sexta-feira, 10 de outubro de 2014

O QUE MUITOS NÃO LERÃO


INFELIZMENTE QUEM MAIS PRECISA, MAS TUDO BEM, FIZ MINHA PARTE EM ESCREVER. EDUCAÇÃO NELES!

Para que servem os radares também conhecidos como "pardais"?
Os bolsos dos desavisados e desatentos que dirão.
Servem apenas, ao meu ver, e ao "ver" de muitas pessoas como redutores de
velocidades em um espaço curto, quase parada, a ser compensada a alguns metros adiante (em velocidades triplicadas). Enquanto isso em outros locais da cidade, ônibus e vans escolares, coletivos, carros de grande porte andam à solta "furando" pares, atropelando motoqueiros e pedestres, e a justiça, esta continua cega, quando devia ser imparcial e levar à todos segurança no cumprimento de leis, sejam estas de trânsito ou não. Os bolsos dos cofres públicos municipais engordam e os da população emagrecem, e o que é pior, os acidentes persistem, bem como as infrações de trânsito. Jovens "metidos" a burgueses passeiam nas vias públicas empacando o trânsito, bem como as elites patrocinenses, som em altíssimos volumes e pior, no meio das vias, dificultando a ultrapassagem e melhoria do fluxo dos veículos, e quando alertados, fazem caras feias. Muitos não sinalizam suas intenções, fazem paradas bruscas sem motivo, e quase provocam acidentes (em alguns casos os provocam), sem falar nos que "furam" semáforos e param bem em cima das faixas de pedestres, jogam lixo nas vias e botam fogo na beira das rodovias. Pedestres e ciclistas seguem mal orientados muitas vezes se colocando em perigo e a outros, como nas vias de caminhada postas nas avenidas, não raras vezes há um tromba tromba, crianças e até adolescentes se aventuram nas travessias perigosas por pura ludicidade, pondo suas vidas em risco, o que não ocorre somente em frente às escolas.
Tudo isto uma grandíssima falta de educação, a qual não recebe tais investimentos substanciais quanto da colocação dos radares nas áreas urbanas da cidade, que ao ver de entendidos se resolveriam com redutores de velocidade conhecidos como lombada, o tão popular quebra-molas. Na educação está a resposta por que não são feitos os reais investimentos onde é necessário? Será o medo de não ter o que alegar melhorar nas campanhas eleitoreiras futuras? Eis a reflexão e como ficará a questão e suas resultantes, somente o tempo vai dizer, pois se continuar do modo que está e com a expansão da cidade, o número de mortes só tendem a crescer (infelizmente).

By Adalmir Oliveira Campos 
adalmir-campos.blogspot.com.br
adalmiroliveiracampos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário