terça-feira, 24 de março de 2015

Por mais tolerância no trânsito


Tolerância no trânsito, abrace esta causa!

Dizem que para toda regra, sempre há uma exceção.
Em grande parte eu concordo, visto que, não há como
homogeneizar o ser humano.

E no caso em questão, o que me motivou a escrever
estes pequenos parágrafos muitos hão de concordar.

Mulher no trânsito é um perigo constante.
Mas há exceções.

Homens não prestam, são todos iguais.
Mas há exceções.

Homens não conseguem fazer mais de uma coisa
ao mesmo tempo, são muito aquém às mulheres,
as quais são multifuncionais.
Mas há exceções.

Motoqueiros ou quem pilota motos são todos
imprudentes e irresponsáveis.
MAS HÁ EXCEÇÕES.

Há várias outras questões onde nas mesmas
"há várias exceções".

Deixei esta do motoqueiro por último, pois vejo
que muitos motoristas de veículos maiores
não estão dando a mínima para os motoqueiros,
fazendo de conta que os mesmos são invisíveis,
isto na ruas, rodovias e estradas.

O código de trânsito brasileiro deixa bem claro
que os veículos de maior porte devem sempre zelar
e pôr em segurança os veículos menores, e também
aos pedestres. Mas na prática, sabemos que ocorre
o contrário.

E é aí, que as leis devem prevalecer.
E é aí, que não se deve ter exceções.

Colocam apelidos em rodovias e trechos onde
há porcentagens grandes de acidentes, como
se os lugares, rodovias e trechos fossem os
grandes vilões, o que na verdade, nem sempre
é a grande realidade, na maioria das vezes, são
imprudência mesmo.

Há veracidade no que diz respeito ao não
cuidado do Estado e municípios nas rodovias,
ruas, avenidas e estradas, muitas vezes mal sinalizadas e
em péssimas condições de uso.

Mas a imprudência não pode servir de desculpas para
este fato.

Ambos, motoqueiros, motoristas de carro, caminhões,
dentre outros, pagam seus impostos, e ambos possuem
seus direitos garantidos por leis, mas é preciso fazer valer
na prática.

Nada de veículos pesados, como caminhões e outros,
ir piscando o farolzinho e ir com tudo, obrigado carros
de passeio e motos irem pro acostamento, para que possam
ultrapassar, ou invadir a pista contrária.

Quem pega rodovias como a 365 diariamente vê muito destas
irregularidades, e os carros de passeio, a serviço de órgãos
públicos e bem como carros de aluguel, ou táxi também
cometem muitas imprudências, e muitas vezes obrigam os
motoqueiros a andarem no acostamento (quando há), correndo
risco de atropelamentos a ciclistas, e pedestres (andarilhos)
que são muitos em qualquer época e acentuam-se em épocas
de festas regionais (romeiros).

As regras para ultrapassagem são as mesmas para todos os
veículos automotores, e não deve haver EXCEÇÃO, a não ser
nos casos previstos por lei.

Ver se o local é apropriado à ultrapassagem, com análise às
faixas, às placas, a pista contrária estar livre, sinalização
indicativa que se fará uma ultrapassagem, alerta ao motorista
da frente com piscar de faróis e ou leve toque na buzina, indicando
a intenção de ultrapassagem, ir para a outra pista, fazer a ultrapassagem
e retornar à pista de origem o mais breve possível, com o máximo de
segurança.

Mas as pessoas tem feito totalmente o contrário, e nenhuma
punição tem ocorrido, e muitas vezes quando morrem os motoqueiros,
ou estes são envolvidos em acidentes, devido à fama de irresponsáveis,
acabam levando a culpa, mesmo estando certos.

É importante salientar que ao ultrapassar um motoqueiro, deve-se
agir como se estivesse ultrapassando um carro, ou caminhão, e etc.
Sempre sinalizando,  o que alerta aos carros de trás sobre sua
ação.

Em estradas esburacadas, dirigir com prudência e em velocidade
reduzida, evitando sair da pista a todo momento e assim invadir
a pista contrária, e quando necessário esta opção, observar se a
outra pista está livre, sinalizar a sua intenção para que os carros que
estão atrás sejam alertados, e voltar imediatamente para a pista de
origem, em caso da vinda de carro na pista contrária, o melhor a fazer,
é reduzir, sinalizar para o acostamento caso tiver e desviar do buraco,
caso não aja acostamento, passar por sobre o buraco mesmo, evitando
assim uma possível colisão.

Se as leis de trânsito fossem seguidas sem exceções, a não ser em
casos extremos, onde infligir estas leis venha a evitar um mal maior, a
PAZ NO TRÂNSITO seria uma realidade.

Tolerância no Trânsito, abrace esta causa!

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário