quinta-feira, 12 de março de 2015

Amor em trânsito


Amor a dois é assim, dá certo como no
caso das leis de trânsito, quando há o respeito
a certas regrinhas que não podem passar
desapercebidas, pois caso contrário, é batida na
certa.

Há os que saem feridos.
Há os que morrem.
Há os que ficam com sequelas pelo resto da vida.
Há aqueles que ficam com ódio no coração.
Há aqueles que não estão nem aí.
Há aqueles que nunca mais se arriscam a pegar a
estrada e a se entregar ao amor.

Bem como há aqueles que (...) seguem felizes e
de bem com a vida, seja em estradas esburacadas,
seja em asfaltos lisinhos, seja em estradas de chão,
seja sob chuva, sol ou neblina, e sempre encontram
tempo para apreciarem o arco íris, pois buscam
viver em equilíbrio.

Não são as rodovias que são "da morte".
Não são as pessoas que são sem coração.

No primeiro e no segundo caso, quem sai fora
da linha geralmente não possuem nem amor
próprio, e em busca deste, costumam dar
algumas barbeiragens, pena que cada burrada
que se faz, respinga em gente inocente.

Muitos sofrem.
Muitos se perdem.
Muitos morrem.
Ainda bem que por sorte, ou milagre,
muitos se salvam.

Aí, só o tempo e o bem querer para
curar as dores dos que ficam, e levar
a salvação aos que se foram.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário