quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Oposição à infelicidade


Ao sabor da cerveja.
Ao sabor da certeza.
Ao sabor do vento.
Ao sabor do tempo.

Vou correndo contra tudo o que se opõe
à felicidade nesta vida.

Vou correndo e fazendo histórias.
Por onde vou mundos guardo na memória.
Pena nem sempre mundos felizes.
Boas histórias para contar quando velhinho.

Eita mundo às vezes injusto.
Eita mundo às vezes cruel.
Eita mundo às vezes impróprio
para consumo.

Mais ao sabor eu vou.
Seja da cerveja.
Seja da certeza.
Seja do vento.
Seja do tempo.

Seja sabores doces, amargos,
meio amargos, doces, muito doces
feito chocolates.

Vou neste caminho hora embriagado.
Vou neste caminho hora sóbrio.
Vou por este caminho hora anestesiado.
Vou por este caminho hora alienado.
Vou por este caminho...

O importante é que não paro de caminhar.
Seja qual for a situação, não só a de amar.

Embora fosse tão bom se o caminhar
fosse só de amores.

Embora fosse tão bom se o caminhar
fosse somente doces.

Embora fosse tão bom se a caminhada
fosse de fogos de artifícios a colorir
o céu.

Seja como for...
Com cerveja ou licor...
Vou caminhando vou...
Mas sempre buscando viver no amor.

Vou correndo contra tudo o que se opõe
à felicidade nesta vida.

Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário