quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Alternâncias


Às vezes fácil.
Às vezes difícil.

É assim  que eu penso.
É assim que eu vivo.

Às vezes fácil.
Às vezes difícil.

É assim que muitas vezes eu sinto,
o fardo que vem sobre meus ombros.

São conflitos, problemas os mais diversos,
os mais extensos...
Que os ombros me doem,
e a cabeça fica baixa ao andar.

Às vezes fácil.
Às vezes difícil.

Cada um tem uma cruz,
e carregá-la é assim.

Vai do dia.
Vai da disposição.
Vai da fé.
Vai da razão.
Vai da sanidade, insanidade.
Vai da emoção.

Às vezes fácil.
Às vezes difícil.

Mas a cada passo que damos,
o calvário se torna menor.
Mas a cada passo que damos,
o suor é amenizado.
Mas a cada passo que damos
a cruz se torna mais leve,
e nós nos tornamos mais fortes.

Às vezes fácil.
Às vezes difícil.

Embora as vezes a cruz vire prancha.
Embora às vezes é possível surfar
e ser feliz.

Às vezes é fácil.
Às vezes é difícil.

Mas  na soma o total
são de dias mais felizes.

Sofrimento e dor passam,
assim como passam a alegria e felicidade.

Mas o que se conquista com cada
experiência é eterno.

Embora às vezes fácil.
Embora às vezes difícil.

A vida deve ser vivida.
A vida deve ser sentida.
A vida deve ser curtida.
A vida deve ser compartilhada.

Às vezes fácil.
Às vezes difícil.
Mas no amor o que se almeja
se conquista.
O céu vira terra.
A terra vira céu.
E Deus passa a habitar em nós.
e nós passamos a habitar em Deus.

Uma só luz.
Uma só história.
Num só momento chamado eternidade.

Às vezes fácil.
Às vezes difícil.

Sejam tortuosos ou retos os caminhos.
No amor vencemos.
No amor crescemos.
No amor vencemos.
E a vitória é de todos.

Às vezes fácil.
Às vezes difícil.
Mas quem semeia colhe.
E o céu é o maior troféu.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário