segunda-feira, 2 de junho de 2014

Cadê as Andorinhas?


Onde estão as andorinhas?
As vi na missa, na Igreja de Santa Luzia.

São voos rasantes.
São louvores e mais louvores em cada
voar, em cada som emitido, em cada cantar.

Expressam nitidamente a liberdade do voo,
a despreocupação com as formalidades
humanas que se fazem pequenas em teus
exemplos e gestos de passarinhos.

Assim como disse o Pastor,
Não semeiam, nem tecem, nem constroem
casas, nem canalizam rios e oceanos,

mas não lhes falta onde morar,
mas não lhes falta o que vestir,
mas não lhes falta o que comer,
mas não lhes falta o que beber, e nem
a solidão toma conta de seus dias, pois
é em bando e pelo bando buscam viver.

Uma andorinha só, não faz verão, mas todas juntas
riscam os céus numa bela paisagem pintada à óleo.

E de domingo a domingo, fazem seus voos
Costumeiros na casa da padroeira.
Sua vida é um louvor.

E onde estão as andorinhas?
Também as vi, além da igreja de santa Luzia...

E é certo que elas tem muito a nos ensinar,
Sua irracionalidade às vezes tão racional,
dos instintos produzem conhecimentos, aos
olhos que buscam neles aprendizado,
que se os homens bem usarem farão céu
na terra, e o limite será além do chão,
na união de cada humano, de cada irmão,
na construção de uma terra onde
o viver será pleno adoração e louvor.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário