quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Ofício de Poeta


O ofício de escrever é bom feito gostoso de se realizar.

São impregnações de mentes que vão além, incluindo
a arte de amar.

São conhecimentos, experiências e histórias...
Registros que vão além da memória e se perpetuam
ganhando vida quando lidos.

Histórias que encontram histórias, e se atualizam.
Histórias que se fundem.
Verdadeiro DNA humano que segue geração a geração.

Não são rabiscos apenas, nem pretensões à superioridade,
são questões de muita humildade no compartilhar de vidas,
histórias e memórias que só acrescentam ao bem pessoal e
consequentemente coletivo.

Com certeza livros são bons companheiros que nos
orientam a sermos bons humanos, bons e verdadeiros
amigos.

Mostram-nos o que é bom.
Mostram-nos o que há de ruim.
Mostram-nos o que convém aceitar.
Mostram-nos o que convém evitar.
Mostram-nos em que devemos lutar e depositar forças.
Mostram-nos as consequências de tudo enfim.

As escolhas são pessoais e estas determinam o fim.
Se o final será ou não feliz, a determinante é pessoal,
embora a coletividade tenha sua parcela na história.

No mais, ir adiante é glória, é fascinante.
Vale a história, a escrita, ofício de poeta,
verdadeiros diamantes.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário