terça-feira, 18 de março de 2014

Malditas "burrocracias" e "trabalho"


Este mundo nos distancia
de quem amamos.
Nos impõem horários, regras,
"burrocracias" e muito trabalho.

O sistema nunca se dá por satisfeito.

Mulher começou a trabalhar por querer
ser valorizada e ter seu destaque e
lugar na sociedade, hoje já trabalha por
compulsoriedade pois só o homem
já não é capaz de trazer o alimento
pra casa.

Pais e filhos são visitas em seus lares.
Se dão bom dia.
Se dão (com sorte) boa tarde.
Se dão boa noite e vão dormir.
Noutro dia tudo se repete,
continuamente e sucessivamente,
com escassas pausas e recessos.

E dizem que é o trabalho que
dignifica o homem.

Que dignidade é esta que
afasta famílias, amigos, distancia
as pessoas de si próprias, do seu
próximo e de Deus?

Felizes são os macacos e passarinhos.

Acredito serem inteligentes também.
Só tem suas vidas atrapalhadas por causa
das ações do homem, caso contrário
não lhes faltaria comida e nem moradia.

Felizes são eles, são simples em seu viver.
Tiram da natureza o que comem e
o que precisam para se manter.
E são felizes e "dignos".

Não são escravos de burocracias,
trabalho excessivo, mídias, computadores,
celulares, jogos, televisão, (etc.) e sobrevivem
a milhares de anos.

Estão sempre com seus pares.
Possuem tempo para "educarem"
seus filhotes, e os colocam prontos
para seguirem a vida em frente.

Creio serem muito felizes e menos
estressados do que gente.

Mas são pensamentos de poeta.
Imaginação, sonhos.

Não que eu seja contra o trabalho.
Sou muito a favor.

Só penso que tanto a escola quanto o
trabalho deveriam nos dar um
tratamento digno para que fossem
em nossas vidas mais do que
obrigações, mais do que imposições,
e despertassem em cada um de nós,
trabalhadores e aprendizes o desejo
de voltar no outro dia para realizar
algo que realmente traga dignidade
ao viver.

Dignidade é elevar a vida humana.
Dignidade não é o que se vê por aí.
O que vejo é escravidão branca.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário