domingo, 20 de julho de 2014

Primavera


É com lágrimas nos olhos.
É com dor no coração.
É com o peito vazio, em meio à explosão,
que me vejo aflito neste mar de ilusões.

Onde você é vulto do que se foi, sombra do
que jamais será.

É empurrão que leva ao precipício...
Cemitério de um amor.

Vestes negras, depressão.
Fruto proibido que só causou indigestão,
traumas e outros mais.

Desamor.
Anti-amor.
Dor...

Primavera é o que virá...
Flores, cheiros, cores e alegrias sobre o que
nunca foi, a não ser teatro, fantasias,
brincadeiras de amor.

Esta talvez seja a luz no fim do túnel, a qual
se alcança depois de tanto caminhar.

Entregas por amor, que atrai amor, que surte amor,
embora a sorte chegue em outros braços, em outros
lábios, em outra entrega, em reciprocidade.

Depois de tanto sofrer, cabe bem esta tal felicidade.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmirolivieracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário