sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Filhos da inveja


Engraçado, me desculpem o desabafo.
Ninguém paga minhas contas.

Já estive à beira da ruína,
E somente Deus me levantou.

Por que querem agora me julgar?
Por que querem agora me controlar?
Por que, cargas D' água tenho que me esquecer
para viver o que querem impor a mim?

Por que devo me sucumbir à inveja destes
que se sentem indefesos e pequenos
com meu sucesso e felicidade.

A incompetência em ser feliz não é minha.
Por que, deve ser eu a mudar?

Não vou voltar atrás e ser infeliz para ti alegrar.
A Luz é para todos, cabe a cada um saber lutar...
Cativar, conquistar...

Seja dinheiro,
Seja amigos,
Seja família,
Seja amor,
Seja felicidade!

Sai de retro satanás!
É só mal que tua inveja trás.

Busque cuidar da sua vida
que você com certeza ganhará
muito mais.

Ter o que eu consegui é impossível,
pois é fruto do que busquei, cativei,
lutei, amei e alcancei em Deus
e com meu suor.

Não importa o que vieres a fazer.
O que Deus me concedeu,
é meu, e de mais ninguém!

Luz e treva.
Bom e mal.

Nestes opostos só vence os do bem.
A ti, filho da inveja, ignorância e cobiça,
Fica minha oração, para que sejas feliz
e me esqueças, pois enquanto ser humano
mereces meu respeito, mais não minha aceitação...
Até quem sabe um dia tenha limpo o coração.

By Adalmir Oliveira Campos




Nenhum comentário:

Postar um comentário