quinta-feira, 10 de julho de 2014

Vencedor...


Sabe, ontem eu chorei.
Elevei meus pensamentos a Deus e perguntei, por quê?
Ele não me disse nada, talvez tenha dito, e eu é quem não ouvi.
Mas a noite passou, foi mais calma e tranquila...

Hoje acordei mais forte.

Estava a trabalhar, quando me apunhalaram pelas costas...
Sabe quando você está nas últimas forças e pensa que não
podia piorar. Piorou.

Mas a chuva veio me refrescar a cabeça.
O nervosismo foi naquela hora.
Penso que neste momento Deus tocou em meu coração
e disse calma, sou contigo.

As coisas vão melhorar.
Elas não melhoram sempre?

Pé no chão, a vida segue, e é preciso seguir com ela.
Consciência tranquila, agora, dó daqueles que engordam os olhos
em mim, que querem as minhas glórias, mais se negam às minhas
batalhas...

Estes definharão e nem alcançarão os céus, ao menos enquanto não
mudarem suas atitudes diante da vida e para com o seu próximo.
E não é praga minha, está escrito, como podes alguém colher o que
não semeou?

Não quero ser melhor do que ninguém, e nem pior também, no mais
convido a caminhar comigo, e juntos alcançarmos as estrelas...

Minha mãe ficou viúva bem nova, quatro filhos pra criar.
Sou órfão de pai, mas isso nunca foi desculpa para deixarmos de correr atrás
dos nossos sonhos e alcançarmos as graças de nossos esforços e lutas.

Nunca precisou de por este motivo nos desviarmos dos caminhos considerados
retos, voltarmos atrás em nossas palavras e honra, nos darmos melhor em cima
dos outros e de aderir ao ditado "a ocasião faz o ladrão".

Não tenho muito.
Mas o pouco que tenho, não veio de mão beijada, foi suado, e de algumas coisas
ainda tenho muitas prestações para pagar... Mas honro com meu salário digno e honesto...

E assim vou fazendo história...
E na graça de Deus história de vencedor.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário