domingo, 10 de agosto de 2014

Pai Gervásio


Pai, hoje sinônimo de saudade.

Um vazio no peito e na lembrança, 
na fuga de não sofrer.

Pai, uma tristeza doída no peito, por alguém
que se foi e não vai mais voltar.

Pai figura tão especial, verdadeiro
herói que todos sonham ser.

Pai, devia ser eterno, pena, não o é.

Ao menos deviam durar um pouco
mais com a gente mas nem sempre
é o que acontece.

Cabe aos que ainda os tem, dar o
devido valor e sem dó, o devido
amor.

E a vida segue cambeta na espera
de um dia fazermos festa no céu.

Te amo viu papai Gervásio, apesar
de nem sempre mencionar teu nome,
apesar de nem sempre escrever de ti,
apesar de não pegar a chorar pelos
cantos.

Mecanismos de uma mente triste e
saudosa para não sofrer e amargar
a vida e o viver... Talvez uma não
superação da sua partida tão repentina
e abreviada.

Mas há aqui um coração que te ama
e pulsa seguindo a vida na certeza do
teu descanso junto ao Pai maior, morada
esta que um dia caberá a todos nós.

Pai te amo, Feliz dia dos pais!

By Adalmir Oliveira Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário