segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Família humana, família amor


A capacidade de amar é tão urgente e necessária, que
deve começar por nós a nós mesmos e se
expandir nos corações humanos.

As vezes as correrias dos novos séculos,
os "preconceitos" e esteriótipos que somos
"obrigados" culturalmente a seguir.

Nos tira o norte, nos deixa sem objetivos,
Nos faz sermos mortos vivos a perambular
Em busca de algo que não se sabe  o que é.

Brechas que são abertas pelo consumismo
exacerbado, que além de nos privar o tempo,
nos priva do que realmente é importante para
vivermos de modo pleno e feliz.

Amar e agir.
Cantar e sorrir.
Livre.
Leve e solto.
Sem preconceitos.
Sem medos e culpas.

É  o caminho, a verdade e a vida
Que nos apontou Jesus.

Opressão.
Escravização do ser.
Alienação.
São como praga que brota, e cresce
Como o trigo e o joio,
Mas que tem uma hora certa
De colher e de separar.

E por que não começar AGORA MESMO,
Pelo amor.
Mas não um amor qualquer.
E sim um amor como o de Jesus, (e outros)
O qual vai até às ultimas consequências,
Para acolher, para unir, para instalar
a aproximação do humano
na compreensão do Divino,
na união dos povos, e
na formação da grande família humana.

Comece pelo amor.
O amor a si, no encontro do amor ao outro
que se completa no amor a Deus.

By Adalmir Oliveira Campos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário