quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Sempre e toda hora


Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

De amar.
De cantar.
De dançar.
De encantar.
De viver.

Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

De fazer  o caminho ao caminhar.
De fazer história e sonhar.
de ser autor, ir além residindo assim
no coração e na memória.

Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

De criar.
De espantar.
De correr atrás.
De vencer e lutar.
De se auto conhecer.
de se auto promover.

Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

De vencer o medo.
De vencer a morte.
De vencer e impelir o pecado,
rumo ao Deus amado, nas asas
de um anjo alado.

Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

De ser do bem.
De vencer o mal
De ser tempero no mundo.
De ser sal.
De dar sentido à vida, sempre
em reticências, jamais pondo
ponto final.

Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

De arrancar as máscaras.
De mostrar a "cara".
De arregaçar as mangas.
Vencer a corrupção, vencendo assim o
mal e o ladrão através da educação.

Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

De buscar a ordem.
De viver o progresso.
De todos, buscar  o sucesso.
De todos, fazer digno o viver.
E assim, fazer um mundo onde
caiba todo ser.

Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

de fazer valer a vida.
De fazer valer a pena.
Isso tudo vale, para a alma ser grande
e jamais pequena.

Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

De seguir em frente,
De ir cada vez mais alto.
De resolver conflitos, preconceitos, racismo,
"classismos".
Buscar antídotos para os vírus de desumanidades,
buscando a cura para a humanidade.

Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

De fazer magia.
De fazer poesia.
De fazer diferente.
De arrebatar o descrente.
De fazer contos de fadas.
De fazer de sonhos realidades.
E assim reconstruir a vida da gente.

Sempre e toda hora, toda hora e sempre.
É a hora de toda hora, de toda hora
e sempre.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário