terça-feira, 7 de maio de 2013

Te procurei



Te procurei.

E você
Nem manifestou interesse.
Julgou-me com seus preconceitos, 
sem ao menos buscar me conhecer.

Não me revelou nada de você, embora
eu me rasgaste todo o coração, 
colocando-me como livro aberto e passível de 
leitura e conhecimento de capa a capa.

Preferiu ouvir de mim o que falam as bocas
maledicentes dos poucos e poucas que por inveja
não se agradaram de mim.

E assim, me evitou...
Se calou...
Não me conheceu...
Perdeu.

Sou como rio que corre rumo ao mar.
Sou como lagarta que busca 
eterno metamorfosear.
Sou como poeta, que inspira
a tantos amar.

Sou parte desse ar que respiras;
Sou parte do verde das matas que tu vês;
Sou aparas de Luz Divina,
que se firmou na terra...
Sou pequeno diamante não lapidado
que para brilhar, busca o amor,
Este amor que ousas me negar.

Mas você me evitou...
Por preconceitos eu sei, 
pois não houve convivênia
para me conhecer...

Você perdeu.
Eu perdi.
Nós perdemos.
Duas escolhas, dois destinos.
Eu sem você,
você sem mim.

E eu continuo seguindo enfrente.

By Adalmir Oliveira Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário