terça-feira, 4 de novembro de 2014

"Eu te amo!"


Eu ouvi a palavra "eu te amo!".
Muitas vezes eu ouvi.

Passou dias.
Passou meses.
Passou anos.

E as palavras se repetiam com
um sorriso, "eu te amo!".

Mas a este amor não mantive
interesse, não quis eu a continuidade,
pois nele faltava a verdade.

As palavras fluíam bem, vinham
como poesias, canções românticas
boas de se dançar a dois.

Mas no dia a dia, as ações com este
amor não condiziam.

Cansei-me de noites vazias.
Cansei-me do buraco ao lado de
minha cama.
É ruim a distancia de quem se ama.

Chega a um ponto que namorar
já não dá mais, a presença é
necessária e o querer é constante.

O cordão umbilical com os pais
devem ser cortados...

A entrega deve ser ao ente amado.

Nem para isso tu serviu.
Aparecia alguns momentos, noutros
não, ficava o vazio, ao ar, ao vento.

Eu só lamento, mas não me fez bem,
tive que pedir para partir.

"Eu te amo", tu me disse.
Mas em tempo não agiu.
Foram somente promessas, foi-se
como as águas de um rio que não
voltam mais.

Em frente eu fui, e continuo indo.
Nem olho para trás.
Quem sabe no futuro eu encontre
alguém que me ame, fale, aja e faça.

O amor é tudo isso, são palavras e
ações e nada mais.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário