quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Cachoeiras de Minas


Cachoeira pinga D'água.
Cai em rio e no mar deságua.

Trás riquezas minerais, arranca suspiros
e muitos ais.

Névoas dos amantes, poço do amor.
Beijo debaixo d'água, muito sol,
muito calor.

Em Minas é assim.
Cachoeira em cada esquina, no
cerrado o que mais?

Ainda tem tatu, tamanduá e muitos
outros animais.

Mas com certeza são as cachoeiras os
mares das Gerais.

Cabe um, cabem dois, cabem três,
e é bom demais.

Cachoeira pinga D'água.
Cai em rio e no mar deságua.

Lava o corpo, lava a alma e ao coração
trás a calma. Remédio dos melhores,
junto ao verde, fauna e flora.

Recanto dos passarinhos, num pouso
o canto, onde gostaria de construir meu
ninho, e assim viver de poesia e banhos
de cachoeira no sertanejo cantar ao
violão.

Queda d'água cachoeira, motivação de
minha vida, alegria do meu coração, de ti
faço versos, de ti faço canção, junto à
moça bonita vivo o amor e o trem é bão.

Cachoeira pinga D'água, sob lua cheia ao
céu se iguala. Veem-se as estrelas no espelho
d'água e se banham o amado e a sua amada,
e a vida segue plena no lombo firme, numa
cavalgada.

Cachoeira pinga D'água, guardada na lembrança,
põe saudade, pé na estrada, e juntos caminhamos
para o mar que deságua no céu.

By Adalmir Oliviera Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário