sábado, 3 de maio de 2014

Pedacinhos de holos


É um pedacinho de mim.
É um pedacinho de nós.
É um pedacinho de tudo
que há...

Beira mar.
Beira chão.
Beira céu.
Beira mel, algodão doce
de cor, de sabores diferentes,
enebriantes feito arco-íris
em fins de chuva.

São pedaços, são poções,
que juntos são multidões
em festa a brincar, pois viver
realidades tem sido tão difícil
que sonhar tem sido solução.

Sonhos de amor.
Sonhos de menos dor.
Histórias, dramas, fantasias que nem
mesmo, Shakespeare pôde imaginar,
ou se imaginou não escreveu.

As dores às vezes superam as de
Romeu e Julieta.

Mas nos sonhos, encantamentos
de terras que manam leite e mel,
onde o maná cai do céu, estradas
de diamantes, casas de brilho prateado,
ruas douradas, verdadeiro paraíso.

Pedacinhos de almas que brilham
neste mundo terreno, na ânsia de
brilharem feito estrelas no céu...

Ou quem sabe aqui mesmo neste
pântano em que vivemos, sendo secas
os veios sangrentos da corrupção, pondo
fim às sombrias e negras fantasias que
se fazem reais por muitos mortais que
sugam dos "inocentes" para manterem-se
no poder e em situações de poder que
é sede que nunca sacia.

São pedacinhos de mim, são pedacinhos
de nós, são pedacinhos de um todo tenaz,
a sorrir, a chorar, na busca de um pouco
mais de dignidade, amor e paz.

Mundo que se deseja.
Mundo que se quer.
Seja para o humano, homem ou mulher.
Um vir a ser.
Um bem quisto, bem visto, bem querer.
Que com certeza se faz no amor que
brota e nasce em cada ser.

No mais, esperança e fé!

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário