quarta-feira, 8 de maio de 2013

As vezes é difícil sorrir



As vezes é difícil sorrir.
As nuvens cobrem o céu.

As vezes é difícil sorrir.
As tempestades transbordam em raios
e trovoadas.

As vezes é difícil sorrir.
São vendavais, ventos em fúria,
tornados e furacões.

As vezes é difícil sorrir.
Até a lava quente consome
o desejo de sorrir.

São medos provocados...
São tormentas na alma,
no coração e na mente.
Que encolhe o adulto dentro de nós
e nos faz crianças de colo.

É um deitar fetal.
É um chupar os dedos
buscando preencher o vazio do coração,
o vazio do ser.

Mas a gente cresce.
Mas a gente cresce.

E os medos por detrás do arco íris
se desfazem ao luzir do sol.

E com certeza um dia o sorriso vem.
Seja disfarçado de um céu azul...
De um sol brilhante...
De uma lua cheia...
De um beijo.
De um cheiro.
De um dengo gostoso,
que permite ver além do horizonte
que não se alcança em vida,
mas que se torna mais próximo a cada
passo dado.

By Adalmir Oliveira Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário