domingo, 29 de dezembro de 2013

Domingueira


Domingo amanheceu quente.
Domingo como outro qualquer.
Preguiça no ar.
Da cama só mais tarde
a levantar.

Tem coisas para fazer...
Mais deixa pros dias de feira.
O dia de Domingo foi
feito pra gozar.

Na cama ainda...
Um beijo,
Abraços,
Carícias,
Amor.

Nada melhor para passar um dia.
Banho de chuveiro
lava o suor...
Refresca o calor
que insiste em
permanecer.

Mais de amar não abro mão
seja no calor do verão ao
frio do inverno.

Domingueira não tem feira.
É dia pra gozar.
Almoçar na casa de vó.
A família encontrar.

No fim da noite só amor
no ar.

Domingo foi feito pra gozar,
Rezar, viver, encontrar,
selar a paz e amar.

De Domingo, domingueira não abro
mão, é no Domingo que renovo as
forças do coração, para poder
sobreviver aos dias de feira.

By Adalmir Oliveira Campos



Nenhum comentário:

Postar um comentário