segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Coração de Deus


Abriu-se a janela.
Pousou-se como uma prece.
Veio tênue.
Brisa leve e fresca.

Sem perceber cerrei os olhos.
Chuva de faíscas e estrelas.
Não contive a emoção.

Rio em lágrimas.
Profusão.

Que tamanho amor é este?

Fala mansa, respeitosa...
Sussurro cativante.
Nada obriga.
Nada impõe.
Deixa fluir.

Educação que se faz no
Cativar, no amar.

Entrega.
Sem limites, sem reservas.

A janela se fecha.
O espírito e a alma se abrem.
A vida clareia...
E segue, mais alerta, mais aberta,
mais frutífera, mais feliz.

O jardim está no peito.
Se tem espinhos já se sabe.
Mas são intensas as floradas,
e os frutos vem.

Já não mais um, somos dois,
num pousar que atrai, somos
três, já quatro e bem mais.

As estrelas enchem os céus
e galáxias, nós enchemos
o coração de Deus.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário