a se encher
de mais sonhos, fantasias, sorrisos
sinceros e valorização do outro
pelo que ele é, e não pelo que
ele tem a oferecer ou ainda pelo
status que ostenta.

O mundo dos adultos precisa
urgentemente se espelhar neste
mundo infantil, se enchendo de cor
e graça, tornando o viver menos
nostálgico, menos corrido e estressante.

Crianças (não poluídas ainda) possuem
a mente sã... Se alegram com abraços,
se alegram com um sorrisos, se alegram
com o carinho do pai, da mãe, dos avós
e dos amiguinhos.

Não importam para eles a obesidade,
a magreza, a cor da pele, a religião, o
partido político, o time de futebol, a
orientação sexual (etc.).

O que realmente importa é o bem e o amor
que o outro tem a oferecer, o qual se torna
incorruptível, nas visões e ações infantis,
que perdoam fácil, que não guardam mágoas
e o mais importante, sabem dividir e promover
eternos sorrisos e felicidade.

Salve os pequeninos, pois deles, é o
Reino dos Céus. Mas jamais deixe de
educá-los para que não venham a si
esquecer disto, pois mesmos crescidos,
são estas crianças amadas pelo Pai.

Mal educadas correm o risco de si distanciarem
do céu, este, que se inicia aqui mesmo nas
experiências de viver terreno, verdadeira
peregrinação para o mundo da Luz.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário