domingo, 15 de junho de 2014

E as luzes se apagam...


As luzes se apagam.
Chega a hora de dormir.
Repouso merecido depois de um
dia de correrias e cansaço.

Coisa mais louca e irracional, essa
de se matar de trabalhar.

Mais racionais me parecem às vezes
os animais, que buscam o melhor
para suas vidas, na tranquilidade
do pão de cada dia no habitat da
natureza, que para cada um trás
"certos" confortos gratuitos.

Trabalhar dignifica o homem.
Mas quando a vida se vai em prol do
trabalho, ela se perde...
Bem como se perde a paz, na buscas
de ser feliz apenas nas conquistas
materiais.

Má distribuição de renda, injustiça
que coloca cruzes pesadas em ombros
cada vez mais pobres e frágeis...
Escravidão branca.

Trabalho em troca de comida e uma
moradia financiada, apenas a salvos
de torturas e chibatadas, torturas físicas,
pois em muitos lugares as torturas existem
e mutilam almas através do assédio moral e
sexual.

E seguimos em frente depois de uma noite
nem sempre bem dormida, às vezes sofridas
na busca de soluções para o dinheiro que
a cada dia se torna mais curto, e se materializa
nos bolsos dos corruptos e gananciosos do poder.

Apenas sonhos proporcionam momentos felizes,
salvos momentos onde o amor fala mais alto
e na família e nas amizades nos pomos a sorrir
na busca de forças para retomar a vida na aurora
que vem todos os dia.

E nessa luzinha no fim do túnel repousamos
na esperança de dias de mais fartura e felicidade.

By Adalmir Oliveira Campos
15/06/2014
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário